Por Roberto Kuppê (*)

Boulos, Benedita & Manuela

As trêss maiores capitais brasileiras estão prestes a serem governadas pela esquerda. Aquela esquerda que privilegia os direitos dos pobres, dos descamisados, dos desalentados, desempregados e excluídos. Guilherme Boulos (PSOL) em São Paulo, Manuela D’Ávila (PCdoB) em Porto Alegre  e Benedita da Silva (PT) no Rio de Janeiro, significam a volta do povo ao poder.

E os assassinos dos PMs?

A coluna levanta uma questão. E os assassinos dos PMs em Rondônia, há um mês e dias, já foram realmente pegos? As investigações continuam ou estão colocando panos quentes, abafando o caso?

Bolsonero

O presidente da República, Jair Bolsonaro, age de caso pensado a cada absurdo que solta em lives, entrevistas e em pronunciamentos oficiais. Minha mãe dizia sabiamente: “Fulano quer ver o circo pegando fogo para ir na fumaça”. É o caso. Bolsonaro quer o caos para abafar o maior escândalo político do século (petrolão, mensalão, Lava Jato são fichinhas). A ascensão de uma verdadeira quadrilha formada pela família dele. Com o beneplácito de outra quadrilha: o Centrão amparado por Rodrigo Maia (DEM-RJ). Com o STF com tudo. Plim plim.

Lula gigante

Os ex-presidentes Lula, Dilma e a esquerda (PT, PSOL, PCdoB, PDT, PSB) lutam bravamente para romper com essa tragédia que se abateu no Brasil. Nestas eleições eles estão de volta com os mesmos discursos que enganaram 57 milhões de eleitores em 2018: “Deus, pátria, família, conservadorismo”. Tudo papo furado, como já vimos. De Deus não tem nada. De pátria só entreguismo. De família, só a dele. Conservadorismo, da corrupção.

Desenganados

A prova de que o discurso da moralidade era uma farsa veio meses após a posse do presidente. Eleitos sob as asas do bolsonarismo, os governadores João Dória (SP) e Wilson Witzel (RJ) romperam com Bolsonaro. Deputados e senadores bolsonaristas também deixaram o grupo porque não sustentaram permanecer na mentira. Nas eleições de 2020 eles conseguirão enganar de novo os eleitores? Parece que não.

Mudanças

Porto Velho está entre as 15 das 25 capitais, cujos eleitores desejam mais mudança que continuidade na administração do município, segundo o Ibope. Dados tabulados pelo G1 a partir das pesquisas aplicadas pelo Ibope em 25 capitais mostram que em 15 delas o percentual dos eleitores que desejam mudanças é superior ao grupo dos que preferem manter o que é feito pela atual administração do município. O maior percentual de eleitores que preferem a mudança é registrado no Rio de Janeiro, capital cujo prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), que concorre à reeleição, também apresenta alto percentual de rejeição. Em Porto Velho Lindomar Garçon é o que tem índice de rejeição mais alto, com 49%. Hildon Chaves tem 34% de rejeição, o segundo percentual mais alto.

Ibope hoje

Uma última pesquisa do Ibope está sendo esperada para hoje, quarta-feira. Na expectativa porque a pesquisa é um norte, uma orientação, que as vezes erra, no entanto. Na anterior, Hildon Chaves (PSDB) e Vinícius Miguel (Cidadania) figuraram entre os dois primeiros lugares, ou seja, estariam no segundo turno. Em se mantendo a tendência, Porto Velho poderá mudar de prefeito em 1 de janeiro de 2021, porque a capital, segundo o Ibope, quer mudanças.

 

Debate amanhã

Acontece amanhã o último e decisivo debate entre os principais candidatos a prefeito de Porto Velho, incluindo Williames Pimentel (MDB). A expectativa será os embates entre Ramon Cujuí (PT), Breno Mendes (Avante), Vinícius Miguel (Cidadania), Eyder Brasil (PSL)  e Samuel Costa (PCdoB) que vão jogar no ventilador aquilo que o gato enterra. Hildon Chaves (PSDB) está se preparando para lutar contra os quatro cavaleiros do Apocalipse. Tic tac tic tac.

Alguns candidatos a vereadores por Porto Velho

A coluna informa o nome de alguns bons candidatos a vereadores de Porto Velho: Dabson Bueno (MDB), Barbosinha (PL), Joelson (PCdoB), Tiago Lins (Cidadania), Cris Cézar (PSD), Bosco da Federal (PTB), Arnaldo Buiú (PSD), Arimar Sá (Republicanos), Antônio Sávio (PDT), Cliver Heron (PV), Daiana Huff (MDB), Dr. Samir Coimbra (Avante), Fernando do Sintero (PT), Francimar Simão (PT), Geraldo Lima (PT), Giovana Barros (PT), Itamar (PT), Itamar Gurgel (DEM), José Ironildo (PT), Moisés Ribeiro (PT), Professor Garivaldo (PT), Raimundo Nonato da CUT (PT), Ricca San (PT), Renata Evans (Cidadania), Silvia Sadeck Soares (Republicanos), William Homem do Tempo (Podemos), Rosa Negra (PT), Paula Vlasak (PT),

Chicão,ativista cultural de Rondônia

Chicão Santos (PSB), Chiquinho do Sintax (Avante), Marisa Amorim (PL).

 

Em Guajará

Em Guajará-Mirim, terra deste colunista, o candidato a vereador João Guinho (PV) vai muito bem e caminha para a eleição. Será a diferença na Câmara dos Vereadores. Ativista social, defensor dos indígenas, do meio ambiente e da população carente, João tem uma vasta folha de serviços prestados à comunidade.

Em Nova Mamoré

Na reta final, não tem para ninguém lá em Nova Mamoré. O candidato que disparou, pegou pressão, é Dr. Welison (PDT). Com Tamaninho como vice, Dr. Welison agrada a todos pela simplicidade e capacidade. Será realmente uma grande aquisição para a população de Nova Mamoré.

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments