Coluna do RK- Bastidores da política nacional e regional

0
3487
Roberto Kuppê, no Comitê de Imprensa do Senado, em 2006


Por Roberto Kuppê (*)

Cargo é do partido

Alguns pré-candidatos do PSL-RO ainda não entenderam que cargos e mandatos pertencem ao partido. Não só a Lei dos Partidos mas legislações do TSE e STF reafirmam isto. Tais candidatos comportam-se como tantos outros, almejando a criação de feudos antes mesmo de alcançarem a legitimidade pelo voto. Parece que querem transformar o partido naquele jogo infantil, “Escravos de Jó”, ao querer controlar o andamento do jogo. O Secretário-Geral do PSL, José Armando Bueno, confirmou o que a coluna apurou, e acrescentou que “em breve o partido definirá seus pré-candidatos que, efetivamente, têm compromisso com o partido e o grupo, e vai excluir aqueles que estão contaminados pelas metástases que transformaram a política num clube de amigos e negócios. Acrescento que alguns destes que já identifiquei, têm íntimas ligações, pra dizer o mínimo, com líderes de outros partidos, e estão infiltrados para, apenas, usufruir da ampla votação de legenda que será proporcionada pelo nosso presidenciável Jair Bolsonaro. Já perderam”, enfatizou

Bike Som

A coluna abre sua segunda notinha com o pré-candidato a deputado estadual pelo PHS, Raimundinho Bike Som. A Zona Sul de Porto Velho poderá eleger um líder comunitário que realmente trabalha em prol da população. A humildade em pessoa. Acorda cedo e vai tomar café com o povão. Esse não tem medo de gente. Bike Som é suplente de vereador. Obteve cerca de 1.500 votos. Por mais 20 não estaria sofrendo algumas humilhações e perseguições. Avante, guerreiro.

Luciana e a vaquinha

A pré-candidata a deputada estadual pelo PSB, Luciana Oliveira, estreou o sistema de captação de recursos financeiros homologado pelo TSE. Você pode doar de R$ 10 a R$ 1 mil reais. É assim. Você entra no Mais RO Eleições 2018, no canto direito tem um banner. Clica lá e faça sua doação. Luciana merece estar entre os 24 deputados estaduais eleitos.

Jodan, governador

Esta semana o noticiário político relevante foi para o PSL, que lançou seu pré-candidato ao governo, o empresário do agronegócio José Atílio Martins, o JODAN, de Rolim de Moura. Primeiro, na terça, um vídeo gravado com Bolsonaro arrebatou de impacto as redes sociais, em esmagadora maioria aprovando o nome, ainda que pouco conhecido. Na quinta, a primeira entrevista ao vivo no programa Conexão Rondoniaovivo, do jornalista Paulo Andreoli, conhecido por suas posições radicais anti-Bolsonaro. Nela, JODAN causou surpresa, mais por seus pensamentos diretos e bem focados na realidade do estado, do que por sua natural simplicidade. Surgiu no tabuleiro um pré-candidato que, parece, vai agradar mais do que os bolsonarianos. Assistam a entrevista na íntegra:

Nanicos: fazemos qualquer negócio

Os partidos nanicos e pequenos na disputa eleitoral em Rondônia, cerca de uma dúzia, talvez pouco mais, parecem preferir uma relação de poligamia ostensiva e pública, ainda que sejam mal falados. Com frequência as mesmas siglas aparecem nos balões de ensaio das coligações, causando espanto apenas ao eleitor. Líderes destes partidos e seus pré-candidatos, parece que já se acostumaram com esse jogo promíscuo de serem oferecidos a qualquer um que, claro, pague a rodada. Já se sabe que isto está próximo do fim, com a entrada em cena das cláusulas de desempenho. Alguns destes nanicos em Rondônia serão riscados do mapa após 7 de outubro. E vão levar políticos em mandato não reeleitos e pré-candidatos mortos no leito das urnas.

 

DP-PSB

Hoje o governador de Rondônia, Daniel Pereira, tem um compromisso inadiável com o diálogo. Vai estar no encontro estadual do PSB em Pimenta Bueno, berço político do deputado estadual Cleiton Roque, líder do governo na Assembleia Legislativa. No encontro, os caciques do partido, dentre eles Mauro Nazif e Jesualdo Pires, vão expor suas propostas para as eleições deste ano.

Jesualdo Pires

Super cotado para o Senado e até para o governo de Rondônia, o ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB) tem recebido adesões em todo o Estado. É referência quando o assunto é administração municipal. Falando em JP, ele anda meio assim assado com DP.

DP para RK

O governador Daniel Pereira ligou para este jornalista para informar que o PSB não está dividido e que estão mais unidos do que nunca nestas eleições. O que está havendo, segundo DP, é que PSB, PDT e MDB precisam caminhar juntos nestas eleições. É pela manutenção deste grupo político que ele está lutando. Corretíssimo!

Corra, ZD!

