Coluna do RK- Bastidores da Política Nacional e Regional

0
356

Por Roberto Kuppê (*)

Adeus, Boechat

A coluna do RK está de luto também, pela morte de Ricardo Eugênio Boechat. Sinônimo do jornalismo sério, combativo e ético, Boechat já foi chamado por este colunista de “boechato”, por criticar de forma equivocada o melhor presidente que este País já teve, Luís Inácio Lula da Silva. No mais, as críticas dele ecoavam Brasil afora pela BandNews FM e BandTV.
Ouvir os comentários dele todas as manhãs na BandNews FM era obrigação para quem gosta de ficar bem informado. Também era impossível começar o dia sem as tiradas inteligentes de Boechat no bate-papo sempre animado com Zé Simão. As nossas manhãs não serão mais as mesmas. Fique bem, Ricardo Boechat!  Desejamos os sinceros sentimentos à família, aos amigos e aos colegas de trabalho no Grupo Band.

Boechat vítima do mesmo erro

Ao que tudo indica, o jornalista Ricardo Boechat foi vítima daquilo que vinha denunciando sobre as tragédias de Mariana, Brumadinho e CT do Flamengo: descaso, irresponsabilidade, omissão e falta de fiscalização. Levantamentos preliminares junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) revelaram que o helicóptero que caiu com o jornalista ontem não tinha autorização para fazer táxi aéreo. A RQ Serviços Aéreos Especializados estava certificada para prestar serviços como aerofotografia e aerofilmagem. A falta da permissão para o transporte de passageiros traz à tona outra garantia que a empresa provavelmente, em face da legislação, não deveria oferecer: o Reta (Responsabilidade Civil do Explorador ou Transportador Aéreo), seguro obrigatório exigido de quem possui aeronave. Por ironia do destino, familiares de Boechat vão travar ações na justiça em busca de reparação, de indenização.

Acir, Confúcio e Marcos Rogério lamentam

O senador Confúcio Moura (MDB-RO), escreveu no Twitter: “Lamentável a morte de Ricardo Boechat – o jornalismo perde um personagem da mais alta competência e credibilidade. O acidente nesta manhã (11), em São Paulo, deixa a imprensa brasileira órfã de uma das vozes mais atuantes e brilhantes. Minha solidariedade aos amigos e familiares”. O senador Marcos Rogério (DEM-RO) escreveu: “Perdemos hoje um grande comunicador. Ganhador por três vezes do Prêmio Esso, Ricardo Boechat era uma referência para nós, jornalistas. Estou consternado com a sua morte precoce. Aos familiares e amigos, meus sinceros sentimentos”. Já o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) escreveu: “O Brasil perde hoje um grande jornalista, um crítico do sistema político, que denunciava de forma veemente as injustiças e a corrupção. Minha solidariedade aos familiares, amigos e colegas da imprensa”.

Brumadinhos e puxadinhos

As tragédias se sucedem em todo o País com mais força em 2019. Uma atrás da outra e as mesmas características: falta de fiscalização. A última ocorreu justamente com quem cobrava explicações das autoridades, Ricardo Boechat. Ele foi vítima de uma prática comum: o uso de aeronaves sem autorização para fazer taxi aéreo. É preciso que o Brasil faça uma fiscalização geral em tudo, de hangares, a hotéis, aeroportos, CTs, barragens, etc. Senão, acordaremos com os noticiários anunciando mais uma tragédia.

Chaves em Brasília

O prefeito Hildon Chaves (PSDB), de Porto Velho, almoça amanhã, quarta-feira,  com os oito deputados federais e os três senadores na churrascaria Fogo de Chão, em Brasília, como forma de realinhar e estreitar laços com os parlamentares da nova legislatura. Mais da metade da bancada tem principal base eleitoral a capital: Coronel Chrisóstomo (PSL), Mauro Nazif (PSB), Expedito Neto (PSD), Léo Moraes (PODE) e Mariana Carvalho (PSDB). A mesma iniciativa de aproximação foi feita com os deputados estaduais eleitos, por meio de um encontro na última semana com o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes e demais parlamentares.

Mais essa agora

O governo Bolsonaro está investigando a igreja católica por considerar que promove atos de esquerda. Estamos voltando à Idade Média, dos tempos da Inquisição e caça às bruxas. Até o final do mandato de Bolsonaro (se houver), estaremos professando a nossa fé católica às escondidas.

‘Que diferença faz quem é Chico Mendes?’

A declaração de Ricardo Salles foi dada durante sua participação no programa ‘Roda Viva’, da TV Cultura, na noite de segunda-feira – ele foi perguntado sobre o que achava de Chico Mendes, seringueiro e ambientalista assassinado em 1988 por fazendeiros que se opunham a suas ações pela preservação da Amazônia. “Que diferença faz quem é Chico Mendes? Chico Mendes é irrelevante”, disse o ministro. Esse é o nível de quem deveria defender o meio ambiente, a natureza, os índios, o clima. Chico Mendes deu a vida pelos direitos dos povos da floresta e deixou como legado a criação das reservas extrativista e o acesso à educação nos rincões da Amazônia.

                                  Me digas com quem andas…

A ex-deputada estadual Ana da 8, condenada em vários crimes de corrupção, teria obtido um cargo na Assembleia Legislativa de Rondônia. Estaria assessorando o deputado estadual Jair Montes (PTC-RO). Falta só o Beto Baba de motorista. Por si só, a eleição de Montes já é um escárnio. Em tempos de um Brasil estranho, é melhor Jair se acostumando.

 

 

 

(*) Roberto Kuppê é jornalista e articulista político ([email protected])

 

Facebook Comments