Eleições 2022

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), deverá escolher até o final deste mês a sigla pela qual disputará a reeleição em 2022. Informações não confirmadas, porém, afirmam que Bolsonaro já se filiou ao PMB, Partido da Mulher Brasileira, que será renomeado como Partido do Meu Brasil. Hoje haverá no Rio, a Convenção Nacional do PMB, em que haverá mudanças no Estatuto, composição da nova Direção Executiva Nacional, assim como a oficialização da nova nomenclatura. Cogitava-se que o presidente filiar-se-ia ao Patriota e à Democracia Cristã. No entanto, o presidente manteve o que disse em outras oportunidades à imprensa, isto é, gostaria de estar em um partido pequeno, sem caciques, sem donos, ou seja, ele teria que ter o controle do partido para não ter os problemas que teve no Partido Social Liberal (PSL).

Lula lá, segundo Seleme

Colunista Ascânio Seleme, do Globo, diz que Lula vai fazer “o Brasil recuperar o prestígio que um dia teve no mundo”. “Ninguém, a não ser as forças mais retrógradas do país, quer dar mais um mandato ao capitão baderneiro. A experiência foi desastrosa politicamente e trágica do ponto de vista sanitário. O Brasil precisa recuperar sua saúde, sua economia, sua autoestima, o prestígio que um dia teve no mundo. Estes objetivos certamente seriam alcançados, em escalas diferentes, por Doria, Ciro ou Haddad. Os três são melhores, muito melhores do que Bolsonaro, sob qualquer ângulo que se olhe, e o derrotariam num segundo turno. Mas pelo que se desenhou com a decisão do STF, caberá a Lula a tarefa”.

Superpedido de impeachment

23 de abril de 2021 foi um dia histórico. Representantes políticos, religiosos, estudantis e de vários setores da sociedade civil, das mais diferentes correntes ideológicas, deixaram suas divergências de lado e se uniram em torno de uma causa que se mostra como a mais necessária e urgente para a sobrevivência da população brasileira: o impeachment de Jair Bolsonaro.

Superpedido de impeachment 2

Ao abrir o encontro, que ocorreu de forma virtual, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, ressaltou que a união de um grupo tão diverso ocorre por que existe essa “bandeira” em comum. “Não vamos discutir as diferenças, mas unificar quem não quer que o país continue nas mãos de quem não tem mais condições de governar”, propôs. Falando em seguida, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-RJ) se juntou a Siqueira na mensagem de união em torno do mesmo objetivo. “Os atos antidemocráticos, a violência a mulheres, jornalistas, a interferência na PF, no COAF; são muitos motivos pelo impeachment de Bolsonaro”, afirmou Frota.

Superpedido de impeachment 3

Participaram do encontro pessoas que, individualmente ou representando instituições das quais fazem parte, apresentaram pedidos de impeachment do atual presidente da República, que já somam 115 documentos entregues à Câmara dos Deputados. Além de parlamentares e partidos políticos, integram esse grupo membros de entidades como Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Movimento Brasil Livre (MBL), Federação Nacional de Estudantes de Direito (Fened), Coalização Negra por Direitos, Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), Coletivo de Favelas, Central de Movimentos Populares (CMP), União Nacional dos Estudantes (UNE), Coletivo de Advogados e Central Única dos Trabalhadores (CUT), entre outras.

Golpe X Vacinas

Os jornais de hoje trazem declaração do presidente afirmando que as forças armadas podem intervir em caso do que ele chama de “caos social” provocado pelas medidas de restrições. Uma forma simples de evitar o “caos” seria garantir auxílio de R$600 e vacinação para todos já!

Sputnik V

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), revelou nesta sexta-feira (23) que o governo Bolsonaro entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski que permite o estado aplicar a vacina Sputnik V a partir de quarta-feira (28), caso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não se manifeste até a mesma data a respeito de pedido de liberação protocolado no final de março. A movimentação jurídica de Brasília pode afetar também Ceará, Amapá e Piauí. Este movimento de Bolsonaro vai prejudicar Rondônia que adquiriu 1 milhão de doses da Sputnik V. A Anvisa decide na segunda, 26,  se autoriza a importação da Sputnik. Funcionários da agência estão na Rússia inspecionando as condições de produção do imunizante e voltam hoje,  sábado (24) , após uma semana de atividades.

Vacinas X Eleições 2022

Infelizmente, por mais que queiramos, não dá para dissociar a pandemia do jogo político. Até porque o próprio presidente da República politizou a maior tragédia sanitária já vivida no País. Coxinhas X Mortadelas virou coisa do passado. Agora é Vacinas X Cloroquina. Quem é de esquerda, defende vacinas, de direita, a Cloroquina.

Rondônia

Em Rondônia o governador Marcos Rocha, alinhado ao presidente Bolsonaro, deixou a Cloroquina de lado e agora disputa com o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, para ver quem traz primeiro um lote de vacinas extras para vacinar a população. Tendo saído na frente, Hildon Chaves viu naufragar o sonho de vacinar 100% os portovelhenses em dez dias. Estava tudo preparado para a “festa das vacinas”. Só não contava com o fato de estar sendo enganado por uma quadrilha que iludiu 20 prefeitos Brasil afora. Agora o governador ressurge como favorito a trazer 1 milhão de doses da Sputnik V.

Olha os prazos!

Na corrida eleitoral 2022 os prósperos pré-candidatos ao governo de Rondônia estão sonhando com um partido que os aceite. O negócio é que a negociata dos caciques que detém os números partidários no estados está deixando a desejar. Tem comissão provisória que venceu o prazo de renovação e muitos não serão renovados com os atuais nomes que se dizem donos dos partidos. Exemplos são os grandes partidos, cujos representantes em RO não se atentaram para a data e já perderam os prazos. Tem gente de olhos e mãos só aguardando o vacilo do PSL.

 

Nomes para 2022- Governo

Jesualdo Pires (PSB), Ramon Cujuí (PT), Jaime Bagattoli (PSL), Hildon Chaves (PSDB), Expedito Júnior (PSDB), Pimenta de Rondônia (PSOL), Marcos Rogério (DEM) e Ivo Cassol (PP) são alguns dos pré-candidatos ao governo de Rondônia, com Marcos Rocha disputando a reeleição.

Nomes para 2022- Senado/Câmara Federal

Senado: Expedito Júnior (PSDB), Fátima Cleide (PT), Heverton Aguiar (PL); Câmara Federal: Bosco da Federal (PTB), Roberto Kuppê (PT), Anselmo de Jesus (PT), Zequinha Araújo (MDB), Fernando Máximo (Patriotas), Lhano Adorno (PT), Hermínio Coelho (PT), Luiz Cláudio (PL), Cristiane Lopes (Podemos).

Nomes para 2022-Assembleia Legislativa

Dr. Welison Nunes (PDT), Everaldo Fogaça (Republicanos), Samuel Costa (PCdoB), Ramundinho Bike Som (PCdoB), Herika Fontenele(PL), Dabson Bueno (MDB), Williames Pimentel (MDB), dentre outros.

 

Por equipe do Mais Rondônia

Facebook Comments