O articulista recebeu informação da assessoria de José Dirceu, de que ele não vai se refugiar numa embaixada como quer a maioria dos amigos e correligionários. Aos amigos mais próximos, ele repetiu ontem mil vezes que não ia fugir. Que iria cumprir a pena injusta que lhe fora imposta por Sérgio Moro, o juiz dos tucanos. Chega de heroísmo, ZD. Corra! O fascismo está só começando. Não há salvação senão com luta armada! Obs: ZD tem até às 17h de hoje para se entregar na PF de Brasília.

Qual o erro de ZD?

O maior erro de ZD (na foto com este jornalista)foi prestar serviço e receber por ele, através da JD Consultoria. Pelo que ele se arrepende profundamente. À luz da Lava Jato, ele teria recebido propina em forma de consultoria. E por ser petista de carteirinha, cada raio que cai dos céus é contabilizado para aumentar a pena dele.

Tacla Duran

O “erro” de Zé Dirceu, nem de longe equivale ao erro da esposa de Sérgio Moro, Rosângela Moro, que teria recebido de Tacla Duran (advogado da Odebrecht) a quantia de R$ 5 milhões para ajeitar uma sentença. Isso sem falar naqueles que cobram uma fortuna por um “pedido de vistas”.

Lei de Bolsonaro

Quem nunca deu uma palmada no bumbum de uma criança e não se arrependeu? Quem proferiu esta célebre frase foi o pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), para tentar justificar a matança de esquerdistas autorizadas pelo ex-presidente general Ernesto Geisel. Matar o jornalista Vladimir Herzog, por exemplo, equivale a uma palmada no bumbum. Matar Marielle Franco foi um peteleco na orelha?

O PT sendo PT

Edson Silveira, liderança histórica do PT

O PT de Rondônia, pelo menos uma expressiva ala, não está de acordo com as políticas neo liberais do governador Daniel Pereira, ex-petista, sindicalista e atualmente num partido também de esquerda, o PSB. Acontece que ser pedra é uma coisa, ser vidraça é outra. DP passou de pedra para vidraça e por isso corre risco de trincar. O PT iniciou conversas com alguns partidos com foco na construção de uma proposta alternativa para Rondônia. O debate avança rapidamente. “A máquina gerencial parou diante de um governo de transição fraco e incapaz de produzir ações transformadoras, conforme documento a ser apresentado no Diretório. Confúcio saiu defendendo o Estado Mínimo, fim da estabilidade dos servidores, precarização dos direitos trabalhistas, terceirização das atividades do Estado, abandono da saúde, educação e segurança”, disse Edson Silveira, líder da rebelião petista.  “Daniel, ao apoiar o ex-governador sem questionamentos, entra numa pauta neoliberal que é antagônica ao PT ( e outros partidos). Afinal, nós sempre lutamos por pautas sociais a serviço do benefício de todos”, alertou o dirigente. O PT deverá debater essa tensão em reunião estadual e o assunto, provavelmente, deverá gerar debates acalorados de conclusões incertas. O encontro do PT está programado para o próximo dia 26 de maio, em Ji-Paraná.

 

Fé demais!

O vereador Ronildo Macedo (PV) reagiu indignado à oração feita pelo pastor Dionaldo Pereira, durante evento promovido na manhã desta quinta-feira, 17, para confirmar a permanência da ex-prefeita Rosani Donadon (MDB). Ao abençoar a candidata, o religioso pediu proteção para ela e disse que “o inimigo” estaria usando a justiça e os adversários para persegui-la. Macedo disse que o religioso não deveria usar seu ministério para abordar questões políticas: “Ele deveria ficar envergonhado: prega a Palavra de Deus, mas ao mesmo tempo ta aí defendendo gente com vários condenados na família”, disparou o parlamentar. O vereador disse que Dionaldo recebia portaria com salário de R$ 4.500 na gestão de Rosani, o que seria o motivo de misturar religião com política em favor de sua candidata. “Minha mãe tem 72 anos, é fiel da Assembléia de Deus, e ficou horrorizada com essa pregação”.Ronildo finalizou: “Ao apelar para uma baixaria, insinuando que o ‘inimigo’ tem influência sobre a justiça, esse tal Dionaldo deveria lembrar que o juiz eleitoral que indeferiu Rosani também é pastor evangélico”.

Turma da tornozeleira

Em relação ao indeferimento do registro de candidatura da chapa encabeçada por Rosani Donadon nas eleições suplementares de Vilhena, a decisão de suspensão do registro é de um juiz de primeiro grau. Com base na Súmula Vinculante do STF e no Regimento Interno do TSE cabe recurso especial ao TRE em Porto Velho e, persistindo o indeferimento do registro, por último o recurso junto ao TSE. “Na minha avaliação enquanto jornalista que acompanha o universo informativo jurídico e político a tese que poderá prevalecer no deferimento da liminar é a mesma sustentada pela defesa de Demóstenes Torres que teve permissão do STF para registro de sua candidatura nas eleições de 2018.  A possibilidade jurídica da chapa encabeçada por Rosani Donadon de ser candidata às eleições suplementares é alta e certa”, avaliou Vick Bacon.

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments