Coluna do RK- Bastidores da Política Nacional e Regional

Por Roberto Kuppê (*)

                                                                   Dia da balbúrdia

Hoje é dia de balbúrdia em todo o país. Digo, hoje é dia da paralisação nacional contra os bloqueios de verbas para a EDUCAÇÃO (em caixa alta e em negrito mesmo). O País está virado no capeta desde a posse de Jair Messias Bolsonaro (PSL-RJ), o mito, minto, mico, sei lá. Um governo eleito “democraticamente” após o grande acordo nacional, “com o STF com tudo”. Prenderam o líder das pesquisas em cima de uma condenação sem provas, baseadas apenas em delações mais do que premiadas. As mesmas delações não serviram para manter o ex-presidente Temer na cadeia. A ministra Laurita Vaz (vaz pro inferno) disse que não podia manter Temer na cadeia em cima de delações sem provas (putz). Outra ministra disse que o combate a corrupção não pode ser transformado em “caça às bruxas”. Enfim, ao vivo, assistimos ontem ao famoso dois pesos e duas medidas. Ou seja, resumindo, Lula está lascado. Após o impeachment de Dilma e a prisão de Lula, 57 milhões de “gente de bem” elegeram Bolsonaro, o defensor das milícias (ele próprio disse isso, gente). Bolsonaro disse que (disse mesmo) que não foi eleito para construir, que foi eleito para desconstruir. E está cumprindo a promessa. A destruição da educação é compromisso de campanha para favorecer grupos econômicos que investem na educação privada. A esposa do ministro Paulo Guedes é dona de um grupo educacional e preside uma federação de escolas privadas.

                                                                     Em Porto Velho

A manifestação contra os cortes na UNIR e nos IFROs será hoje, na praça das Três Caixas d´Àgua a partir das 16 horas, no centro da capital, Porto Velho. Até a hora da manifestação haverá exposição de produção acadêmica, panfletagem e pit stop nas ruas. O anúncio de bloqueio de recursos anunciado pelo Ministério da Educação impacta gravemente as atividades nos campi, inclusive o pagamento de despesas inadiáveis como luz, água, limpeza e segurança. Na UNIR, a perspectiva é de que o orçamento disponível só cubra despesas obrigatórias até julho nas oito unidades do estado.  Segundo a reitoria, o corte prevê “cerca de R$ 13 milhões a menos para despesas contratuais e obrigatórias, como energia, água, limpeza, vigilância e auxílios do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), entre outras”. Em Nota, o IFRO informou que o corte “atinge e limita o funcionamento das suas 11 Unidades e seus 143 Polos de EaD, com prejuízo à oferta de educação pública, gratuita e de qualidade. O bloqueio corresponde a mais de 13,5 milhões de reais, o que equivale a 37% do orçamento de custeio previsto para o ano de 2019”. As informações são do Blog da Luciana Oliveira.

                                                       Café com bobagem

Após a morte de Boechat as manhãs da Band estão ensossas. Já não era aquelas coisas o Café com Notícias apresentado por uma banca de apresentadores, mas, hoje, em pleno início das paralisações da educação, eles não deram um pio sobre o assunto. A salvação da Band tem sido o impressionante Reinaldo Azevedo que assumiu nos últimos dois anos uma postura de jornalista sério e isento. A Globo (Sua comunista!) abriu o Bom Dia Brasil com informações sobre as paralisações que ocorrem em todo o País. O governo dos trapalhões tentou enganar os estudantes dizendo que o presidente que “concentra mas não sai”, Bolsonaro, teria recuado do corte de verbas. Não recuou!

                                                         A culpa é do pobre?

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o país está no fundo do poço. E o Kiko? E o que que o povo pobre tem a ver com isso? Por que todas as medidas econômicas afetam os mais pobres? Desde a reforma Trabalhista aprovada no governo golpista de Temer, que a população mais pobre vem sendo afetada. No caso, os trabalhadores que tiveram seus direitos retirados. Paulo Guedes foi ao Congresso Nacional pedir crédito bilionário, para cobrir o rombo. O mesmo crédito foi pedido por Dilma e por isso sofreu impeachment. E, sabe aquele teto de gastos aprovado no governo Temer, ao qual os petralhas foram contra? Pois é, tá pegando agora. O país está falido e precisa de socorro. Respondendo à pergunta do título desta notinha, não! A culpa não é do pobre. A culpa é dos políticos corruptos. De todos, sem exceção. Desde o período da ditadura militar que políticos vem roubando os cofres públicos. Michel Temer e Eduardo Cunha, ambos do MDB, vêm roubando o país há 40 anos, conforme disse investigações da PF. Wesley Batista (JBS) disse que o grupo pagou campanhas políticas para 2.800 candidatos Brasil afora. Então, por favor, não culpem os pobres e não os penalizem com essa malfadada reforma da Previdência. Tirem os privilégios dos que os detém.

