Coluna Zona Franca

Marília Mendonça

A coluna registra com pesar a morte da cantora sertaneja, Marília Mendonça. Somente após a morte dela, a maioria dos brasileiros conheceu de fato quem era a Rainha da Sofrência. Até quem não gosta do estilo, sentiu a morte da jovem promissora artista.

Tinha que ser ele

No dia do enterro de Marília Mendonça, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido, sem ética, sem amor ao próximo) participou de uma motociata no Paraná. É muita  falta de empatia, de sensibilidade para com um ser humano. “E daí?”. Já o ex-presidente Lula cancelou todas as atividades políticas marcadas para sexta e sábado, prestando solidariedade à família da cantora.

Confúcio

O senador licenciado Confúcio Moura (MDB-RO),se pronunciou sobre a morte de Marília Mendonça: “Triste perda para a nossa música brasileira. Eu a admirava demais. Uma cantora maravilhosa, uma das mais queridas do Brasil. Sua partida deixa dor e saudade. Meus sinceros sentimentos de pesar à família, amigos e fãs”.

Dinheiro

Dinheiro. Foi essa a principal preocupação do governador de RO, Marcos Rocha (PSL), lá em Glasgow (Escócia), na COP26. “Rondônia está fazendo seu dever de casa e estamos garantindo a nossa participação em um mercado trilionário”, postou ele nas redes sociais todo sorridente, mais parecendo pastor evangélico diante de dízimos. Até ontem o governador jamais tinha falado em preservação ambiental, muito pelo contrário, seguia as ordens de Bolsonaro de não conceder um centímetro a mais para os indígenas e reduzindo as áreas protegidas por lei.

                                              Encantadora

Quem encantou o mundo com o seu discurso foi a ativista indígena, Txai Suruí, que surpreendeu a todos, se tornando a “queridinha” da COP26. Quem não gostou da fala dela, foi, adivinha quem? Ele mesmo, Bolsonaro que a chamou de “índia” em vez de indígena. Txai tem pedigree. É filha do internacional Almir Suruí e da ativista Neidinha Suruí. Graças à Txai, o mundo se virou contra Bolsonaro e a favor da Amazônia. Bolsonaro ganhou um prêmio internacional: Prêmio Fóssil do Ano (foto), pelo péssimo trabalho diante das causas climáticas.

                                                A frase

Gasolina mais cara

A gasolina mais cara do mundo é a do Brasil. E não tem nada a ver com o ICMS dos estados. Aqui o aumento do preço interessa aos especuladores do mercado financeiro em obter lucros maiores a custa do trabalho do brasileiro. No mundo, a gasolina não está cara, como afirmou Bolsonaro no cercadinho. Veja abaixo:

Juiz ladrão!

O ex-juiz Sérgio Moro, está de malas prontas e deve se filiar ao Podemos no próximo dia 10. Já chega com sua marca: o roubo. Desta vez, se apropriou do slogan de Lula. Já não bastasse o roubo da presidência da República.

Eleições 2022

A sucessão em Rondônia começa a tomar forma, com as andanças do senador licenciado Confúcio Moura pelo estado. Embora negue, será candidato ao governo. Os nomes mais fortes, além do ex-governador Confúcio são: Hildon Chaves (PSDB), Anselmo de Jesus (PT), Ivo Cassol(PP), Jesualdo Pires (PSB) e Marcos Rogério (DEM). 

Para o Senado

O ex-senador Expedito Júnior (sem partido), continua sendo o mais forte para o Senado Federal. Ele que deixou o PSDB, deverá assinar ficha no PSD. O ninho tucano está se tornando inabitável. Com ele deve haver uma revoada de tucanos rumo ao PSD.

Câmara Federal

Devem disputar a Câmara Federal, os seguintes pré-candidatos: Fátima Cleide (PT), Ramon Cujuí (PT), Herbert Lins (Avante), Lhano Fernandes Adorno (PT), Cleiton Roque (PSB), Fernando Máximo (Patriotas), Bosco da Federal (Cidadania), Cristiane Lopes (PP), Aluízio Vidal (Rede), dentre outros.

Jesualdo Pires

O ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB) está sendo lembrado tanto para o governo de Rondônia, quanto para o Senado, Câmara Federal e a vice-governador também. É um nome sem máculas, sem restrições.

 

Facebook Comments