Coluna do RK- Bastidores da Política Nacional e Regional




Por Roberto Kuppê (*)

Tigrão com os pobres,
Tchutchuca dos banqueiros

Dois deputados federais roubaram a cena ontem, durante a tentativa do ministro da Economia, Paulo Guedes, de defender a reforma da Previdência. O primeiro, mais cedo, Expedito Netto (PSD-RO), constrangeu o ministro ao fazer alusão ao filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), suspeito de praticar a “velha política” de ficar com mais da metade dos salários dos servidores. No final da tragédia, digo, da presença do ministro na Câmara dos  Deputados, o filho de Zé Dirceu, deputado Zeca Dirceu (PT-PR), lacrou: “O senhor é tigrão para os pobres e tchutchuca com os ricos”. Foi a gota d’água. O ministro ficou puto e foi embora sob forte aparato de segurança. E haja memes.

Mas, Guedes elogiou Lula

Paulo Guedes surpreendeu durante a sabatina. Elogiou o ex-presidente Lula, alvo do ódio da família Bolsonaro, e o programa Bolsa Família. Na avaliação do ministro, Lula mereceu ganhar as duas eleições presidenciais que venceu, em 2002 e 2006, porque soube gastar pouco para alcançar um grande número de pessoas. “Vários governos que passaram gastaram R$ 300 bilhões, R$ 400 bilhões por ano pagando juros da dívida sem tomar nenhuma medida para corrigir. E o Lula chegou e pegou R$ 10 bilhões só, e atingiu 40 milhões de família favoravelmente com o Bolsa Família. Isso é um impacto extraordinário. Mereceu ganhar uma eleição, duas eleições. Soube trabalhar. Com pouco dinheiro melhorou a vida de muitos brasileiros”, declarou Guedes.

Lula inocente

A cada dia a Lava Jato constata que Lula é inocente e só foi acusado para não concorrer às eleições de 2018. Primeiro tiraram Dilma sem ter cometido crime. O objetivo era encobrir a verdadeira quadrilha comandada pelo ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), o dono das malas, de todas as malas contendo milhões. A prisão de Lula é o maior erro judicial já ocorrido no Brasil. Está claro, mais do que claro. Na verdade, o Brasil vinha sendo comandado por duas quadrilhas. Uma do MDB e outra do PSDB. Os tucanos, como se sabe, tinham proteção de Sérgio Moro. Tinham porque agora o PSDB está sendo investigado e membros graúdos sendo presos. Ah, Lula completa dia 7 de abril, ano que está preso em Curitiba. Durante este tempo, não deu chilique, não adoeceu, não precisou ir às pressas para hospital. O cabra é macho. Não se abate, não se deprime. Esse é o cara, como já disse Obama.

Cadê o PSL?

Não chega a ser surpresa. O PSL que, em teoria, é o partido que deveria ajudar o Guedes se esfarelou. A oposição estava preparadíssima. Foi cada cortada no texto mau escrito que deu até dó. O Guedes simplesmente foi posto na parede e usou a saída do Olavo. Xinga o mais alto que pode para ninguém ouvir o choro.

PSL na berlinda

Por falar no PSL, o partido do governador de Rondônia, Marcos Rocha, está sob suspeita. Aos órgãos fiscalizadores de Rondônia. Aos fiscais, auditores,contadores e julgadores! Contadores, vocês tem certeza o que prestaram conta? Será que vocês não foram enganados pelos partidários? Julgadores, vocês tem certeza o que julgaram nas prestações de contas das eleições de 2018 em Rondônia? MPF E PF…se apertar, se espremerem…sai um caldo grosso no final.

Hildon Chaves em Brasília

O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), senador Marcos Rogério (DEM) e odeputado federal Mauro Nazif (PSB), se reuniram, na tarde da última terça-feira (2/4), em Brasília, com o ministro José Múcio Monteiro, presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), tentando destravar obras e, principalmente, buscando a racionalização dos procedimentos adotados pela Caixa Econômica Federal, no momento do recebimento dessas obras. Hildon Chaves também falou em nome de todos os municípios do Brasil, que sofrem com obras inacabadas, na qualidade de vice-presidente para relacionamento com o Poder Judiciário, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Também participaram também da audiência com o ministro do TCU, a secretária Municipal de Resolução Estratégica de Convênios e Contratos (Semesc), Rosineide Kempim, o assessor de política governamental, Devanildo Santana e o secretário executivo da FNP, Gilberto Perri. Ontem, quarta-feira (3/4), Hildon Chaves e comitiva se reuniram com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A pauta foi a busca de recursos para a saúde de Porto Velho, nas áreas de construção e reforma de Unidades Básicas de Saúde (UBS), além da compra de equipamentos, entre outros itens.

Não peguem 99 Taxi

Taxistas de Brasília aderiram ao aplicativo. Até aí, tudo bem. O problema é que muitos taxistas não tem preparo emocional, cultural e nem educação para servir a um passageiro de aplicativo. Carregam a cultura taxista consigo. Resultado, mau atendimento. O articulista que vos escreve acabou ontem numa delegacia após se servir de um 99 Taxi em Brasília. Lamentável.

O impeachment de MR

Naufragou a tentativa de impeachment do governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL), que recebe no dia 16 de abril, o ministro Sérgio  Moro (PSDB), para anunciar os planos de governo deleNão tinha liga, motivos e nem comoção social. O eleitor ainda espera alguma coisa do governo, que ainda não completou 100 dias. É claro que o governo ainda não disse a que veio, daí a tirar MR da cadeira é outra coisa. Rocha não cumpriu ainda muitas de suas promessas. Uma delas descumpriu no primeiro dia de mandato, que seria de nomear para a Sedam um engenheiro florestal. Não nomeou. Nomeou um agente penitenciário sem ligação nenhuma com o meio ambiente. E colocou na Cultura outro agente penitenciário, que na campanha era motorista de Marcos Rocha. Voltando ao impeachment, o deputado estadual Jair Montes (PTC) deixou nas entrelinhas que quer, na verdade, são cargos na administração estadual. Sem moral.

Menos médicos

Reportagem de Natália Cancian, na edição desta quinta-feira (4) da Folha de S.Paulo, revela que ao menos 1.052 médicos que assumiram vagas deixadas por profissionais cubanos no Mais Médicos entre dezembro de 2018 e janeiro deste ano já deixaram o programa. Ao todo, 7.120 brasileiros ingressaram nas duas primeiras rodadas de seleção abertas após o fim da participação de Cuba. O número representa cerca de 15% dos médicos que assumiram as vagas.

Carluxo & Índio

O primo de Carlos Bolsonaro não tem cargo no governo, mas circula livremente pelo Palácio do Planalto e, às vezes, integra missões oficiais. Na segunda-feira, O Antagonista mostrou que o filho ’02’ do presidente também solicitou o benefício. Léo Índio e Carlos protocolaram seus pedidos nos dias 8 e 9 de janeiro respectivamente. Ora, Carluxo e Léo Índio tem um caso, é família. Por que não? Nada contra, muito pelo contrário. Sejam felizes.

E o feminicídio, hein?

Damares só pensa naquilo, só fala naquilo. Combater o feminicídio, nada. Milhares de mulheres estão sendo assassinadas no Brasil e nenhuma providência tomada.

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments