CIVI-CO recebe as lideranças indígenas Almir Suruí e Txai Suruí

Encontro aconteceu na segunda-feira (29) e teve foco nos problemas
enfrentados pelos povos indígenas e os desafios atuais e futuros na Amazônia

O CIVI-CO, polo de negócios de impacto cívico-sócio-ambiental, sediado em São Paulo, recebeu na segunda-feira (29), o líder indígena Almir Suruí, sua companheira Janete Suruí e sua filha Txai Suruí. O objetivo do encontro foi uma conversa com foco nos problemas enfrentados pelos povos indígenas e os desafios atuais e futuros na Amazônia, bem como explorar o nexo entre tecnologias disruptivas e o legado dos povos indígenas.

O diálogo fez parte da conexão do CIVI-CO com diferentes atores ligados à região amazônica. Por parte do CIVI-CO, participaram da reunião Patrícia Villela Marino, sócia e cofundadora; Ana Luiza Prudente, diretora de Comunicação e Relacionamento, Guilherme Guardião, community manager e Iara Vicente, founder e CEO da Nossa Terra Firme, consultoria e membro da Comunidade CIVI-CO.

Almir Narayamoga Suruí é da aldeia Lapetanha, na Terra Indígena Sete de Setembro, em Cacoal (RO). Ele é uma das lideranças indígenas mais conhecidas na luta contra o desmatamento na Amazônia e reconhecido internacionalmente por denunciar, à Organização dos Estados Americanos (OEA), a exploração ilegal de madeira nas terras indígenas. Também se destacou por defender os direitos e a integridade dos índios isolados e por lutar contra as hidrelétricas do Rio Madeira, que vão afetar terras indígenas.

Já Walelasoetxeige Suruí, ou Txai Suruí, tem 24 anos e foi a primeira mulher indígena a falar em uma conferência do clima, na COP-26. Ela é a primeira de seu povo a cursar Direito e está no último semestre do curso. No início de 2021, criou o Movimento da Juventude Indígena de Rondônia, que já tem aproximadamente 1,7 mil filiados.

Hub de Bioeconomia Sustentável – O encontro teve importância especial, pois está em andamento o desenvolvimento do Hub Bioeconomia Sustentável, no CIVI-CO. A iniciativa, coordenada por Iara Vicente, tem como meta reunir diferentes interlocutores em uma agenda propositiva de soluções para a Amazônia. O CIVI-CO completou quatro anos de atividades em novembro e já possui outros hubs como os de Alimentação Consciente, Cannabis, Cultura, Educação e Moda Sustentável. Encontros como este certamente inspirarão os próximos passos deste Hub, que se dedicará a aumentar a visibilidade de iniciativas bioeconômicas desenvolvidas por povos indígenas, tradicionais e populações locais da Amazônia Brasileira.