Por Roberto Kuppê (*)

                                       Marcelo Freixo 

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) confirmou neste sábado (9) sua pré-candidatura às eleições de 2020 para a prefeitura do Rio de Janeiro com o apoio do PT. Ele defendeu também a construção de uma aliança nacional da esquerda para as disputas municipais. Mas, não é simples assim. Freixo vai ter que enfrentar resistências dentro do próprio PSOL. Arestas deverão ser aparadas para que a esquerda possa, finalmente, governar a cidade do Rio de Janeiro e levar à população pobre melhores condições de vida. Atualmente pobres estão sendo criminalizados, principalmente a população negra.

                                          Mariele Franco

Ontem, durante discurso no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP), o ex-presidente Lula cobrou a solução do Caso Marielle que está envolto em mistério. A família Bolsonaro foi envolvida na trama porque foi divulgado que o porteiro citou o nome do presidente da República.

Carluxo adulterou a cena do crime

Após a citação de Jair Bolsonaro, Carluxo, o 02, foi correndo na portaria do condomínio Vivendas da Barra, verificar os áudios no arquivo do computador. Por que?  Só ele sabe. Em 22 de janeiro de 2019, o celular do ex-policial militar Ronnie Lessa piscou: surgiu na tela uma foto do livro de visitas ao condomínio Vivendas da Barra, onde ele morava. Lessa estava em liberdade, mas já era suspeito de matar a vereadora carioca Marielle Franco, em 14 de março do ano anterior. Em 30 de outubro, Bolsonaro atingiu seu recorde diário de menções no Twitter durante o mandato presidencial, 1,6 milhão. Naquela manhã, como reação à reportagem do JN, o vereador Carlos Bolsonaro divulgou dois vídeos, o primeiro às 6h42 e o segundo às 9h26, ambos exibindo a tela do computador da administração do condomínio, com a relação de ligações telefônicas feitas da portaria do Vivendas da Barra. No primeiro vídeo, o áudio exibido confere com a duração em segundos que consta no nome do arquivo, conforme conclui perito aposentado da Polícia Civil do Distrito Federal. Nele, Carlos toca o áudio da chamada entre a portaria e a casa de Ronnie Lessa, autorizando a entrada de Queiroz no dia 14 de março. Já o segundo vídeo, com áudios feitos naquela mesma tarde da portaria para a casa 58 (de Jair Bolsonaro) e a 36 (de Carlos), é inconclusivo, porque Carlos editou o trecho inicial dos áudios, que não conferem com a duração que consta no nome dos arquivos.

Milicianos e Bolsonaro

Esse envolvimento direto e indireto do presidente Bolsonaro com milicianos não podem resultar em boa coisa. Não mesmo. A cada dia se complica mais.Tudo começou com Fabrício Queiroz, o motorista assessor do clã Bolsonaro que fazia mais do que dirigir os carros oficiais. Ele era o operador da família e tinha ligação direta com milicianos. Queiroz deu explicações estapafúrdias para a movimentação de mais de 15 milhões de reais, alegando ser um hábil negociador de carros. E que depositava dinheiro arrecadado de servidores nas contas do então deputado Flávio Bolsonaro (hoje senador) para pagar funcionários apoiadores por fora.

                                       Lula voltou

Demonstrando virilidade, o ex-presidente Lula voltou triunfante ao convívio político, subindo em palanques e fazendo aquilo que é especialista: discursar para as multidões. Envolto a ameaças de abate pelas milícias virtuais bolsonaristas, Lula não se intimidou e subiu pela segunda vez após ser solto, no mesmo palanque que usou antes de ser preso em abril de 2018. Repetiu, incrivelmente, inclusive a famosa foto dele no meio da multidão. A primeira foto tirada em 2018 foi do jovem Francisco Proner. Já a segunda, foi do fotógrafo pessoal de Lula, Ricardo Stucker.

“Lula sai da cadeia maior do que entrou, graças à agenda negativa de Bolsonaro, à inutilidade de Moro e às revelações do Intercept. Seus adversários tiveram uma oportunidade … jogaram o tempo fora”, diz Elio Gaspari, colunista da Folha.

Segunda instância

Temendo o efeito Orloff (eu sou você amanhã), o presidente Bolsonaro já declarou que a proibição de prisão em segunda instância é cláusula pétrea na Constituição Federal. Ou seja, só muda se mudar a Constituição. Portanto, ele é contra. Mas, impressionantemente, foi a favor quando Lula foi preso. Claro, o tirou do páreo.

