Em menos de 24 horas, policiais da Delegacia de Homicídios de Porto Velho esclareceram o assassinato do empresário Henrique Fernandes Barbosa Silva, 33 anos, ocorrido na noite da última quinta-feira (11), na Rua Jacy Paraná, Bairro Mocambo, na Capital. Ele era dono de um pet shop e foi morto por um criminoso que não concordou com o valor cobrado por um serviço.

Coordenados pela delegada Leisaloma Carvalho, os investigadores identificaram Gerônimo da Silva Souza, 27 anos, como o autor do crime e André Ezequiel de Miranda Junior, 37 anos, o comparsa que deu fuga para o executor após o crime.

De acordo com a delegada, Gerônimo teria levado seu cachorro para fazer um tratamento no pet shop do empresário. Ao ser informado do valor do serviço, ele não gostou do preço e ameaçou a vítima.

Na quinta-feira, armado com uma pistola, o criminoso encontrou o empresário e efetuou vários disparos contra a vítima que estava dentro de um veículo HB20. O empresário não teve chance de defesa e morreu dentro do carro, antes de receber atendimento médico.

Após executar a vítima, Gerônimo fugiu do local com a ajuda do comparsa André, segundo foi apurado nas investigações da Polícia.

A delegada Leisaloma Carvalho representou pela prisão preventiva dos envolvidos. Mandados de busca e apreensão também foram expedidos pela justiça.

Nesta sexta-feira (12), os investigadores foram até os endereços dos envolvidos, mas eles não foram localizados. Na casa de Gerônimo, os policiais encontraram a pistola usada no crime. O pai dele estava no local e foi preso pelo crime de posse ilegal de arma. “Ele sabia que a arma estava na casa e tinha total ciência que seu filho teria cometido o homicídio”, esclareceu a delegada.

Os policiais descobriram ainda, que Gerônimo e André são traficantes conhecidos no bairro onde aconteceu o crime e já foram presos por tráfico se droga.

Agora, a Polícia trabalha para localizar e prender os dois criminosos considerados foragidos. Qualquer informação sobre o paradeiro da dupla pode ser repassada através do 197 da Polícia Civil. Não precisa se identificar.

Fonte: Rondoniagora

Facebook Comments