Coluna do RK- Bastidores da Política Nacional e Regional

Por Roberto Kuppê (*)

A prisão de Michel Temer

Foi preso ontem, finalmente, o ex-presidente Michel Temer (MDB-SP), tido pelo juiz Bretas como o chefe da maior quadrilha deste País, responsável pelo movimento de mais de R$ 600 milhões de reais em propinas. Prisão esperada, já que investigações apontavam provas robustas como gravações e apreensões de milhões de reais em espécie. Só para ter uma ideia do quanto Michel Temer é um corrupto incorrigível, as investigações detectaram, em outubro de 2018, no exercício da presidência, a tentativa de depósito de R$ 20 milhões de reais numa conta da Ageplan, empresa do amigo dele. Esperamos que não seja concedido HC. Seria um acinte.

Lula livre

A prisão de Temer é uma prova de que a de Lula foi um grande erro judiciário. Todas as provas que buscaram em vão com Lula, acharam em abundância, com Temer. As provas contra Lula são de “ouvi falar”, já contra Temer, são palpáveis, visíveis em em espécie. Em tempo: enquanto Temer está preso, Dilma está na Europa neste momento, fazendo palestras, linda e maravilhosa. “Fica Temer”, na prisão.

Projeto Brasil 2030

O gabinete do senador Romário Farias (Pode-RJ) deu retorno acerca do Projeto Brasil 2030, de autoria deste que vos escreve. Está em análise de viabilidade pelo departamento de projetos do Senado Federal.

Jesualdo Pires & Nazif

O ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB), faz parte da equipe de assessores parlamentares do deputado federal Mauro Nazif (PSB-RO). Jesualdo vai usar a experiência dele no executivo municipal para alavancar recursos para todos os municípios de Rondônia. Jesualdo Pires teve diversas ações e serviços voltados à sociedade rondoniense atuando junto ao Rotary Club e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), e atuações em prol de diversas instituições filantrópicas, ainda quando atuava como empresário em Ji-Paraná. Na área pública, destaca-se a atuação parlamentar de Jesualdo como primeiro secretário da mesa diretora da ALE-RO, o farto trabalho legislativo aprovado como deputado estadual, e o exemplo de gestão pública implantado na prefeitura de Ji-Paraná, considerada hoje, a principal referência entre os municípios de Rondônia em transparência, eficiência fiscal e aplicação dos recursos públicos, obtendo inclusive, excelentes avaliações pelo Tribunal de Constas do Estado (TCE-RO), Tribunal de Contas da União (TCU), Índice FirJan, Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Conselho Nacional de Administração (CNA).

Reforma da Previdência

Acontece hoje em diversas partes do País, protestos contra a reforma da Previdência, que só penaliza aos mais pobres. Trabalhadores de todo o País estarão nas ruas para dizer não a reforma da Previdência do governo Bolsonaro (PSL) e em defesa da aposentadoria. O Dia Nacional de Luta foi convocado pelas centrais sindicais e movimentos sociais. A iniciativa é da  CUTForça SindicalCTBUGT, CSB, intersindicalLuta e Organização, CSP-Conlutas, Intersindical-Central da Classe Trabalhadora, CGTB e NCST. Além do dia de mobilização, as entidades decidiram aumentar a pressão junto aos parlamentares, seja em suas bases ou nos aeroportos, em todos os locais onde eles circulem para que todos saibam que se “votar, não volta”. A CUT e demais centrais deverão se reunir também com os movimentos sociais, lideranças partidárias e religiosas, estudantes e mulheres para deliberar uma forma conjunta de luta contra o fim da aposentadoria. Pelas regras atuais, uma mulher de 55 anos e com 25 anos de contribuição teria de trabalhar mais cinco anos para se aposentar por idade e conseguir receber o benefício integral. Ou seja, estaria aposentada aos 60 anos e com 30 anos de contribuição. Mas, a reforma de Bolsonaro, além de impor a idade mínima de 62 anos tem regras de transição duríssimas. Se o Congresso aprovar a PEC, essa mesma mulher terá de trabalhar mais sete anos (55 + 7 = 62) para se aposentar por idade. Ainda assim, ela só chegaria a 32 anos de contribuição (25 + 7 = 32) e não se aposentaria com o benefício integral, que, pelas novas regras, vai exigir, no mínimo, 40 anos de contribuição.

 

Perigo na UFRGS

Em fórum na internet, um homem branco compartilha com outros membros sua intenção de estuprar e matar mulheres brancas que se relacionam com negros na Universidade Federal do Rio Grande do Sul; reitoria tomou conhecimento e acionou a Polícia Federal.  Uma semana após o atentado que chocou o país e culminou em 10 mortes em uma escola pública de Suzano (SP), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) recebeu informações de que estaria sendo alvo de ameaça de um grupo de extermínio. A reportagem recebeu de fontes ligadas à universidade, nesta quarta-feira (20), prints de uma conversa de um fórum na internet em que um sujeito que se diz um “true alpha man” compartilha com outros membros suas intenções de matar e estuprar mulheres brancas que se relacionam com homens negros na universidade. “Fiquem ligados nas notícias do Rio Grande do Sul (…) Estou cansado dessas merdalhas mirins, ricas, brancas e fodidas liberando seus buracos para pardos e macacos, enquanto eu, the true alpha man, um verdadeiro gentleman, um santo, continuo aqui, virgem e xeio (sic) de ódio, vocês mulheres irão pagar caro”, diz uma das mensagens em meio a ameaças de estupro.

Agronegócio

Agronegócio apoiou o Bolsonaro em peso né? Agora estão reclamando do que? O Paulo Guedes está dando uma amostra de livre mercado subserviente aos EUA! Se fizer sinal de arminha melhora 👉👌 .“Um tiro no pé”. É assim que a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat) classifica a possibilidade da abertura das portas do Brasil para a carne suína produzida nos Estados Unidos. O assunto está na lista de acordos firmados durante o encontro entre os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro, que se comprometeu a colocar em “avaliação” o pedido norte-americano.

Querem expulsar Freixo de casa

Freixo e Marielle eram amigos e correligionários

A coluna de Ancelmo Goes, na edição desta sexta-feira (22) do jornal O Globo, informa que moradores articulam a expulsão do deputado Marcelo Freixo (PSOL) do condomínio onde mora o parlamentar, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Uma assembleia está sendo mobilizada e o argumento apresentado é o receio de que o parlamentar sofra um atentado – a exemplo da execução da vereadora Marielle Franco, em março do ano passado. Freixo é constantemente acompanhado por seguranças em razão das recorrentes ameaças de morte que recebe, especialmente, por conta de denúncias contra organizações milicianas no Rio. Já no condomínio Vivendas da Barra, onde mora o miliciano Lessa, acusado de atirar em Marielle, os moradores não se reuniram para expulsá-lo. (Com informações da Revista Forum).

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político

Facebook Comments

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password