                               Moro e os bandidos

Lula chamou tanto Bolsonaro quanto o ministro da Justiça, Sérgio Moro, de canalhas, canalhas, canalhas. Ambos responderam que não falam com criminosos. Os internautas não perderam tempo. “Ué, como ele autorizou a entrada dos assassinos de Marielle no condomínio?”, indagou um internauta em relação a Bolsonaro. Já contra Moro, um deles postou esta foto acima. Outros lembraram de Queiroz, milicianos.

 

                                         39 kg de cocaína

Por falar em criminosos, por que as Forças Armadas ainda não deram uma linha sobre as investigações em torno dos 39 quilos de cocaína descobertos dentro de um avião presidencial, quando Bolsonaro se dirigia para Davos, na Suíça? Na Espanha, o sargento Manoel Silva Rodrigues, foi condenado a 8 anos de prisão. Segundo se apurou, a droga pertenceria a um oficial de alta patente.

                                           MBL tá maluco?

O MBL liderado pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), fez ontem na Paulista um protesto contra a corrupção sem citar o governo Bolsonaro, Queiroz, nem Caixa 2. Pelo contrário, entoaram palavras de ordens como “fora PT”, “nós vamos tirar o PT do poder”. A coluna não entendeu nada.

                                  Atacar!

No Chile, o povo unido fez o presidente Piñera retroceder nas políticas econômicas que empobreceram a população; na Argentina, o povo unido tirou os fascistas do poder e elegeu a esquerda progressista. Na Bolívia, o povo unido fez Evo Morales convocar novas eleições. Aqui no Brasil, a população está passiva, deixando políticos destruírem o País. Lula deu a senha durante discurso ontem: atacar! É claro que esse “atacar” é figura de linguagem, que significa “vamos para as ruas protestar”.

Lula pai da educação

Os donos de faculdades e universidades não podem se queixar de Lula. Foi no período do petista que o ensino privado teve seu apogeu, com o surgimento de impérios empresariais no ramo da educação.

Dois pesos e duas…

Toffoli suspende investigação contra Flávio Bozo:
“foda-se”; STF suspende investigação contra Queiroz:
“foda-se”; Gilmar suspende investigações relacionados ao Flávio:
“foda-se”; STF cumpre o que determina a Constituição:“FORA STF, COMUNISTAS A SERVIÇO DO FORO SAO PAULO!”

                                     “Adevogada” gaúcha

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de cumprir a Constituição e reverter entendimento anterior, que permitia a prisão de pessoas sem o trânsito julgado da sentença, causou revolta entre aliados da Lava Jato e de Jair Bolsonaro. Pelas redes sociais, a advogada gaúcha Cláudia Teixeira Gomes, expôs toda sua ira em uma publicação. “Que estuprem e matem as filhas dos ordinários ministros do STF”, escreveu na sua página no Facebook, apagando o post pouco tempo depois.  Advogada em Osório, no Rio Grande do Sul, segundo informações de seu perfil, a advogada não esconde sua adoração por Jair Bolsonaro e Sergio Moro, com fotos dos dois na rede social. Por outro lado, Cláudia destila seu ódio contra Lula, Dilma Rousseff e o PT em outras publicações, como a que comemora o golpe parlamentar que derrubou a ex-presidenta.

                                     Dono de cabaré

Hélio Vieira, ex-presidente da OAB-RO, quem diria, acabou dono de cabaré. Calma, não é bem isso. Quase. Mostrando que não é só bom na banca de advocacia, HV se lançou como compositor e ator, se saindo muito bem de acordo com comentários. A música “Amor de Cabaré”  de sua autoria, está sendo interpretada pelo cantor paulista  Rodrigo José, cuja voz é parecida com a de Reginaldo Rossi. Além de autor, Hélio Vieira também acabou atuando no mais novo videoclipe de Rodrigo José, fazendo o papel de um “cafetão”.
Vale a pena conferir. Clique no video abaixo para assistir ao clipe:

Show em Porto Velho

No próximo dia 15 de novembro, Rodrigo José e Banda Chic10 farão um show na cidade de Porto Velho em evento da SINTERO (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Rondônia). Além de Rodrigo José o evento terá também shows de Kiko Zambianchi e da Banda Distopia.

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político no eixo Rio-Brasília e Rondônia

Facebook Comments