Comandante faz alerta à população sobre os cuidados com a fiação elétrica
Região de Ariquemes registrou aumento de 30% dos incêndios neste ano em relação a 2015
Região de Ariquemes registrou aumento de 30% dos incêndios neste ano em relação a 2015

A falta de reparos nas instalações elétricas, assim como de manutenção em fiação antiga, está entre as principais causas de incêndio em residência pela facilidade de provocar curtos-circuitos. Dentro de um aspecto preventivo, o Comando do 2º Subgrupamento de Bombeiros Militar (2º SGBM) em Ariquemes alerta a população sobre os cuidados com a instalação elétrica em residências, comércio e prédios públicos.

De acordo com o comandante do 2º SGBM, Clivton Reis, em relação ao ano de 2015, este ano, até o mês de setembro, teve aumento em 30% nas ocorrências de incêndios em residências e estabelecimentos comerciais na região de Ariquemes. Enquanto que no ano passado foram registrados 33 incêndios, em nove meses deste, já somam 44 ocorrências.

O 2º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros atende a cinco municípios na região: Ariquemes, Cacaulândia, Rio Crespo, Monte Negro e Alto Paraíso e mais quatro distritos Joelândia, Alto Alegre, Bom Futuro e Vila Nova.

O perito criminal da Coordenadoria Criminalística, Gutemberg de Araújo Gouvêa, que é formado em engenharia elétrica, informou que em 2015 pelo menos 70% dos casos de incêndio em residências no município ocorreram em função de curto circuito nas instalações elétricas.

Para Gouvêa, quando uma casa é projetada, o sistema elétrico também deve ser planejado com o mesmo cuidado, entretanto, em muitos casos a rede elétrica acaba defasada, seja pelo fato de a construção ser antiga, seja pelo fato de se acrescentar equipamentos que não estavam programados, sobrecarregando essa rede, que deve atender à Norma Brasileira NBR 5.410 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Segundo o comandante Clivton, em muitos casos o problema ocorre por falta de manutenção na rede e pelo envelhecimento da fiação. “A falta de reparos nas instalações elétricas, assim como de manutenção na fiação antiga, estão entre as principais causas de incêndio em residências pela facilidade de causar curtos-circuitos”, afirmou, completado que muitas vezes a população não tem consciência que a instalação elétrica de uma casa tem que passar por revisão e troca da fiação por instalações mais modernas, da mesma forma que fazem com a pintura da casa quando essa já não está mais bonita, troca do piso entre outros. “Elas se importam se a parede está suja ou rachada, mas não substitui a fiação que está escondida na parede”, frisou o comandante.

Outra situação destacada pelo comandante, é que colocar vários benjamins (também conhecido como T) em uma única tomada, ocorre superaquecimento no sistema elétrico, o que pode ocasionar um curto circuito e um incêndio.

Outro “vilão” nas ocorrências de incêndio em residências é o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) ou gás de cozinha, que de acordo com o comandante Clivton ocupa o segundo lugar no ranking . Ele também destacou os aparelhos elétricos, ventilador e a central de ar como responsáveis por incidentes. “As pessoas saem e esquecem o aparelho ligado, superaquece e em consequência ocorre o incêndio”.

ORIENTAÇÕES

Comandante faz alerta à população sobre os cuidados com a fiação elétrica
Comandante faz alerta à população sobre os cuidados com a fiação elétrica
O comandante alerta a população para que faça a revisão da rede elétrica e, se necessário, trocar a instalação. A sobrecarga na instalação é uma das principais causas de incêndios. Se a corrente elétrica está acima do que a fiação suporta, ocorre superaquecimento dos fios, podendo dar início a um incêndio. Ele orientou também para que não seja colocado fogo no lixo, não deixar fósforo, isqueiros e velas ao alcance das crianças.

Não ligue mais de um aparelho por tomada. Esta é uma das causas de sobrecarga na instalação elétrica;

Não faça ligações provisórias.

Tome sempre cuidado com as instalações elétricas.

Fios descascados quando encostam um no outro, provocam curto-circuito e faíscas.

Chame um técnico qualificado para executar ou reparar as instalações elétricas ou quando encontrar um dos seguintes problemas:

Constante abertura dos dispositivos de proteção (disjuntores)

Queimas frequentes de fusíveis;

Aquecimento da fiação e/ou disjuntores;

Quadros de distribuição com dispositivos de proteção do tipo chave-faca com fusíveis cartucho ou rolha, substitua-os por disjuntores ou fusíveis do tipo Diazed ou NH;

Fiações expostas (a fiação deve estar sempre embutida em eletrodutos)

Inexistência de aterramento adequado para as instalações e equipamentos elétricos, como tomadas, torneiras e chuveiros elétricos, ar condicionado, entre outros. Evite aterrá-los em canos d’água.

Antes de instalar um novo aparelho, verifique se não vai sobrecarregar o circuito. Utilize os aparelhos elétricos somente de modo especificado pelo fabricante.

Fonte
Texto: Suelly David
Fotos: Wilian Andrade
Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments