A OMS deu à China seu “apoio e entendimento” para começar a administrar vacinas antes da conclusão dos ensaios clínicos, disse um membro do governo chinês nesta sexta-feira.

Segundo Zheng Zhongwei, da Comissão Nacional de Saúde, a OMS foi comunicada “depois de 29 de junho”. A China lançou seu programa emergencial de vacinação em julho.

Segundo a Reuters, “centenas de milhares” de trabalhadores essenciais e outros grupos sujeitos a alto risco de infecção receberam candidatas a vacina, embora a eficácia e a segurança delas ainda não sejam plenamente conhecidas, já que os ensaios em fase III ainda não terminaram.

Pelo menos três candidatas a vacina participam do programa de emergência chinês: duas desenvolvidas pela estatal China National Biotec Group (CNBG) e uma da Sinovac, a empresa chinesa que também faz ensaios em São Paulo.

No Brasil, não existe autorização emergencial para vacinas. As candidatas da Sinovac e da AstraZeneca estão sendo testadas em ensaios clínicos em fase III, a última fase antes da autorização para uso na população em geral.

Segundo a Reuters, a representação da OMS na China ainda não confirmou a afirmação do governo.

Fonte: O Antagonista

Facebook Comments