                                                                    Teimosia eterna

Quando foi apresentado o projeto de lei do Teto de Gastos, o PT foi contra. Quando foi apresentada a reforma Trabalhista, o PT foi contra. Aprovados pelo Congresso Nacional, tanto o Teto de Gastos e a reforma Trabalhista resultaram na crise na qual estamos navegando. O País está engessado e não foram gerados 6 milhões de empregos prometidos. E agora anunciam a reforma Previdenciária como a saída para a crise e que vai gerar 4,5 milhões de empregos. Dá para acreditar?

                                              Todos os milicianos do presidente

A revista Época publicou a lista dos 95 nomes cujos sigilos fiscais e bancários foram quebrados por decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) no caso que investiga o ex-policial militar Fabrício Queiroz e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).  No documento, constam os nomes de nove parentes de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro e mãe de seu filho mais novo, Jair Renan. Além dos nove, outros três parentes de Ana Cristina ocuparam cargos no gabinete de Jair. A própria, inclusive, foi nomeada por Carlos Bolsonaro em seu gabinete na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Ana Cristina viveu em união estável com Jair por cerca de dez anos, entre 1998 e 2008. Assim, as 13 contratações podem configurar nepotismo.  Entre as nomeações, está a do pai de Ana Cristina, José Cândido Procópio da Silva Valle, a irmã Andrea Siqueira Valle, os primos Juliana Vargas, Francisco Diniz, Daniela Gomes e os tios Guilherme Hudson, Ana Maria Siqueira Hudson, Maria José de Siqueira e Silva e Marina Siqueira Diniz. A maioria da família vive em Resende, no sul do Rio de Janeiro, e os parentes foram nomeados para exercer cargos de confiança no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) entre 2007 e o ano passado. A exceção fica por conta de Andrea Siqueira Valle, que, em 2018, mudou para Guarapari, no Espírito Santo. Estavam lotadas no gabinete em Brasília a irmã de Ana Cristina, Andrea Siqueira Valle; a prima Juliana Vargas; a mãe, Henriqueta Guimarães Siqueira Valle; o irmão, André Luiz Procópio Siqueira Valle; e o primo André Luiz de Siqueira Hudson.  Guilherme Hudson e Ana Maria Hudson, tios de Ana Cristina, recebiam salário bruto de R$ 9.800 cada enquanto trabalhavam para Flávio. A irmã Andrea e os primos Juliana e Francisco tinham salário bruto de R$ 7.300. Já as tias Maria e Marina e a prima Daniela recebiam R$ 4.400, R$ 5.900 e R$ 6.400, respectivamente.

 

                                                         Confúcio Moura, um dos melhores

Em Brasília temos 11 parlamentares. A maioria deles, “num ráli nada”, que só legisla em causa própria ou apoia medidas nefastas do governo federal. Esses são os mais perigosos. Mas, ninguém fala mal deles, ou critica com tanta ênfase como criticaram o senador Confúcio Moura (MDB-RO), de quem este articulista não tem procuração para defendê-lo. Confúcio abraçou uma pauta muito importante, principalmente agora, a da Educação. Mais do que nunca ele será uma voz na defesa da Educação, cujo destino, nas mãos de Bolsonaro, é o abismo. Confúcio abriu mão de alguns privilégios de um parlamentar, sim. Divulgou, sim. Está errado? Não. Bons exemplos tem que ser divulgados sim. Ou só tem espaço na mídia as mazelas, o que não é positivo?  Conforme pesquisas, Confúcio Moura já é um dos melhores políticos do Congresso Nacional nos primeiros três meses de atuação.

 

                                                          Tem gente que não muda

O tempo passa, as lições são dadas, mas algumas pessoas continuam as mesmas, ou, pior. Estamos falando aqui de uma ex-esposa de um ex-deputado federal. Atualmente ela faz o papel de empurrar com a barriga no gabinete de um senador em Brasília. Onde ela atua o clima é de medo e tensão. Que o diga quem trabalha ou já trabalhou sob o mesmo teto dela. Quando se adentra ao gabinete do senador, sente-se um clima pesado, que precisa ser exorcizado.

 

 

                                                  Vinícius Miguel no Cidadania

Ele sim: Vinícius pra prefeito de Porto Velho

O mais votado candidato ao governo de Rondônia em Porto Velho, Vinícius Miguel, agora é Cidadania, ex-PPS. A mudança, além de oxigenar o partido, pretende elevar o jovem político à cadeira principal do Palácio Tancredo Neves, sedes da prefeitura de Porto Velho. Vinícius Miguel, guindado à presidência do Cidadania, levou para as fileiras do partido quase todo o time da Rede Sustentatibilidade. Com certeza, VM será um nome que fará frente à sucessão municipal, fazendo do pleito uma disputa bastante acirrada. Além do atual prefeito Hildon Chaves (PSDB) que sairá à reeleição, o ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT) vem forte.

 

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments