Por Roberto Kuppê (*)

Eleições 2020

Mesmo à distância, a Coluna do RK acompanha pari passu cada candidato a prefeito de Porto Velho, Ji-Paraná e Guajará-Mirim. E também a performance de alguns candidatos a vereadores. Despontam como favoritos, segundo o Ibope, Hildon Chaves (PSDB) e Vinícius Miguel (Cidadania). A coluna observou que a artilharia dos candidatos menos cotados está direcionada para VM. O sistema de defesa de VM, por seu turno, está atenta e revida com vitórias nos tribunais.

Ted, Vini e Breno

Fim da linha. O registro da candidatura de Ted Wilson (PRTB) foi indeferido pelo TRE. Já as de Breno Mendes (Avante) e Vinícius Miguel (Cidadania) continuam em julgamento. As demais foram deferidas. O TRE tem até o dia 26 para julgar todos os pedidos de registros.

 

Em Ji-Paraná

O PSB de Jesualdo Pires perdeu a indicação do vice-prefeito, mas continua na coligação, que tinha Marcito (PDT), como candidato a prefeito de Ji-Paraná. O PDT indicou Caudal e Anaru. A coligação “Ji-Paraná não pode parar”, tem: PDT / PL / PSB / PSDB / DEM / PSD / SOLIDARIEDADE.

Em Cacoal

Sai Glacione (não da prisão) e entra Vasques (DEM), para a prefeitura de Cacoal. Cacoal vive momentos de instabilidade política. A coligação “Cacoal seguindo em frente” tem: MDB / PSC / SOLIDARIEDADE / PATRIOTA / PTB / PSL / DEM.

Cláudia de Jesus

Em Ji-Paraná, a candidata petista à prefeitura, Cláudia de Jesus, está sofrendo fake news, como o esperado. Dona de uma ficha limpíssima,

 

Ramon & Samuel

Os candidatos a prefeito de Porto Velho, Ramon Cujuí (PT) e Samuel Costa (PCdoB), estão mais preocupados em apresentar propostas do que atacar adversários. Esse papel eles deixaram para o franco atirador Breno Mendes (Avante), que vira e mexe está criando fatos políticos para alavancar a candidatura dele. Falando em BM, ele se intitula Fiscal do Povo. Mas, se eleito ele não poderá ser mais o fiscal do povo, pois passará a ser fiscalizado pelos vereadores, os verdadeiros fiscais do povo.

Renda beradeira

Aproximadamente 40% da população brasileira ou 80 milhões de pessoas não têm garantia de renda no país – ou seja, não têm acesso a condições de vida digna ou a formas de subsistência. Esse foi um dos argumentos discutidos na manhã desta terça (20) no encontro virtual em que foi lançada a Bancada da Renda Básica. Mais de 70 candidatos a deputados e vereadores às eleições municipais deste ano, de capitais e cidades do interior dos estados, aderiram a essa articulação nacional, cujo objetivo é promover políticas públicas que defendam a segurança de renda. Em Porto Velho, o candidato Ramon Cujuí (PT) lançou a moeda beradeira, parte do programa social de transferência de renda para a população da capital de Rondônia.

Bosco e Dabson

Dois candidatos a vereador por Porto Velho estão sendo pontuados em pesquisas de opinião pública. Bosco da Federal (PTB) e Dabson Bueno (MDB). Grandes chances de eleição. Bosco goza de prestígio em várias camadas da sociedade. Já Dabson Bueno, um dos melhores candidatos do MDB nestas eleições, tem mostrado que será um vereador diferenciado, caso eleito. Ele tem defendido a inclusão social com desenvolvimento.

Vereadores indeferidos

Falando em Bosco da Federal, o registro da candidatura dele foi indeferido, mas ele disse à coluna que está resolvendo uma simples pendência de documento. Estão indeferidas as candidaturas de: Márcio Miranda (PL), ficha suja; Chiquinho do PT, ficha suja; Cardosão do Aplicativo (Cidadania), documentação; Clotildes Brito (PSB), documentação; Bola Som (PSDB), documentação; Jair Monteiro (PSC),ficha suja; Márcio Pacele (PSB), documentação; Josias Perito (PSB), documentação; Pastor Geovani (PTB), documentação; Professor Felipe (PCdoB), ficha suja; Sid Orleans (Cidadania). ficha suja; e Walter Walternberg (MDB), falta de requisitos para registro.

