Guajará-Mirim (RO)- A Pérola do Mamoré está morrendo aos poucos. O município de Guajará-Mirim, o segundo mais antigo do estado de Rondônia, é o segundo em mortes pela Covid-19. Embora tenha um dos menores casos de infectados, 20, é o de maior letalidade, 35% com sete mortes. O número de mortes em Guajará é assustador porque, Ariquemes, com 127 casos, o segundo maior do estado, não tem nenhuma letalidade, ou seja, nenhum paciente morreu até então. O terceiro mais infectado, Ji-Paraná, que tem o triplo de habitantes de Guajará, tem 45 casos, com apenas três mortes. Cacoal, com 22 casos, nenhuma morte. Nova Mamoré, vizinha de Guajará, teve apenas dois casos e nenhuma morte.

A população de Guajará-Mirim está assustada e com razão. Segundo fontes, o prefeito Cícero Noronha (DEM) não ouve autoridades sanitárias e nem a quem está diretamente no enfrentamento da doença que já vitimou quase 13 mil brasileiros, sendo 50 em Rondônia.

Ontem, meia noite, aconteceu até um panelaço para acordar o prefeito que até agora só tem feito lives e nada de concreto, segundo a fonte deste site de notícias. “A situação aqui está crítica. Há duas semanas não tínhamos nenhum caso e já havíamos alertado o prefeito que poderia haver um surto em Guajará, mas ele não nos ouve. Temos tentado falar com o prefeito e ele não nos atende”, disse a fonte que é um profissional da saúde. Não existe equipamentos para os profissionais, não tem leitos de UTI equipados, tanto que todos os casos são enviados para Porto Velho. Duas recentes mortes abalou a cidade no mês passado e início deste mês. O pioneiro Almir Candury, figura histórica do MDB de Rondônia, morreu no Cemetron em Porto Velho vítima da Covid-19. Quinze dias depois, o filho dele, Fábio Candury também morreu, deixando a cidade em estado de alerta. Mesmo assim, nada foi feito para diminuir os casos que só aumentam a cada dia.

 

 

Leia também

Número de mortes em Rondônia por Covid-19 chega a 50; total de casos confirmados subiu para 1.460

 

Redes sociais

Nas redes sociais, a crítica ao prefeito é comum. A internauta Francy Serra Velasco, moradora de São Miguel do Guaporé, compartilhou uma crítica postada por Cristiano Martins que é morador de Guajará-Mirim:

Desinfecção realizada em Nova Mamoré. O prefeito de Guajará Mirim, Cicero Noronha, também vai fazer isso na Pérola do Mamoré ou o índice de morte por covid19 ainda vai girar na faixa de 50-60%? E aqui em São Miguel do Guaporé, o prefeito vai fazer algo também ou vai espalhar vídeo pelo Whatsapp dizendo que “tá tudo sob controle” quando a gente sabe que não tá? Enquanto o Executivo ficar brincando de nomear amiguinhos de partido sem qualificação ou por indicação intencional de alguns do legislativo,o povo Guajará-mirense continuará sem representação na política local e perecendo às mínguas. Temos um índice muito alto de perda de vidas para o Covid-19 em nosso município e até agora nenhum dos poderes não levantou a bunda da cadeira para tomar atitudes plausível e agir em prol da população. Isso além de desumano é imoral e inaceitável. O prefeito de Nova Mamoré e Vereadores estão de parabéns,com apenas 2 casos já estão fazendo sua parte no combate ao vírus desinfectando a cidade e outras ações,e você Prefeito de Guajará e Vereadores vão continuar somente como expectadores em suas poltronas confortáveis assistindo o povo morrer seja do vírus ou mesmo de fome e não tomar nenhuma medida a altura? Até quando vamos perder nossos entes queridos por má administração? Pacientes morrendo porque ter sido negado um remédio que havia na farmácia do hospital,e que por ordem do secretário de saúde não puderam ceder.? Será que temos que ficar implorando até até por remédio que é comprado com o dinheiro público? Acabei de crer que essa é a gestão da perdição. Sinceramente em meu ponto de vista vocês não servem e nem ganham mais nem para presidentes de bairros”, postou  Cristiano Martins.

 

Fonte: Mais RO

 

Facebook Comments