Por Roberto Kuppê (*)

Sem muleta

Em Jaru, apenas dois candidatos disputarão o pleito, por enquanto. O atual prefeito João Gonçalves Júnior  (PSDB) e o apresentador Sebastião Santana (PRTB). É que o terceiro candidato, Amauri das Muletas (PTB), teve a candidatura impugnada pelo TRE por ser ficha suja. Muleta sendo Muleta.

Presidiária candidata

A presidiária Glaucione Rodrigues (MDB), continua candidata a prefeita de Cacoal (RO). Não renunciou ainda. Mas, por motivos que a coluna desconhece, quem renunciou foi o Professor Alex, do DC. Em Ji-Paraná Marcito (PDT), também preso, renunciou. O PDT o substituiu por Julian Cuadal.

Nando MottaBolsonarista com dinheiro na cueca

Ah, que maravilha, viver num Brasil sem corrupção. Só que não. O deputado federal bolsonarista, Chico Rodrigues (DEM-RR), foi flagrado com dinheiro na cueca, entre as nádegas, ou seja, enfiada no orifício anal. Chico Rodrigues é aquele senador que deu cargo no gabinete para o Índio, primo namorado de Carluxo Bolsonaro. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse para o senador Chico Rodrigues, que os dois tinham “quase uma união estável”. A frase de Bolsonaro foi uma resposta ao fato de Rodrigues ter mencionado, no vídeo, que ambos eram amigos havia mais de 20 anos na Câmara dos Deputados. O senador do DEM foi afastado por 90 dias.

Cabide federal

Chico Rodrigues emprega (va) em seu gabinete um sobrinho de Bolsonaro, Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio. Ele tem (tinha) cargo em comissão de assessor parlamentar e, no mês de setembro, recebeu salário bruto de R$ 22.943. Foi exonerado ontem. Que governinho, hein? E há quem jura combater a corrupção, defendendo esse governo de m.

Contando vantagem

Tem muitos candidatos citando Bolsonaro como exemplo de honestidade e se apoiando nas disputas Brasil afora. O candidato a reeleição à prefeitura do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), enche a boca para dizer que tem o apoio de Bolsonaro e repete os mesmos chavões demagogos: “Deus acima de todos e Brasil acima de tudo”. Cara de pau, Crivella quase foi cassado por corrupção. Outro que está usando Bolsonaro para se eleger senador em eleição suplementar no Mato Grosso é o deputado federal José Medeiros (Podemos): “Sou postulante ao senado em Mato Grosso, já apresentei provas de lealdade e de que sou candidato do presidente @jairbolsonaro. Estaria mentindo se dissesse que sou da oposição, que sou independente. Apoio 100% esse governo”.

Doze CPFs cancelados

A coluna não gosta deste termo, mas, como se trata de milicianos, vamos abrir uma exceção. 12 milicianos foram mortos ontem, no Rio de Janeiro, durante um confronto com a polícia. Fortemente armados, os milicianos estavam em três carros. 12 CPFs e títulos de eleitores cancelados. Menos 12 votos para Crivella. É para louvar de pé.

Artur do Val, demagogia pura

O candidato a prefeito de São Paulo, Artur do Val (Patriotas), o famoso Mamãe Falei, que diz não receber verba pública( fundo eleitoral), usa assessores da Assembleia Legislativa na campanha. Vai ter que mudar o apelido para “Mamãe mamei”.

 

Noble preso

O delegado da Polícia Federal, Wallace Fernando Noble, que prendeu ilegalmente o Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva (foto), 76 anos, ex-presidente da Eletronuclear, foi preso no Rio de Janeiro por sob a acusação de vender proteção aos grandes criminosos. Advogados atuavam como intermediários, vendendo proteção a empresários e repartindo a propina com policiais como Noble. O almirante Othon, preso ilegalmente pela Lava Jato, tem uma enorme folha de serviços ao país, principal responsável pelo domínio que o Brasil passou a ter sobre uma fonte de energia relevante, a nuclear. O inquérito de Othon foi aberto a partir de informações entregues à Lava Jato por uma advogada do Departamento de Justiça americano, que até um ano antes servira ao maior escritório de advocacia que atendia a indústria nuclear americana. O delegado chegou ao apartamento da Othon e alertou que, se não abrisse a porta, ela seria arrombada. Indignado, Othon reagiu. Com dois pontapés, Noble arrombou a porta. Segundo ele, Othon teria avançado sobre a equipe. O valente Noble, com a ajuda de um agente, derrubou e algemou o Almirante, que gritava que, na condição de vice-almirante da Marinha, deveria haver no mínimo um vice-almirante no local. Preso, algemado e era apenas uma operação de busca e apreensão. Noble respondia ao então juiz Sérgio Moro. É mais um capítulo da enorme degradação do sistema judicial brasileira com a parceria pornográfica entre juízes, delegados e repórteres.

Somos Biden

Joe Biden, agora franco favorito para a eleição dos EUA em novembro, está indicando que a preservação da Amazônia será uma prioridade de seu governo, se vencer Trump. Posição indica confronto com governo Bolsonaro. A coluna é Biden desde criancinha.

30 anos: Olavo Pires

Hoje fazem 30 anos do assassinato do senador Olavo Pires (PTB). Parece que foi ontem. Ele foi assassinado no momento em que disputaria o segundo turno para o governo de Rondônia, em 1990. Até hoje os mandantes não foram identificados. Este colunista sempre lembra da data porque trabalhou na campanha de OP nas eleições de 90. A campanha daquele ano foi marcada pelo terror, de lágrimas e de tensão. Traições de pessoas, dentro da campanha. Olavo não era flor que se cheire, mas assassina-lo, daquela forma, para tira-lo da disputa foi covardia.

