Coluna do RK- Bastidores da política nacional e regional

0
1455


Por Roberto Kuppê (*)

Deu a lógica

A Coluna do RK acertou que Expedito Júnior (PSDB) sairia na frente na primeira sondagem do Ibope. Dissemos ontem que se prevalecesse a tendência eleitoral, o candidato ao governo dos tucanos sairia na frente. Mas, estava escrito nas estrelas que isso ia ocorrer. Era só sentir a pulsação do eleitorado rondoniense. O eleitor de Rondônia é diferente do eleitor do Acre, do Amazonas, enfim do próprio Norte. O eleitor de Rondônia pensa como o eleitor de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Rondônia é formada por gente dessa região do Sul do País, eminentemente de direita.

Análise do JP

O cientista político João Paulo Viana postou ontem nas redes sociais sua análise sobre o primeiro resultado do Ibope para Rondônia. “Dizem que Expedito Junior (PSDB) é um cavalo paraguaio na eleição ao governo estadual. Larga na frente para perder no final. Na verdade, poucos políticos em Rondônia tem tanto apoio popular como ele. Há quase 10 anos sem mandato, e mesmo com duas derrotas ao governo, o indivíduo consegue se manter como um dos maiores puxadores de voto do Estado. Com um Acir Gurgacz (PDT) ameaçado pela justiça eleitoral e um Maurão de Carvalho (MDB), que mesmo com toda forca emedebista ainda não decolou, parece que chegou a hora de Expedito”, disse JP Viana, que acrescentou: “Vinicius Miguel (Rede). Gravem esse nome. Será a grande novidade da eleição rondoniense ao governo. Ate porque nem sempre somente o primeiro colocado em uma eleição e o único vitorioso da disputa”. O candidato de Marina Silva em Rondônia teve uma pontuação tímida no Ibope.

Análise de Vidal

O candidato ao Senado, Aluízio Vidal (Rede) analisou o fraco desempenho de Vinícius Miguel na pesquisa: “Campanha exige que a população conheça o candidato. Não temos dinheiro para expor o Vinicius Miguel, mas certamente o debate e o dia a dia farão com que Rondônia veja todo o seu potencial”. Certamente que sim. Já o próprio candidato da Rede disse que o Ibope errou nas últimas eleições em Rondônia.

Pimenta neles!

Quarto lugar na pequisa do Ibope, Pimenta de Rondônia (PSOL) obteve ontem mais uma vitória. Em decisão unânime Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO) entendeu que o PT está impedido de coligar com outras legendas, tendo ficado registrada na ata do julgamento que isso se dá em razão do “descumprimento pelo órgão de direção estadual de diretriz legitimamente estabelecida pelo órgão de direção nacional”. A decisão da Executiva Nacional havia proibido o PT local de se coligar com outras legendas que não fosse o PSOL e o PC do B.

Surpresa: Fátima em segundo no Ibope!

O Ibope fez um levantamento sobre o desempenho dos candidatos ao Senado Federal. A candidata do PT, Fátima Cleide, já aparece em segundo lugar, ou seja, seria uma das eleitas. Confirmada a tendência, Confúcio Moura (MDB) aparece em primeiro lugar. Com 25%, Fátima seria eleita hoje a segunda senadora de Rondônia. A performance da candidata petista é um reflexo da tendência nacional. O candidato à presidência da República Lula, está em primeiro em todas as pesquisas. Ele transfere votos.

Ivo Cassol

Senador Ivo Cassol

O ex-senador Ivo Cassol (PP-RO) tentou suspender os efeitos da condenação
criminal sofrida nos autos da AP nº 565/RO, especificamente quanto à suspensão dos seus direitos políticos e inelegibilidade, até o julgamento de mérito do RE 601.182/MG ou até o
julgamento de mérito do presente pedido incidental pelo órgão colegiado competente. A ministra Carmen Lúcia decidiu pelo início da execução da pena foi determinado em razão do trânsito em julgado da presente ação penal, como decidido pelo Pleno do Supremo Tribunal Federal, não havendo se cogitar de suspensão dos efeitos da condenação. Quanto à determinação de suspensão dos direitos políticos do condenado, o caso concreto foi enfrentada pelo colegiado no julgamento do mérito desta ação, como consta, expressamente no voto de Carmen Lúcia,  acompanhado, no ponto, pela unanimidade dos Ministros. Fim da linha para Cassol.

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments