Cleiton Roque defende implantação de economia mercantilista para impulsionar Rondônia no mercado externo

0
411
Deputado afirma que o Estado e Brasil em geral, está preparado para ser parceiro comercial do Peru


O deputado Cleiton Roque (PSB), na sessão da Assembleia Legislativa dessa quarta-feira (30), destacou o Seminário de Oportunidades Comerciais e Investimento realizado na manhã de terça-feira (29), no Palácio Rio Madeira, com a presença do embaixador do Peru no Brasil, Vicente Rojas.

O evento, segundo o parlamentar, teve como proposta avançar na cooperação para a promoção do comércio, investimentos, turismo e educação entre Peru e Rondônia. O deputado ressaltou que o Brasil, em especial, Rondônia, está preparado para ser um grande parceiro comercial do Peru.

“Na 7ª Rondônia Rural Show tivemos a oportunidade de abrir diálogos para buscarmos a aproximação do governo de Rondônia com o país vizinho, pois acreditamos que podemos ser grandes parceiros econômicos”, ressaltou Cleiton Roque.

O deputado, citando a China como exemplo, defendeu a implantação de uma política econômica mercantilista no território brasileiro como um todo. Segundo Cleiton Roque, o Brasil precisa aprender a vender o que o país produz de melhor e fazer a diferença no mercado externo.

O parlamentar disse ter ficado chocado, ao fazer uma análise comercial entre Brasil, Peru e outros países. De acordo com o deputado, apesar de ser grande produtor de café, arroz, soja e criador de gado, o Brasil exporta muito menos do que poderia.

Cleiton Roque informou que durante o Seminário, um levantamento apontou que ainda há espaço para o Brasil, especialmente Rondônia, “que tem o sétimo maior rebanho bovino do país. Quanto a importação da carne bovina, onde todo o Brasil movimenta apenas R$ 2,8 milhões, enquanto os Estados Unidos movimentam R$ 38 milhões e a Argentina, R$ 5 milhões”, frisou o parlamentar.

De acordo com o deputado, também há oportunidade de Rondônia avançar na comercialização do arroz. O Brasil, segundo o deputado ficou com a fatia de R$ 92 milhões, enquanto que o Paraguai, R$ 3,2 milhões. O mesmo também acontece com a soja. O Peru importa soja, principalmente dos Estados Unidos, Bolívia e Paraguai.

“É preciso implantar a mentalidade mercantilista no governo brasileiro, pois temos toda a capacidade de nos destacarmos no mercado externo, a exemplo da China, que saiu de um estado de pobreza e se tornou a segunda superpotência econômica mundial”, disse o deputado.

Cleiton Roque enfatizou que, a importância que o Governo da China atribuiu ao comércio exterior fez com que o país criasse um Ministério de Comércio Exterior. Segundo o deputado, todas as províncias e todos os municípios do país têm um secretário de Comércio Exterior e contam com o Conselho da China para a Promoção do Comércio Internacional (CCPIT), com milhares de subseções e unidades em todas as cidades chinesas.

“A missão principal desses órgãos é de fomentar, incentivar e educar as indústrias para exportarem e para facilitar o comércio exterior por parte dos empresários. É o que rege a política mercantilista, é o que o Brasil e Rondônia precisam aprender”, concluiu Cleiton Roque.

ALE/RO – DECOM – Juliana Martins

Fotos: Ana Célia

Facebook Comments