O Vilhena tem o apoio da Federação Rondoniense de Futebol para atuar na região de Campinas contra a Ponte Preta. A diretoria do clube deve enviar o pedido de alteração do local à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em janeiro. As cidades mais cotadas para receber a partida de ida da Copa do Brasil são Americana, Bragança Paulista e Mogi Mirim.

A ideia de jogar em São Paulo, segundo o presidente do Vilhena, Natal Jacob, é para diminuir o prejuízo do clube, já que a torcida da Ponte Preta deve comparecer em peso, além de economizar com a viagem, pois desde novembro a equipe rondoniense treina em Santo André. A média de público da equipe em Rondônia gira em torno de 461 torcedores por jogo.

Vale lembrar que a Ponte Preta não poderá fazer a partida de volta no Estádio Moisés Lucarelli. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu a Macaca com a perda de um mando de campo por conta da confusão entre torcedores e Polícia Militar na partida diante do Joinville pelo Campeonato Brasileiro da Série B. O clube campineiro tem que cumprir a punição na primeira partida de uma competição realizada pela CBF, que será o confronto contra o Vilhena. O caso ainda será julgado novamente e o gancho pode aumentar.

A primeira partida entre Vilhena e Ponte Preta deve acontecer no dia 25 de fevereiro ou no dia 18 de março. A Confederação Brasileira de Futebol confirmará a data em breve.

por Agência Futebol Interior

Facebook Comments