Coluna Zona Franca

Jogada de mestre

O PDT de Ciro Gomes já está colhendo os frutos da aquisição do marqueteiro João Santana (ex-Lula). Para atrair o eleitorado de Bolsonaro (anti-petistas), e assim se preparar para herdar os votos do presidente caso ele seja impitimado, Ciro Gomes agora é a favor do voto impresso, defendido por bolsonaristas. Em vez de bater diretamente em Lula, João Santana, maquiavelicamente vai transformando Ciro Gomes num novo e eventual “mito”. Está funcionando, pelo menos na mídia e nas redes sociais. É um dos assuntos mais comentados do final de semana.

Jogada de mestre 2

Coube ao presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, anunciar a adesão ao discurso do voto impresso. E não deu outra. Ele gerou polêmica nas redes sociais nesta quinta-feira (27) ao defender a proposta do voto impresso em vídeo publicado em seu perfil oficial. Na gravação, o dirigente pedetista afirmou que “sem a recontagem, a fraude impera”, o que gerou revolta nas redes.

 

Fora Bolsonaro

Acontecerá amanhã, em todo o País, manifestações pedindo mais vacinas, comida na mesa e Fora Bolsonaro. O evento está sendo organizado por várias entidades ligadas a esquerda. Em Rondônia, duas cidades constam como participantes. Guajará-Mirim, cuja concentração será as 9h30 no Parque Circuito, e Porto Velho, em frente à praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, às 8 horas.

Fora Bolsonaro 2

Levantamento do PoderData, braço de pesquisas do site Poder 260, divulgado nesta quinta-feira (27), mostra que o número de brasileiros que quer o impeachment do presidente Jair Bolsonaro bateu o recorde da série histórica e atingiu o índice de 57%. Há três meses, esse número era de 46%. Já o número dos que acham que Bolsonaro deve continuar no cargo despencou 10 pontos: eram 47% da população no último período analisado e, agora, são 37%.

Bolsonaro sitiado

Reportagem da revista britânica “The Economist” aponta que Jair Bolsonaro se rendeu ao clientelismo ao cooptar o apoio do centrão enquanto a sua popularidade despenca. “O apoio do Centrão nunca é gratuito”, destaca o texto. Nesta linha,  a publicação ressalta que “o governo distribuiu mais de R$ 20 bilhões por meio de emendas de relator” e que “pelo menos R$ 3 bilhões foram encaminhados por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) atendendo a indicações de parlamentares”.

Bolsonaro sitiado 2

“O escândalo, que a imprensa chamou de ‘tratoraço’, é a mais evidente prova até agora da participação de Bolsonaro na política clientelista. A situação se desdobra juntamente com um desastre de relações públicas ainda maior: uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga como o governo lidou com a pandemia. As duas crises demonstram como Bolsonaro tem se enfraquecido cada vez mais e como o Congresso”, destaca a reportagem. A informação é do Brasil 247.

Clonagem de Zap

O governo federal publicou hoje (28/05) a lei 14.155, que prevê punições severas para fraudes e golpes cometidos em meios eletrônicos. O texto altera o Código Penal brasileiro para agravar penas como invasão de dispositivo, furto qualificado e estelionato praticados em meio digital, além de crimes cometidos com o uso de informação fornecidas por alguém induzido ao erro pelas redes sociais, contatos telefônicos, mensagem ou e-mail fraudulento. As penas podem chegar até 8 anos de prisão, mais multas.

Clonagem de Zap 2

Entre ações criminosas que agora serão punidas com a lei estão as fraudes através de transações digitais, além dos golpes, como o da clonagem do WhatsApp, do falso funcionário de banco (quando o fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário de uma instituição financeira), e os golpes de phishing (quando criminosos tentam obter dados pessoais do usuário através de mensagens e e-mails falsos que o induzem a clicar em links suspeitos).

Caminho sem volta

Ou a CPI da Pandemia vira pizza ou o senador Marcos Rogério (DEM-RO) está “no sal”. Hiper mega criticado pela defesa alucinante de Bolsonaro na CPI, o senador evangélico estás nos trends topics de forma negativa. Toda hora sai algo contra ele nas redes sociais. Ontem o youtuber Felipe Neto fez mais uma crítica ao senador. O influenciador falou sobre a intervenção de Marcos Rogério, que tentou defender o presidente da República após uma crítica do também senador Randolfe Rodrigues. “Não pode falar de Jair Bolsonaro que o Senador Marcos Rogério fica totalmente ouriçado. É igualzinho um pincher”, declarou Felipe.

Eleições 2022

As próximas eleições gerais em 2022 ainda são uma incógnita e só tem um favorito para presidente da República: Lula. No estado de Rondônia, com eleitorado dominado por bolsonaristas, a coisa está feia para os defensores do presidente. Daqui a pouco eles começam a se afastar, mas não poderão tirar a tatuagem I Love Bolsonaro da testa. Dentre eles, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) que jogou por terra a possibilidade dele se eleger governador. O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), idem, que não conduziu bem a questão da pandemia. Nesse vácuo, o ex-governador e ex-senador Ivo Cassol (Progressistas) poderá emplacar o nome dele.

Marcos Rocha

Com o pior índice de vacinação do País, Rondônia é governada por um político alinhado ao presidente Bolsonaro. Relatório aponta que Rondônia tem a segunda maior taxa de mortes por Covid-19 em todo o país. Estudo foi realizado em conjunto entre TCE-RO e CGU. Documento aponta Pimenteiras do Oeste, Guajará-Mirim e Porto Velho como os municípios com a situação mais crítica no estado. Marcos Rocha é um dos piores governadores do Brasil. Foi um dos convocados a depor na CPI da Covid.

A esquerda tem chances

Com o favoritismo de Lula, a esquerda rondoniense começa a sonhar com a volta ao poder. O PT ou o PSB podem, pela primeira vez, ocupar a cadeira de governador. Ramon Cujuí ou Fátima Cleide, do PT e  Jesualdo Pires, do PSB, são os nomes mais fortes da esquerda para a disputa em 2022. O senador Acir Gurgacz (PDT), também poderá disputar pela esquerda, porém, com escassas chances.

Corrida ao Senado

Apenas uma vaga de senador em 2022. Devem disputá-la, os seguintes nomes: Jaime Bagattoli (PSL), Jaqueline Cassol (Progressistas), Anselmo de Jesus (PT) e Hermínio Coelho (PT).

Federal e estadual

Vários nomes estão circulando como potenciais candidatos a cargos eletivos, seja para a Câmara Federal, seja para a Assembleia Legislativa. Para Câmara Federal: Ramon Cujuí (PT), Anselmo de Jesus (PT) ou Fátima Cleide (PT), Luiz Claudio (PL), Bosco da Federal (PTB), Fernando Máximo (Patriotas), George Braga (MDB), Roberto Kuppê (PT), Alessandra da Fetagro e Lionilda Simão do Sintero do PT. Estadual: Dr. Wellison Nunes (PDT), Dabson Bueno (MDB), Pimentel (MDB), Samuel Costa (PCdoB), Sid Orleans (Cidadania), Everaldo Fogaça (Republicanos), Wendell Mendonça (Cidadania), Edson Silveira (PT), Fatinha (PT), dentre outros.

 

Por equipe do Mais Rondônia

Facebook Comments