Criminosos tinham fardas falsas da Polícia e iriam roubar 30 kg de ouro de garimpeiro; VEJA VÍDEO

Emir Junior Prata Vargas, 29 anos, foi alvejado com um tiro na cabeça

O criminoso morto durante confronto com a PM na noite de sexta-feira (25) na pista de pouso no Aeroclube de Porto Velho foi identificado como Emir Junior Vargas, 29 anos.  Outro dois comparsas do bandido morto, Fábio Ribeiro Freitas, 34 anos e Felipe Alves Miranda, 28 anos foram presos.

De acordo com as informações, a Polícia Militar levantou junto aos demais suspeitos que eles receberam informações de que um garimpeiro transportando cerca de 30 kg de ouro estava prestes a pousar na pista do Aeroclube na tarde de sexta-feira (25), e diante disse se uniram no residencial Morar Melhor e foram para dentro do matagal para esperar a aeronave pousar para cometer o crime.

Uma equipe da Força Tática do 9° batalhão estava em campana atrás de outros bandidos que haviam escondido uma moto roubada nas proximidades e perceberam quando três suspeitos sendo todos armados, inclusive um de posse de uma metralhadora AK 47. Logo os policiais deram ordem de parada, porém, tal ordem desobedecida e os bandidos começaram a efetuar vários tiros contra os policiais que revidaram a Emir Junior Prata Vargas, 29 anos, foi alvejado com um tiro na cabeça e caiu ao solo já sem vida.

Os policiais pediram apoio de outras guarnições para fazer o cerco, pois os demais suspeitos havia se embrenhado no matagal e depois de um bom tempo os policiais prenderam Fábio Ribeiro Freitas, 34 anos e Felipe Alves Miranda, 28 anos, que estavam de posse de duas armas de fogo sendo duas pistolas e um pistola curta sendo uma bereta.

Durante os trabalhos da perícia dentro da bolsa do suspeito morto, foi encontrado três camisas sendo duas da Polícia Federal e outra da Polícia Civil, bem como bala clavas, amarradeiras de plástico e luvas. A metralhadora AK 47 de calibre 762 foi verificada que a fabricação dela é americana.

Após os trabalhos de perícia o corpo do suspeito foi encaminhado para o Instituto Médico Legal para necropsia e os demais presos foram levados para a central de flagrantes com todos os objetos encontrados. A Polícia Civil deve da andamento nas investigações para saber se havia mais pessoas envolvidas e se a informação de que eles iriam fazer o roubo de ouro é verídica.

Fonte: MaisRO com informações do Hora1 Rondônia

Facebook Comments