CULTURA: LANÇADO EM BRASÍLIA PROGRAMA DE ESTÍMULO À PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA QUE CONTEMPLA RONDÔNIA

Lanc_Brasil_De_Todas_as_telas_Foto_038-370x246

Projeto de Rondônia de resgate da memória e patrimônio cultural de populações indígenas e quilombolas do Vale do Guaporé será contemplado
Com o objetivo de tornar o Brasil um dos cinco maiores produtores e programadores de conteúdo audiovisual do mundo foi lançado nesta terça-feira (01), pela presidenta Dilma Rousseff em Brasília, o programa Brasil de Todas as Telas. A ação governamental apresentada pela ministra da Cultura Marta Suplicy e pelo diretor-presidente da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Manoel Rangel utilizará recursos do FSA – Fundo Setorial do Audiovisual com parcerias público-privadas no desenvolvimento dos agentes econômicos e crescimento do acesso às produções nacionais.
O programa contém quatro eixos de atuação: desenvolvimento de projetos e formatos de obras brasileiras, produção e difusão de conteúdos brasileiros no cinema, capacitação e formação profissional além da implantação e modernização de salas de cinema.
Lanc_Brasil_De_Todas_as_telas_Foto_042-370x246Manoel Rangel destacou o volume de recursos a serem investidos que totalizam R$ 1,2 bilhões e segundo ele é o maior investimento em produção audiovisual já implementado no Brasil.
A ministra Marta Suplicy, fez um retrospecto da produção cinematográfica no Brasil e descreveu a importância do programa que pode receber projetos para municípios com população superior a 8 mil habitantes. “O cinema produz conhecimento, dá acesso a culturas diferentes e é um poderoso instrumento de produção de imagens no País”, definiu.
A formação profissional é uma vertente do Brasil de Todas as Telas, que ofertará bolsas de capacitação, pesquisa e produção com duração de até 24 meses, nos campos técnico-operacional, gestão e negócios, criação e dramaturgia, entre outros, por meio do Pronatec Audiovisual – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego.
Lanc_Brasil_De_Todas_as_telas_Foto_005-370x246Ao final o governo federal espera que sejam alcançados 300 longas-metragens e mais de 400 obras para TV, resultando em 2 mil horas de conteúdo, Desenvolvimento de 450 projetos para cinema e TV, 5 mil bolsas de capacitação e a digitalização de 100% do parque exibidor de cinema. “O Brasil de Todas as Telas é parte do nossos esforço para fazer justiça a essa imensa criatividade do nosso País e transformá-la ainda mais na base de uma pujante indústria cultural nacional”, comemorou Dilma.
Os recursos serão destinados a seis estados (Acre, Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul e Rondônia), por meio do Sistema Nacional de Cultura (SNC). Nesta primeira etapa, será empenhado o montante de R$ 19,5 milhões a 12 projetos aprovados pelo edital lançado em maio do ano passado.
Um dos projetos contemplados foi do Estado de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual dos Esportes da Cultura e Lazer, que terá um custo de R$ 438 mil. O projeto refere-se ao resgate da memória e preservação do patrimônio cultural das comunidades indígenas e quilombolas do Vale do Guaporé (Rondônia). Pretende identificar e registrar essas comunidades tradicionais, compor uma base de dados; realizar buscas e pesquisas aos acervos particulares; promover e difundir a expressão cultural por meio da economia solidária, como artesanato, culinária, músicas e danças, a partir de feiras culturais e publicações de CD, vídeos e livros/catálogos; desenvolver atividades com a comunidade, in loco, a fim de melhor compreender a história, os saberes e os fazeres.
Fonte
Texto: Alex Nunes
Fotos: Alex Nunes

Facebook Comments