Coluna Zona Franca

                                       No olho do furacão

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha (PSL), está em todos os telejornais, sites, rádios e jornais do País e até exterior. Tudo por conta da possível fraude denunciada esta semana. A fraude consistiria em omitir a gravidade da pandemia no estado para não ser forçado a decretar o isolamento total. Agora, as consequências estão aí, com pacientes sendo mandados para várias partes do País. Sem leitos de UTI e sem médicos (saudades do Mais Médicos, minha filha?), Rondônia entrou em colapso.

Ouvindo melhor

E não foi por falta de aviso. Principalmente agora que o governador de Rondônia está ouvindo melhor. Como mostra esta montagem, ele está de orelhas novas, ajustadas. Aquela orelha de abano é só passado. Podendo ouvir melhor, seria bom que Marcos Rocha ouça a ciência e decrete lockdwon para salvar a população do Estado. Se depender dos empresários e comerciantes a pandemia dificilmente irá embora, porque eles não querem fechar seus empreendimentos. Ninguém é contra empregos. Somos a favor da vida. Sem vida não há como ir trabalhar, né?

                                                    Virou piada

Dezenas de outdoors espalhados pelo estado e, principalmente na capital, demonstram a semelhança entre os governo estadual e federal, onde impera a falta da verdade. Se depender da propaganda, tem leitos de sobra em Rondônia. Claro que não! Haja vista a exportação doentes para outros estados, o que tem de sobra é muita cara de pau.

                                   Quase dois bilhões!!!

Mas, o que mais está pegando atualmente no país do “acabou a mamata” , do “Deus acima de todos” e “pelos valores, ética e família” é a questão dos gastos com alimentação da corte presidencial. Segundo o Portal da Transparência (que inexplicavelmente está fora do ar), o governo federal gastou em 2020 quase 2 bilhões de reais com comidas, bebidas e guloseimas. Injustificável em todos os sentidos, mesmo sendo para abastecer toda a tropa. Como uma simples lata de leite condensado pode custar R$ 162 reais, quando no mercado custa menos de R$ 5? Pior é que tudo foi comprado sem licitação e sem comprovação de que os produtos foram entregues de fato.

Não anda

Há 785 dias que o Habeas Corpus da defesa de Lula apontando a suspeição de Sergio Moro aguarda julgamento no STF. Mas, sabe por que não anda, não julgam? Porque se for comprovada a suspeição a República cai. A prisão de Lula foi usada como tema da campanha nas eleições presidenciais de 2018. Por isso Bolsonaro foi eleito. Lula foi espetacularmente condenado e preso em tempo recorde no ano eleitoral para não disputar o pleito. Hoje, a maioria das condenações está sendo questionada e ele já foi inocentado em seis processos.

Ave rara sob proteção

Isso não acontece quando o assunto é crime cometido por membros do PSDB. Por exemplo, até hoje nenhum tucano foi condenado e preso, com provas mais robustas e autênticas do que as apresentadas contra Lula. Tem elementos para trancafiar numa gaiola pelo menos uma dezena de tucanos como Aécio Neves, Alckmin e José Serra. Mas, a justiça brasileira tem cor e tem partido. Contras eles o caminho é a prescrição.

Nova Mamoré

Voltando à pandemia, Nova Mamoré, de exemplo de combate à Covid-19, virou caso de polícia. Na gestão do ex-prefeito Professor Claudionor (PDT), no auge da pandemia, o município foi destaque pelo reduzido número de casos e mortes, mesmo com o comércio aberto. Claudionor deixou R$ 6 milhões em caixa e apenas oito óbitos pelo coronavírus. Em 27 dias da nova gestão, Nova Mamoré já contabiliza 11 mortes. O pior é que o prefeito Marcélio Brasileiro (PSD) está deixando as portas escancaradas para o vírus entrar.

Eleições 2022

Mesmo sob o recrudescimento da pandemia, as eleições de 2022 já agitam o Brasil e, porque não, em Rondônia. Em nível nacional já se vislumbra uma candidatura de direita para substituir Jair Bolsonaro que não escapará de um impeachment (*). Trata-se de João Doria Jr (PSDB) que está conseguindo prestígio nacional por conta da vacina Coronavac. Já em Rondônia, alguns nomes de direita, de centro e de esquerda começam a surgir. O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB) é um dos nomes certos para disputar o governo de Rondônia em 2022. Do mesmo lado, no mesmo time, o senador Marcos Rogério (DEM) é apontado também como virtual candidato. Indo para o centro, há possibilidades da volta do senador Confúcio Moura (MDB) que já havia dito que aquela (2018) foi a última eleição dele. Pela esquerda há possibilidade de disputar a cadeira principal do Palácio Rio Madeira o deputado federal Mauro Nazif (PSB). O PT tem vários nomes, dentre eles o de Ramon Cujuí, a aposta do partido como nova liderança.

Senado e outros cargos

Em 2022 será muito acirrada a disputa pela única vaga de senador da República por estado. Por Rondônia, alguns nomes já despontam: Expedito Júnior (PSDB), Marinha Raupp (MDB), Jesualdo Pires (PSB) e Fátima Cleide (PT). Para deputado federal: Bosco da Federal (PTB), Érika Fontenele (PL), Fabrício Jurado (DEM), Luís Cláudio (PL) e Cláudia de Jesus (PT). Já para deputado estadual, os nomes seriam estes: Samuel Costa (PCdoB), Terrinha (sem partido), Luciana Oliveira (PT), Dabson Bueno (MDB), Aleks Palitot (PTB), Raí Ferreira (PSD), Dr. Wellison Nunes (PDT), Cristiane Lopes (PP), coronel Ronaldo Flores (SDD), Pimenta de Rondônia (PSOL), Pantera (PCdoB), Giovana Barros (PT), Fatinha (PT), Breno Mendes (Avante), dentre outros.

(*) Asterisco

Os últimos movimentos públicos nos partidos apontam para vitória do candidato de Bolsonaro, Arthur Lira (PP-AL) sobre Baleia Rossi (MDB). Com isso Bolsonaro ganharia força para resistir às pressões por impeachment. Consolida-se assim a parceria do presidente com o Congresso “da boquinha”. Segundo um experiente político de RO, Bolsonaro sobreviverá até o final do mandato. Pelo silêncio ensurdecedor de nossa bancada federal diante de muitos escândalos do governo Bolsonaro, não poderia ser diferente.

Por equipe do Mais RO

Facebook Comments