Por Roberto Kuppê (*)

                   Assanhadinha, esperta: começou mal

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), postou um vídeo no Facebook nesta terça-feira no qual desmente categoricamente a vereadora Cristiane Lopes (PP), que havia divulgado como de sua iniciativa obras nos bairros Conceição e Flamboyant, na capital. Oposição a Hildon Chaves na Câmara, Cristiane tentou faturar politicamente com a retomada, pela prefeitura, das obras de drenagem e asfaltamento  no Flamboyant. Em tom de desabafo, o prefeito disse que as obras do Conceição e Flamboyant foram de iniciativa do Executivo Municipal, não tendo nenhuma atuação de Cristiane Lopes, que, ao contrário, vinha trabalhando na Câmara contra a Prefeitura. HC deve anunciar se sai à reeleição somente após o carnaval.

 

Candidata do Cassol

Cristiane Lopes é pré-candidata à Prefeitura de Porto Velho com o apoio do grupo político do ex-senador Ivo Cassol, que, apesar de inelegível por estar condenado judicialmente por fraudar licitações em Rolim de Moura na época em que era prefeito, quer voltar a dar as cartas na política e pretende conquistar, por meio da vereadora, a prefeitura da capital, projeto político apoiado pela deputada federal Jaqueline Cassol, irmã de Cassol. As informações são do site Tudo Rondônia.

Capitalista X Comunista

O professor Samuel Costa, pré-candidato a prefeito de Porto Velho pelo PCdoB, arrumou briga com, ninguém, nada mais, nada menos que Luciano Hang, o Veio da Havan. Luciano Hang é defensor do Governo Bolsonaro, enquanto Samuel Costa, esquerdista de carteirinha, defende o ex-presidente Lula e o PT. Hang ingressou no 1º Juizado especial Criminal contra Samuel Costa acusando-o de crimes de calúnia, injúria e difamação nas redes sociais. O juiz Gilberto Gil de Oliveira agendou audiência de tentativa de conciliação para o dia 6 de março deste ano, no Fórum Desembargador César Montenegro, em Porto Velho. A briga entre Luciano Hang e o portovelhense Samuel Costa começou quando o empresário colocou uma faixa num avião com a inscrição Lula Ladrão. A intenção era percorrer o Brasil divulgando a faixa. De Porto Velho, Samuel fez uma postagem, que se tornou viral na internet, com mais de cinco mil compartilhamentos, devolvendo a ofensa e chamando Luciano Hang de ladrão. Para Samuel, seria o caso de “um ladrão falando do outro”. O jornalista, professor e ativista rondoniense diz que Luciano Hang possui uma condenação judicial de 15 anos e oito meses de prisão por crimes contra o sistema financeiro e a ordem tributária, que incluiriam sonegação de imposto e evasão de divisas. Com informações de OObservador.com

MDB em crise

O clima azedou entre os dois candidatos que disputam o controle do MDB no município de Porto Velho. Williames Pimentel e o deputado Jean Oliveira já não dividem a mesma mesa.

Fabrício vem aí…

O pré-candidato a prefeitura de Porto Velho, advogado Fabrício Jurado (DEM), tem hoje reunião com o senador Marcos Rogério, em Brasília para tratar da candidatura dele. Em seguida viaja para São Paulo, onde, na sexta-feira, sábado e domingo  participará do módulo avançado do RenovaBR. Fabrício foi o único rondoniense aprovado na última fase do curso, depois de competir com 31 mil inscritos no processo seletivo no ano passado. Ele e mais 620 alunos formados no RenovaBR Cidades 2019 vão iniciar nesta semana uma nova etapa avançada do curso. O objetivo é aprofundar ainda mais a formação e capacitação de futuros candidatos a vereadores e prefeitos. “É a maior escola de política do Brasil”, disse Fabrício à Coluna do RK.

CPI da Energisa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa retoma seus prazos após o fim do recesso parlamentar, marcado para o próximo dia 18. O relator, deputado Jair Montes (Avante), garante que serão convocados os membros da bancada federal, os diretores da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e, por fim, os gestores da empresa. A CPI foi criada em 29 de setembro do ano passado e próximo dos 90 dias de prazo, o relator poderá pedir 30 dias de prorrogação. Além de Jair, integram a CPI os deputados Alex Redano (presidente), Ismael Crispim (vice-presidente), Cirone Deiró e Edson Martins, membros.

Papa defende a Amazônia

A Exortação pós-sinodal sobre a Amazônia foi publicada nesta quarta-feira (12/02). O documento traça novos caminhos de evangelização e cuidados do meio ambiente e dos pobres. Francisco auspicia um novo ímpeto missionário e encoraja o papel dos leigos nas comunidades eclesiais. A Amazônia querida apresenta-se aos olhos do mundo com todo o seu esplendor, o seu drama e o seu mistério.” Assim tem início a Exortação apostólica pós-sinodal, Querida Amazônia. O Pontífice, nos primeiros pontos, (2-4) explica “o sentido desta Exortação”, rica de referências a documentos das Conferências episcopais dos países amazônicos, mas também a poesias de autores ligados à Amazônia. Francisco destaca que deseja “expressar as ressonâncias” que o Sínodo provocou nele. E esclarece que não pretende substituir nem repetir o Documento final, que convida a ler “integralmente”, fazendo votos de que toda a Igreja se deixe “enriquecer e interpelar” por este trabalho e que a Igreja na Amazônia se empenhe “na sua aplicação”. O Papa compartilha os seus “Sonhos para a Amazônia” (5-7), cujo destino deve preocupar a todos, porque esta terra também é “nossa”. Assim, formula “quatro grandes sonhos”: que a Amazônia “que lute pelos direitos dos mais pobres”, “que preserve a riqueza cultural”, que “que guarde zelosamente a sedutora beleza natural”, que, por fim, as comunidades cristãs sejam “capazes de se devotar e encarnar na Amazônia”.

Lula com Papa

Acompanhado do ex-ministro Celso Amorim, dos advogados Cristiano Zanin e Manoel Caetano, o ex-presidente Lula embarcou em um voo comercial na tarde desta terça-feira (11) para o Vaticano onde vai se encontrar com o Papa Francisco. O ex-presidente foi o último passageiro a embarcar na aeronave que seguiu de São Paulo para Roma. A informação é da colunista Bela Megale, do jornal O Globo. O encontro de Lula com o pontífice está marcada para quinta-feira, no Vaticano, e foi articulada pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández.

(*) Roberto Kuppê -e jornalista e articulista político

Facebook Comments