Pandemia jurídica

Diante das novas conversas divulgadas que mostram o coordenador da Lava Jato agindo para interditar a soltura de Lula e pressionando a juíza Gabriela Hardt a acelerar a elaboração da sentença no caso do sítio de Atibaia, o jurista Lenio Streck não economizou palavras. De acordo com ele, o conluio montado entre os procuradores e o então juiz Sergio Moro “infectou” o sistema de Justiça. E apenas o Supremo Tribunal Federal (STF) é capaz de produzir um antídoto para recuperar a credibilidade do Poder Judiciário.

Pandemia jurídica 2

“Tudo isso é uma pandemia jurídica. É o ‘coronajuris’, a covid-Lava Jato. A única saída é o STF fazer uma vacina. Uma vacina para imunizar o sistema jurídico para o futuro. Só Supremo pode fazer algo que restabeleça a confiança e a credibilidade no sistema jurídico porque Moro e Deltan quebraram todos os protocolos, quebraram a confiança”, afirmou Streck.

Futebol e política

Além da virologia, ele também utilizou uma metáfora futebolística para explicitar os danos causados pela Lava Jato na credibilidade do sistema de justiça. “Quando você vai a um estádio, não imagina que tem uma conspiração contra o seu time. De repente descobre que o bandeirinha, o juiz, o VAR, todos estavam em combinação. Se a CBF não der um jeito nisso, como é que eu vou ao estádio?”, questionou.

Em tempo

Em diálogos enviados pela defesa do ex-presidente Lula ao STF, os procuradores da força-tarefa da Lava Jato discutem como evitar que Lula saísse da prisão após um habeas corpus concedido pela Justiça em julho de 2018. Trechos de mensagens apontam indícios de que a ministra Cármen Lúcia do STF, orientou membros da operação Lava Jato a manterem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva preso. Isso é grave!

Minha Mansão Minha Vida

O filho pródigo do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), comprou uma mansão em Brasília, equivalente a três triplex atribuído a Lula. Tudo pago, assinado e lavrada a escritura. Já no caso de Lula, ele apenas visitou o imóvel e não se interessou. Mas foi condenado e preso por isso. Como tudo neste atual governo, esse é mais um caso que vai parar embaixo do tapete.

Lula 2022?

A coluna duvida e aposta a vida de Bolsonaro que a justiça brasileira não vai permitir que Lula saia candidato à presidência da República em 2022. Não vai porque, se permitir, vai colocar em cheque todas as condenações fraudulentas que ocorreram nos últimos cinco anos. Seria uma confissão de culpa. Isso fora as pressões palacianos e do Congresso Nacional, formada, a maioria, por notórios corruptos.

“Bolsonaro é a tempestade perfeita pros corruptos. Vão deitar e rolar. Depois põe culpa no PT. Dá nada não”

Em Rondônia

Expedito e Marcos Rogério: juntos em 2022

A coluna faz uma leitura do momento atual da política rondoniense. Não há dúvidas de que cinco políticos vislumbram o governo do Estado. Na ordem, Hildon Chaves (PSDB), Marcos Rogério (DEM), Expedito Júnior (PSDB), Jesualdo Pires (PSB), Jaime Bagattoli (PSL) e Ramon Cujuí (PT). Daqui para lá poderá até surgir uma terceira via nesta pandemia política, mas estes nomes acima, são os da ordem do dia.

Chapão governista

Os três primeiros nomes da lista acima poderão se juntar e formar um chapão. Segundo fontes, seria assim: “Hildon Chaves para o Senado, Marcos Rogério para o governo e Expedito Júnior, vice-governador”. Tem sentido.

Chapão esquerdista

Por outro lado, outro chapão formar-se-ia: “Jesualdo Pires, governador; Ramon Cujuí, vice-governador e Mauro Nazif, senador”. Tá morta a cobra.

Dr. Welison Nunes

O nome do advogado Dr. Welison Nunes (PDT), ex-candidato a prefeito de Nova Mamoré, cresceu tanto que correligionários cogitam até lançá-lo à deputado federal em vez de estadual. Até porque não atrapalharia a reeleição do deputado estadual Jair Montes (Avante), que o apoiou em Nova Mamoré. E também porque o PDT não tem nenhum nome forte para a Câmara Federal.

Os federais

Bosco da Federal (PTB), Breno Mendes (Avante), Fabrício Jurado (DEM), Padre Ton (PT), Cláudia de Jesus (PT), Fátima Cleide (PT), Luiz Cláudio (PL), Ieda Chaves (PSDB) e até a A reitora da Universidade Federal do Rondônia (UNIR), Marcele Pereira (sem partido), foto, são nomes cotados para a Câmara Federal.

 

Vacinas, vacinas e vacinas!!!!

A coluna encerra com o alerta sobre o que virá por aí. Seguindo neste ritmo, com o presidente negacionista dando as ordens para manada, em 2021 chegaremos a 1 milhão de mortos. Segundo o próprio ministério da Saúde, poderemos ter três mil mortes por dia. É só multiplicar por nove meses e veja o assustador resultado: 810 mil. Mais 260 mil: 1 milhão e setenta mil mortes. Esse quadro só poderá mudar com vacinação em massa, como fez Israel, por exemplo.

Israel

Segundo a Our World In Data, Israel diminuiu em 98% a mortalidade por COVID-19 entre os vacinados. Não caia no papo da galera que prefere enterrar a mãe do que admitir que Bolsonaro está errado! O presidente está levando milhares de amigos, correligionários e simpatizantes a cometerem suicídio ao segui-lo. Suicídio sim, porque ao andar pelas ruas sem máscaras está pedindo, implorando para pegar o vírus mortal.

Lockdown

O resultado de todo esse negacionismo e omissão do presidente Bolsonaro é isso daí: aumento absurdo de casos e mortes. Se, somente se, as autoridades sanitárias brasileiras tivessem tomado todas as medidas necessárias, como prevenção através de exigência absoluta ao isolamento, uso de máscaras e comprado vacinas, o cenário seria outro, de menos gravidade. Bolsonaro está atrapalhando aquilo que ele mais quer preservar: a economia. Não se faz economia forte com gente morta. Será que ele ainda não entendeu?

Ó, Deus!!!

Diante de toda essa tragédia, qual o recado de Deus para o mundo? “Ah, vão se ferrar negacionistas, poluidores, desmatadores, corruptos. salafrários, hereges, hipócritas, usurpadores, insensíveis, mercadores da fé”. Amém!

 

Por equipe do Mais Rondônia

 

Facebook Comments