Por Roberto Kuppê (*)

Caso Fátima Cleide: perseguição?

Fátima Cleide fora da disputa?

Vice líder na maioria das pesquisas- só no Ibope teve uma queda-a candidata ao Senado, Fátima Cleide (PT) vive seu dia de Lula: sofrimento e sensação de injustiça no ar. Animada, com a possibilidade de até superar o líder Confúcio Moura (MDB) na reta final, eis que o TRE-RO dá uma rasteira na democracia. Retiraram do pleito uma candidata ficha limpíssima, por conta de um mero detalhe do segundo suplente dela, que foi indeferido. O caso subiu para o TSE. Que se faça justiça.

Quem herdaria os votos?

Fátima e Jesualdo Pires

Os adversários dela estão comemorando. De Raupp a Bagatolli, a notícia do indeferimento da candidatura de Fátima Cleide caiu como uma bomba no meio político. Mas, se for confirmado pelo TSE, quem herdaria os votos de Fátima? Em busca desta herança estarão Raupp (MDB), Jesualdo Pires (PSDB), Aluízio Vidal (Rede) e Marcos Rogério (DEM). Como não poderia deixar de ser, o nome mais à esquerda seria o candidato Jesualdo Pires que já disputava o segundo voto com ela.

Expedito Netto, 100 mil votos!

Apostei com um jornalista e articulista um jantar no Bacarat ( o mais caro restaurante de Porto Velho, Rondônia), que Expedito Netto (PSD) teria de 60 a 100 mil votos. Seria o mais votado destas eleições. Justificativa: é filho do líder nas pesquisas ao governo, Expedito Júnior (PSDB); votou contra todos os projetos bizarros de Michel Temer; e, porque, o predador de votos da região central do Estado, Marcos Rogério (DEM) não disputa a reeleição, preferindo a aventura ao Senado Federal. Marcos Rogério deixou 60 mil eleitores órfãos para federal. Expedito Netto está assumindo estes eleitores que certamente votarão nele. Bruno Holanda, dono do Bacarat, que nos aguarde.

 

 

 

 

 

Pela família desempregada!

Estes deputados federais acima, votaram contra o trabalhador. Quatro deles, disseram que defendem a família. Com defendem a família, se votaram a favor da reforma trabalhista que colocou nas ruas milhões de pais de família? Destes acima, Capixaba renunciou e Marcos Rogério disputa o Senado. Como devem ter notado, apenas Expedito Netto não consta nesta lista de traidores do povo.

Marcos Rogério Bolsonaro

Gesto ridículo e absurdo de um evangélico

Muito criticado o evangélico Marcos Rogério, candidato ao Senado, por tentar pegar carona no líder das pesquisas para presidente, Jair Bolsonaro. É sabido que o Bolso não transfere votos para ninguém. Haja vista os ínfimos 4% do candidato Marcos Rocha, candidato ao governo pelo PSL. Marcos Rogério fez aquele gesto macabro, imitando arma com as mãos. Trágico!

 

 

Comemorando conquistas

Há um ano, o governo Confúcio Moura conquistava o prêmio como Estado número 1 Em inovação na gestão pública! Graças às metas estabelecidas pelo ex-governador e fortemente perseguidas pela equipe de governo, Rondônia era destaque na bolsa de valores de São Paulo, concorrendo com todos os estados da nação.

Vai pastar, pastor!

Um pastor de uma das milhares denominações evangélicas, ligou para um candidato ao governo de Rondônia, pedindo R$ 600 mil para apoia-lo. O candidato disse não! Então o pastor disse: “vou procurar outro candidato”. Ele foi visto lá pelas cercanias do candidato emedebista, Maurão de Carvalho.

 

Nota de Repúdio

A falta de decência se manifesta em ver os políticos de carreira dizerem que agora vão trabalhar pelo povo quando deveriam ter trabalhado antes. Repudiamos a falta de responsabilidade dos políticos pelos eleitores,basta de tanta humilhação contra o nosso povo.

Raimundinho Bike Som

 

 

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

 

Facebook Comments