Eleições 2020

As eleições 2020 darão o tom de como estará o tendência para 2022. Vamos falar de Rondônia. Dificilmente o governador  Marcos Rocha (sem partido) será reeleito. A queda iminente de Bolsonaro será fator preponderante. Com a reeleição de Hildon Chaves (PSDB) sob risco (*), o partido estará fraco nas eleições em 2022. A esquerda (PT, PSOL, PCdoB e PDT) precisa eleger vereadores e prefeitos para poder respirar em 2022. (*) A iminente eleição de Vinícius Miguel (Cidadania) à prefeitura de Porto Velho foi detectada pelos números do Ibope. VM está em segundo nas pesquisas, mas num confronto no segundo turno os demais candidatos e o eleitorado destes poderão migrar para ele.

Coluna acerta sempre

A Coluna do RK dificilmente erra em seus prognósticos que são baseados em estudos de tendências e fatos. E contra fatos não há argumentos.

Mauricinho

Mauricinho Favelado-MF - Home | FacebookDa coluna do Carlos Sperança (Diário da Amazônia): “Os adversários do prefeito Hildon Chaves (PSDB) afirmam que o alcaide escolheu mal o seu vice, instalando uma chapa puro sangue. Argumentam que o vereador Maurício Carvalho é uma nulidade e enterrou a candidatura ao governo de Expedito Junior na capital em 2018 e vai fazer a mesma coisa com o tucano. Na formação de uma chapa puro sangue realmente ocorreu um equívoco do alcaide pois deixou de se reforçar a aliança com outros segmentos do eleitorado”. No caso, os adversários aplaudiram a escolha. Deixou de escolher dois bons nomes: Tiago Tezzari (PSD) ou Fabricio Jurado (DEM).

Ramon 1%

Uma pena que o eleitorado ainda não tenha tomado conhecimento do Plano de Governo do candidato à prefeito de Porto Velho, Ramon Cujuí (PT). Um dos melhores, com destaque para a transferência de renda. Ramon fez pontuação mínima no Ibope. Porém, está empatado com Vínícius Miguel, com a menor rejeição. Isso é bom, porque demonstra que Ramon poderá crescer nas próximas pesquisas. Ramon terá que ser mais enfático e levar suas propostas nas periferias de Porto Velho. Pimenta de Rondônia (PSOL) e Samuel Costa (PCdoB) também marcaram apenas 1% no Ibope.

Nova Mamoré

Com Dr.Welison Nunes prefeito e Tamaninho vice, Nova Mamoré terá uma gestão de oportunidades que irá fazer o possível para facilitar a criação e a entrada de novas empresas no município através de uma gestão austera, inovadora, dinâmica e eficiente. Pelo volume da campanha e da aceitação, é favorito.

Pimentel

O candidato a prefeito de Porto Velho, Williames Pimentel (MDB), aposta nas subprefeituras para melhorar a forma de administrar. “Essa cidade se governa com a sociedade, a comunidade participando. É por isso que as subprefeituras serão criadas e em cada quadrante da subprefeitura haverá um conselho comunitário fiscalizador das ações da prefeitura naquele conjunto de bairros. E o prefeito irá se reunir com a comunidade de 4 em 4 meses para prestar contas da arrecadação, das despesas e acima de tudo de linhas de ações”, disse.

Pimenta de Rondônia

Já o candidato Pimenta de Rondônia (PSOL) aposta na administração participativa na Capital: “No meu programa de governo eu falo que eu quero fazer uma administração participativa. Queremos celebrar o Congresso do Povo. Como vai funcionar? A população e os vereadores vão participar do Congresso do Povo, aonde nós iremos discutir o orçamento da cidade e as melhorias”.

Samuel Costa

A preocupação de Samuel Costa (PCdoB), é com o desemprego em Porto Velho: “Nós iremos implementar em nossa cidade um programa chamado Meu Emprego de Volta que tem por finalidade levar linha de crédito de até R$ 5 mil para os microempreendedores, os MEIs, os autônomos, os desempregados que estarão fazendo curso de capacitação em parceria com o Sistema S, Fecomércio e etc, e através do Banco do Povo liberar esse dinheiro para as pessoas empreenderem e conseguirem ter o mínimo de dignidade em suas residências”.

Nomes de candidatos vereador Porto Velho

A coluna informa o nome de alguns bons candidatos a vereadores de Porto Velho: Dabson Bueno (MDB), Barbosinha (PL), Joelson (PCdoB), Sid Orleans (Cidadania), Tiago Lins (Cidadania), Cris Cézar (PSD), Bosco da Federal (PTB), Anísio Gorayeb (PSB), Arnaldo Buiú (PSD), Arimar Sá (Republicanos), Antônio Sávio (PDT), Cliver Heron (PV), Daiana Huff (MDB), Dr. Samir Coimbra (Avante), Luciana Oliveira (PT), Hérika Fontenele (PL), Fernando do Sintero (PT), Francimar Simão (PT), Geraldo Lima (PT), Giovana Barros (PT), Itamar (PT), Itamar Gurgel (DEM), José Ironildo (PT), Moisés Ribeiro (PT), Professor Garivaldo (PT), Raimundo Nonato da CUT (PT), Ricca San (PT), Renata Evans (Cidadania), Silvia Sadeck Soares (Republicanos), William Homem do Tempo (Podemos), Rosa Negra (PT), Paula Vlasak (PT), Chicão Santos (PSB), Chiquinho do Sintax (Avante), Marisa Amorim (PL), e Chiquinho do PT (PT).

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments