Crime eleitoral em RO: Pastor reúne centenas de fiéis e declara votos para candidatos políticos

0
658


O pastor Wesley Thomaz da Igreja Evangélica Nova Aliança com Deus, em Porto Velho, Rondônia, juntou centenas de fiéis da igreja e gravou um vídeo listando seus candidatos à Presidência, governador, senador, deputado federal e estadual.

Os candidatos citados foram: O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL); o candidato a governador de Rondônia, Maurão de Carvalho (MDB); senador, Marcos Rogério (DEM); deputada federal, Jaqueline Cassol (PP); e deputado estadual, Só na Bença (MDB).

Thomaz faz questão de dizer que deseja eleger pessoas que irão lutar contra a “ideologia de gênero” e declara que assim como está gravando para apoiar, também poderá gravar vídeo para criticar os candidatos, caso não cumpram suas promessas.

Com medo de serem punidos por conta do acontecido, o candidato a governador de Rondônia pelo MDB, Maurão de Carvalho, declarou à imprensa local que não autorizou que o pastor se manifestasse em seu apoio e que não sabia que ele gravaria tal vídeo.

Tomei conhecimento deste fato específico, isolado, pela reportagem do Tudorondonia, e já determinei, de pronto, que minha assessoria jurídica se informe do ocorrido e busque fazer os devidos esclarecimentos junto à Procuradoria Eleitoral. Não estávamos presentes, não sabíamos do ocorrido e não apoiamos este tipo de manifestação, com o devido respeito a quem teve tal iniciativa à nossa completa revelia”, disse.

A candidata a deputada federal Jaqueline Cassol, também citada no vídeo, declarou que não conhece o pastor e que ficou sabendo do vídeo pelas redes sociais. Através de uma nota, ela diz ainda que “jamais autorizou qualquer preposto a negociar em seu nome apoio político de forma a afrontar a legislação eleitoral”.

Vale lembrar que a Justiça Eleitoral está analisando os líderes religiosos que usam os espaços dos templos para apoiarem candidatos políticos. O crime de abuso de poder gera punições para a igreja, inclusive a interdição do espaço, e também para o candidato que pode ter o mandato cassado e perder seus direitos políticos. Com informações Tudorondonia e JM Noticias

Facebook Comments