Coluna Zona Franca

                                  É sexta-feira 13!!!

O deputado estadual Lazinho da Fetagro (sem direitos partidários), está prestes a perder o que resta do mandato. É que o PT está reivindicando na justiça o mandato do parlamentar, ou seja, reaver o mandato que é do partido. Dentre tantas faltas de Lazinho, consta infidelidade partidária. Para o PT, fidelidade partidária é uma das condições sine qua non para fazer parte do partido.

Anselmo 2022

E por falar no PT, o partido vai apostar no nome do seu presidente estadual, Anselmo de Jesus, para o governo de Rondônia. Anselmo que já foi deputado federal, é um nome da região central do Estado. Alianças e composições não estão descartadas, porém.

Confúcio 2022

Confúcio Moura com o jornalista Roberto Kuppê: governador de novo! Foto Marcelo Gladson

É pule de dez que o senador Confúcio Moura (MDB), será candidato ao governo de Rondônia. Vai tentar o terceiro mandato. Com oito anos de Senado, cinco a cumprir, Confúcio só tem a ganhar. A primeira suplente dele, a milionária Maria Eliza (MDB), vai dar a maior força.

É golpe?

O senador Confúcio Moura (MDB-RO) “sentou” a tinta no presidente Bolsonaro. “Mister X não está aí de brincadeira! Colocar tanques de guerra para desfilar fora de época nas proximidades dos prédios de todos os poderes??? É de lascar!!! Como segurar essa fera? Heinnnn??!!!! Nada o sensibiliza (a não ser armas e milícias)! E conta com uma estratégia de alienação massiva do povo baseada nos medos e no sofrimento. Intitula-se a única via salvadora e correta no meio político”. Ganhou pontos com a esquerda.

O vice dos sonhos

O ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB) está aguardando a acomodação das melancias no caminhão eleitoral. Ele que obteve quase 200 mil votos para o Senado, é um nome a ser considerado para vice-governador no caso do partido dele não lançar candidatura própria ao governo. O Senado Federal também não está descartado.

Nazif e Mariana no mesmo barco

Impensável, inaceitável, inusitado. Dois parlamentares, Mariana Carvalho (PSDB-RO) e Mauro Nazif (PSB-RO), antagônicos nas pautas políticas, se uniram pelo voto, para uma causa perdida: o voto impresso. Quem mais perdeu nisso daí, foi, sem dúvidas nenhuma, o socialista Nazif que foi bastante criticado nas redes sociais. Mariana nunca enganou ninguém: é bolsonarista de carteirinha. Por estes arroubos, serão punidos pelos respectivos partidos.

Expedito sozinho

O ex-senador Expedito Júnior (PSDB) vai acabar ficando com caminho livre, sem concorrentes à altura. Por enquanto, ele é o pré-candidato mais forte para o Senado Federal.

Rolando lero

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) é um dos mais criticados nas redes sociais. Defensor intransigente e ferrenho de Bolsonaro, ele não tem medo de perder popularidade. Pelo contrário, quanto mais falam dele, melhor para a candidatura dele ao governo de Rondônia. Se eleito, Rondônia vai perder mais quatro anos.

 

Nomes para a Câmara Federal

Com a queda da popularidade da bancada federal de Rondônia que bolsonarizou, as chances de renovação são enormes em 2022. Devem disputar as oito vagas os seguintes pré-candidatos: Ramon Cujuí (PT), Anselmo de Jesus (PT) ou Fátima Cleide (PT), Luiz Claudio (PL), Bosco da Federal (PTB), Fernando Máximo (Patriotas), George Braga (MDB), Roberto Kuppê (PT), Alessandra da Fetagro e Lionilda Simão do Sintero do PT.

Para a Assembleia Legislativa

Deputado estadual: Dr. Wellison Nunes (PDT), Dabson Bueno (MDB), Pimentel (MDB), Samuel Costa (PCdoB), Sid Orleans (PT), Hermínio Coelho (PT), Everaldo Fogaça (Republicanos), Wendell Mendonça (Cidadania), Edson Silveira (PT), Fatinha (PT), dentre outros.

Alexandre, O Grande

Uma força tarefa da Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira, 13 de agosto, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente do PTB. Por ordem do ministro do STF, Alexandre de Moraes, O Grande, o aliado de Bolsonaro foi preso por portar armas ilegais e postagens de conteúdos ofensivos à democracia.

Ricardo Barros

O líder do governo Ricardo Barros (PP-PR), é a cara da corrupção. É só olhar para ele e enxergar o DNA de Bolsonaro. Tem tudo para ser preso.

Por equipe do Mais Rondônia

Facebook Comments