Entre as mulheres

Por incrível que pareça, as candidatas mulheres estão despontando mais que os homens para vereador em Porto Velho. Hérika Fontenele (PL), Luciana Oliveira (PT), Giovanna Barros (PT), Sílvia Soares (Republicanos), são as mais comentadas.

Nomes de candidatos vereador Porto Velho

A coluna informa o nome de alguns bons candidatos a vereadores de Porto Velho: Dabson Bueno (MDB), Barbosinha (PL), Joelson (PCdoB), Sid Orleans (Cidadania), Tiago Lins (Cidadania), Cris Cézar (PSD), Bosco da Federal (PTB), Anísio Gorayeb (PSB), Arnaldo Buiú (PSD), Arimar Sá (Republicanos), Antônio Sávio (PDT), Cliver Heron (PV), Daiana Huff (MDB), Dr. Samir Coimbra (Avante), Luciana Oliveira (PT), Hérika Fontenele (PL), Fernando do Sintero (PT), Francimar Simão (PT), Geraldo Lima (PT), Giovana Barros (PT), Itamar (PT), Itamar Gurgel (DEM), José Ironildo (PT), Moisés Ribeiro (PT), Professor Garivaldo (PT), Raimundo Nonato da CUT (PT), Ricca San (PT), Renata Evans (Cidadania), Silvia Sadeck Soares (Republicanos), William Homem do Tempo (Podemos), Rosa Negra (PT), Paula Vlasak (PT), Chicão Santos (PSB), Chiquinho do Sintax (Avante), Marisa Amorim (PL), e Chiquinho do PT (PT).

Se afastou

O alto clero do Congresso Nacional dominado pelo DEM, vai proteger o senador afastado Chico Rodrigues (DEM-RR). Ele se afastou por 121 dias e quem assume é o filho dele. PQP! Desculpem o palavrão. Mas, essa moda é antiga. O ex-senador Ivo Cassol (PP-RO) tinha como primeiro suplente o pai, Reditário Cassol. É uma pouca vergonha, é. Mas, a lei permite essas bizarrrices. Enquanto isso viramos piada no mundo. Bom para o humor.

 

Vereador Cagado

E por falar em partes íntimas, tem um vereador em Rondônia de nome Cagado, que vai à reeleição. O presidente do MDB de Rondônia, deputado Lúcio Mosquini, apresentou em horário nobre o candidato dele a vereador: Cagado.

 

Boi bombeiro

Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Tereza Cristina (Agricultura), têm dito que se regiões como o Pantanal tivessem mais gado teriam sido menos afetadas por incêndios. Levantamento da UFMG provou exatamente o contrário. Cidades com maior rebanho tiveram mais queimadas no Pantanal. O que impede o fogo, ministros, é, por exemplo, não diminuir verba de combate a incêndios.

Tiro no pé

Produtores de alumínio no Brasil foram surpreendidos com o aumento de 15% para 145% da tarifa de importação cobrada pelos americanos em sua produção. Mais uma medida do governo Trump que gera prejuízo ao Brasil, reduz renda e emprego em nosso país. Isso na semana em que o Brasil atende aos pedidos dos EUA para pagar mais caro na tecnologia 5G, barrando ideologicamente a compra de serviços chineses. É a política externa brasileira de Bolsonaro.

A volta da esquerda

A esquerda ganhou as eleições na Bolívia, França, Portugal, Argentina, Holanda, Guiné Bissau e Nova Zelândia. Falta ganhar no Chile, EUA e em 2022 no Brasil. Sintomático. A direita não sabe governar.

Ser comunista

Falando em esquerda, os direitistas chamam de comunistas aqueles que querem o bem estar da comunidade. Que querem comida para todos. Que querem moradia digna para todos. Que querem educação e saúde pública gratuita para todos. Isso é o que eles chamam de ser comunista. Jesus que repartiu o pão e o peixe foi comunista então?

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments