Coluna Zona Franca

Confúcio

Se é Confúcio, é sábio. Não há a mínima chance do senador Confúcio Moura (MDB-RO) sair ao governo de Rondônia, em 2022. Os adversários podem ficar sossegados, porque ele não vai tentar o terceiro mandado. Moura é de longe o melhor parlamentar da bancada federal e o trabalho dele no Senado Federal é reconhecido em todo o Brasil. Mesmo assim ele não vai ficar longe das eleições do próximo ano. Como vice-presidente nacional do MDB, ele vai estar no centro das articulações posicionando o partido na sucessão presidencial. Na esfera estadual ele também vai dar sua contribuição.

Pacheco presidente?

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) está estimulando o colega Rodrigo Pacheco (DEM-MG) a sair à presidência da República em 2022. O presidente do Senado e quarto na sucessão presidencial, é natural de Porto Velho. Seria o candidato dos sonhos de Marcos Rogério, mais conhecido como Rolando Lero. Com uma atuação vexaminosa na CPI da Covid, só Pacheco na causa.

Precisa

E por falar em CPI da Covid, hoje a comissão ouve a Sra. Emanuela Medrades, diretora da Precisa Medicamentos, empresa que intermediou a venda da Covaxin. A Precisa foi responsável por fechar um contrato de R$ 1,6 bilhão com o governo federal para aquisição do imunizante.

Precisa 2

A Precisa está no olho do furacão da CPI da Covid. Com o aprofundamento das investigações, a CPI adentrou no quintal presidencial. Está mais do que claro e evidente a participação de Bolsonaro na mutreta.

Precisa 3

Acuadíssimo, quase sem apoio do Centrão e desconfiado de militares, Bolsonaro pediu perdão ao STF. Está falando fino agora. Efeito CPI da Covid que adentrou no quintal do Alvorada. Pior, no útero bolsonarista já que envolve a primeira dama, Michele Bolsonaro.

Bolsonaro debilitado

Com a CPI do Genocídio e as pesquisas tirando o seu sono, Jair Bolsonaro (Sem partido) não tem conseguido disfarçar nem mesmo dos apoiadores a fadiga e as indisposições gástricas. Na noite desta segunda-feira (12), Bolsonaro chegou cedo ao Palácio da Alvorada, com o dia ainda claro, parou para conversar com apoiadores, mas deixou o local após pouco mais de 17 minutos – pouco pelos padrões do presidente – após reclamar de uma crise de “soluço” que, segundo ele, já dura 12 dias. “Não estou aguentando falar mais”, disse Bolsonaro, de semblante em riste. “Estou há 12 dias com soluço”, emendou, pedindo permissão para ir embora sobre gritos de “mito”.

Mourão aquecendo

O vice-presidente general Antônio Hamilton Martins Mourão (PRTB), já está lustrando os coturnos e engomando a farda verde oliva para assumir a presidência, numa eventual renúncia ou afastamento de Bolsonaro.

Vacinados!

Cerca de 139 profissionais de imprensa da capital, foram vacinados na segunda-feira, 12, atendendo ao que determina a Lei 2.805/2021. Promulgada em maio, na qual os trabalhadores do setor foram incluídos nos grupos prioritários, a emenda foi apresentada pelo vereador Everaldo Fogaça (Republicanos), com apoio de entidades representativas da categoria. Foi um dos momentos mais marcantes da pandemia, com um significado ímpar: a união da ciência com a política, com resultados em vidas salvas.

Eleições emboladas

Ainda não há favoritos para a sucessão estadual em Rondônia. Com a ascensão do PT e o declínio da direita em nível nacional, graças ao fracasso do governo Bolsonaro, políticos do estado vão ter que se apoiar em outro líder nacional. Enquanto isso, o PT de Rondônia já pensa até em lançar candidatura própria para o governo do Estado. Nério Bianchini seria um dos primeiros nomes na lista de governadoráveis.

Jesualdo Pires

Outro nome forte da centro esquerda é, sem dúvida, o de Jesualdo Pires (PSB), ex-prefeito de Ji-Paraná. Com uma das maiores aprovações, a gestão do ex-prefeito foi destaque nacional na geração de empregos.

Facebook Comments