Por Roberto Kuppê (*)

Eleições 2020

A paca está morta? Ainda não. Não se pode contar com o ovo no orifício da galinha. Não em se tratando de política. Muitos candidatos derrotados tinham certeza de que iriam ser eleitos, mas, na hora H, o eleitor furtivamente mudou de voto e elegeu outro. Aconteceu aqui, ali, em todos os lugares. Bom, isso vale pros dois candidatos, Hildon Chaves (PSDB) e Cristiane Lopes (PP). No debate realizado ontem pela TV Rondônia (Globo), faltou gasolina. Também, com os preços nas bombas. O debate não pegou fogo e todos saíram ilesos, como entraram.

O debate

Como sempre Hildon Chaves entrou nervoso mas se aprumou no meio do debate. O tempo todo Cristiane Lopes estava atenta e pronta para atacar. Mas, não atacou como a maioria esperava. Se comportou como uma dama e não quis polemizar. Se fosse uma luta de boxe, o juiz teria dado empate técnico.

Ibope

Parece que o Ibope não mandou ninguém fazer a pesquisa em Porto Velho. Maquiaram aqui e ali, mas repetiram todos os números, inclusive os decimais. Sim, os números da pesquisa de ontem são os mesmos do dia 21 de novembro, sem tirar nem por. Sou mais o Phoenix que cravou que Cristiane Lopes iria para o segundo turno. Todos os institutos davam como certo o Vinícius Miguel (Cidadania), inclusive este que vos escreve. Na realidade, VM está no segundo turno, mas, apoiando HC.

Mulher na prefeitura

Não será dessa vez que a capital de Rondônia, com 60% de sua população do sexo feminino, vai eleger uma prefeita? Segundo o Ibope, não vai. Mas, segundo o Google Trends, Cristiane Lopes é a candidata mais pesquisada na internet. Ou seja, há muito interesse em torno do nome dela.

Mulher na prefeitura 2

Faltou aquele grito que todo flamenguista gosta de ouvir: “Cadê a galera do Flamengo?”. Só trocar para: “Cadê a galera feminina?”. Se Cristiane Lopes não for eleita restará provado de que mulher não vota em mulher e que o feminismo é uma falácia. Ainda dá tempo para repensar o voto, porém.

Eleições 2022

Como diria o articulista Robson Oliveira, “é pule de dez” que o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves,  se reeleito, vai disputar uma cadeira no Senado Federal ou o governo do Estado. A prefeitura ficará nas mãos do possível vice, Maurício Carvalho (PSDB), que, como prefeito, poderá “doar” aquela área onde está a FIMCA para o grupo educacional do pai, Aparício Carvalho. É para isso que servem os filhos, uai.

Eleições 2022- 2

Nomes que cresceram para 2022. Não há dúvidas de que Vinícius Miguel (Cidadania), Ramon Cujuí (PT), coronel Ronaldo Flores (SDD), Samuel Costa (PCdoB), Cristiane Lopes (PP) e até o Breno Mendes (Avante) são nomes certos na próxima disputa eleitoral. Não para o governo e nem para o Senado. Para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Dos candidatos a vereador que não se elegeram, vão despontar em 2022: Luciana Oliveira (PT), Bosco da Federal (PTB), Dabson Bueno (MDB) e Alisson Carreiro (PSDB).

E a pandemia?

Parece que acabou ou todo mundo ligou a tecla “f-se”. O fato é que o coronavírus estámais vivo do que nunca e ceifando a vida de milhares por dia em todo o País. Ontem, o governo de Rondônia publicou decreto com mais restrições e reclassificando Porto Velho para a fase 3.

Medidas na Fase 3

O retorno das aulas presenciais agora é a partir da 3ª fase, antes era somente na 4ª fase. Assim como os cinemas, teatros e museus que podem funcionar na fase 3 com 50 % da capacidade, não podendo ter consumo de alimentação e bebidas dentro do ambiente
de salas e instalações; Serviços de eventos e afins não podem funcionar nos municípios que estiverem na 1ª e 2ª fase, mas pode na 3ª fase, com limitação de capacidade de 200 pessoas, e na 4ª fase a limitação de 50%. Agora os templos de qualquer culto tem o prazo até o dia 31 de dezembro de 2021, para se regularizar junto ao Corpo de Bombeiros, podendo funcionar com capacidade de 50%. Autoriza o funcionamento de alguns estabelecimentos na 3° fase: i) balneários, com capacidade máxima de 50%; ii) bares com capacidade máxima de 50%, não excedendo até às 23h; iii) cinemas, teatros e museus, com capacidade de 50%, sendo vedado o consumo de alimentação e bebidas dentro do ambiente de salas e instalações; Os estabelecimentos comerciais, independentemente da Fase que estejam enquadrados, devem fixar na entrada do estabelecimento, de forma visível, a quantidade permitida em termo absoluto de pessoas atendendo a limitação
mencionada neste Decreto; e Por fim, os gestores dos estabelecimento comerciais qualificados na sua razão social, como bares e restaurantes, deverão promover somente a sua atividade fim, sendo expressamente vedadas as apresentações artísticas ao vivo e as atividades dançantes no salão.

Conclusão das medidas

Importante deixar claro que os municípios que retroagiram, em especial PVH, foi devido ao aumento de casos ativos e ocupação de leitos. Porém o Estado preocupado em conciliar o combate à progressão do vírus , sem esquecer da economia, remanejou algumas atividades da fase 4 para a fase 3 com medidas Sanitárias.

 

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments