Coluna do RK- Bastidores da política nacional e regional

0
1717


Por Roberto Kuppê (*)

Convenções partidárias

A coluna abre com as convenções partidárias na ordem, por datas. A primeira convenção marcada para o dia 28 de julho, sábado, será a do MDB. Nela será homologado o nome do deputado Maurão de Carvalho ao governo de Rondônia. Também deverão ser referendados os nomes de Confúcio Moura e Valdir Raupp, ao Senado. Há possibilidades de incêndio nesta data. Ânimos inflamados.

Quem será o candidato?

Jesualdo Pires, ex-prefeito de Ji-Paraná

Já no dia 29 de julho, domingo, será a do PDT com o PSB, PP e PR. Nesta data, o nome do senador Acir Gurgacz (PDT), poderá ser homologado ou não, ao governo de Rondônia. O destino de Gurgacz está nas mãos do ministro Alexandre de Moraes, do STF.  Caso dê ruim para AG, a segunda opção seria o nome do governador Daniel Pereira (PSB), mas corre por fora e forte, o nome de Jesualdo Pires (PSB). Neste dia também serão aprovados os nomes de Jesualdo Pires e Carlos Magno (PP) ao Senado Federal.

PT lança Paulo Benito

Paulo Benito é pré-candidato ao governo do PT

No dia 2 de agosto é a vez do PT de Rondônia realizar sua convenção. Os nomes de Paulo Benito e Fátima Cleide deverão ser aprovados ao governo e ao Senado, respectivamente. No PT há dois votos discordantes: Padre Ton e Roberto Sobrinho desejam fechar com o PDT.

PPS-Rede lançam Vinícius

No dia 3 de agosto é a vez do PPS e a Rede realizarem convenção conjunta. Neste dia o nome de Vinícius Raduan Miguel será referendado ao governo de Rondônia.  E Aluízio ao Senado Federal.

Mariana Carvalho de vice na chapa de Expedito Junior

E, a última convenção será no dia 5 de agosto, do PSDB, que decidiu pelo ex-senador Expedito Júnior. A novidade será a indicação de Mariana carvalho à vice-governador. O jornalista político Sérgio Camarotti em suas análises sobre a movimentação politico-eleitoral afirmou na Rádio CBN que a visita de Alckmin e lideranças do tucanato a Rondônia teve um objetivo central: convencer a deputada federal e liderança feminina no Congresso, Mariana Carvalho a compor chapa puro sangue com Expedito Júnior. A turma do PSDB está tão determinada na dobradinha que até FHC será acionado para a consolidação. Rondônia é um dos pouquíssimos estados que o PSDB garante conseguir eleger o governador, razão essa da empreitada do tucanato nacional na aliança Mariana-Expedito. Só tem um problema, Camarotti: O PSDB vem com o DEM e com o PSD.

 

Alckmin trocou SP por Rondônia

Aconselhado a concentrar esforços para crescer em São Paulo antes do início da propaganda eleitoral de rádio e TV, Geraldo Alckmin deixou de comparecer a ato da campanha de João Dória e Rodrigo Garcia em São José do Rio Preto, com lideranças de todo o interior do Estado, para vir a Ji-Paraná (RO), no último sábado. O ato em Rio Preto, base eleitoral de Garcia, teve a presença de 3.000 pessoas e 120 prefeitos. Um dos problemas da campanha de Alckmin é justamente engajar políticos do interior para que defendam seu nome. Ele havia sido chamado para se juntar a Dória e Garcia, mas alegou que a viagem ao Norte já estava previamente marcada.

 

Ivo desbocado

O ex-senador Ivo Cassol (PP-RO), acha que está abafando falando palavrões e proferindo frases com erros gravíssimos de português. “Ah, mas ele é um homem simples”. Simples, mas tem que ter educação e respeitar as pessoas que estão ouvindo o que ele fala. Muitas pessoas, até parentes dele mesmo, ficaram constrangido (a)s.

Fátima Cleide em segundo

Ex-senadora Fátima Cleide

Uma fonte da coluna confidenciou que o ex-governador Confúcio Moura aparece sempre em primeiro lugar nas pesquisas. Em segundo, Fátima Cleide divide o eleitorado com Jesualdo Pires e Valdir Raupp.

Isolado

Tudo leva a crer que o deputado estadual mais atuante de Rondônia, Léo Moraes (Podemos), deverá ser candidato ao Senado Federal nas eleições de 2018, pois sua candidatura ao cargo de deputado federal está totalmente inviabilizada por falta de nominata ou coligação. Deste modo só resta a ele essa opção que seria a mais viável e sensata. Apesar dos inúmeros convites para ser candidato a vice governador, ter uma candidatura própria seria a melhor opção no momento.

PHS poderá ser protagonista

Articulações em curso para composições com vistas à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados. O partido PHS de Rondônia, presidido pelo empresário Samir Damião, deverá realizar uma grande composição para a eleição de deputado federal e estadual, a qual apresenta uma excelente nominata para ambos os cargos em especial a Câmara dos Deputados.

Conheçam alguns nomes para federal;

Leilane Farias (Porto Velho)
Samir Damião ( Porto Velho)
Professor Yuri (Nova Mamoré)
Messias Fernandes (Machadinho)
Thiagão 9 (Porto Velho)
Professora Mirian Lula (Cacoal)
Aroldo Costa (Porto Velho)
Carlos Rosa (Ariquemes)
Edmilson Dourado (Porto Velho)
Obadias (Alto Alegre)

*Totalizando aproximadamente 50 mil votos

Já o pleito de estadual PHS terá como candidatos;

De madrugada, o home já está nas ruas da Zona Sul

Raimundinho Bike Som (Porto Velho)
Júnior Cavalcante (Porto Velho)
Irma Fogaça (Cacoal)
Rosivaldo Paiva Paiva (Vilhena)
Edmar Kapiche (Cacoal)
Duarte (Vilhena)
Dr. José (Porto Velho)
Toco do Sticero (Porto Velho) e outros nomes ainda não divulgados.

Tudo leva a crer que haverá coligação do PHS com demais partidos a exemplo do PSC, PV, PTC, PROS, PSC, PATRIOTAS e PCdoB.

Olakson Barbosa

Excelente nome da Rede Sustentabilidade para deputado federal. Professor Olakson Pedrosa está crescendo perante a comunidade acadêmica e população em geral.

Luciana Oliveira

A pré-candidata a deputada estadual pelo PSB, Luciana Oliveira, está firme rumo à Assembleia Legislativa de Rondônia. Tem recebido centenas de adesões. Está hiper otimista. É um dos nomes fortes do PSB.

Detalhe final: os 10% do quociente eleitoral

Precisamos ainda falar de uma pequena inovação da reforma eleitoral promovida em 2015 pelo Congresso Nacional. A nova regra aplicada nas eleições de 2016 e também na 2018, determina que o candidato ao cargo proporcional precisa obrigatoriamente alcançar uma votação de pelo menos 10% do quociente eleitoral para que possa ser eleito. Em Rondônia a média para deputado federal deverá ser aproximadamente de 10 mil votos. Quanto ao cargo de deputado estadual, mínimo 3.500 votos. Explicando melhor: A coligação para fazer um deputado federal, vai precisar fazer 103 mil votos que é o resultado da divisão de mais ou menos 830 mil votos válidos pelo número de cadeiras, ou seja, oito. Para estadual, 830 mil votos válidos divididos por 24 cadeiras, que dá 35 mil votos. Sendo que cada candidato deverá fazer no mínimo 10% deste valor. Entendido? Fonte: Samuel Costa.

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista politico

Facebook Comments