O produtor rural que ainda não declarou seus rebanhos suscetíveis à Febre Aftosa ao serviço veterinário oficial do Governo de Rondônia, em cumprimento à segunda etapa da campanha de declaração obrigatória, tem apenas mais quatro dias para fazê-lo. O prazo, que termina neste próximo domingo (15), não será estendido, segundo alerta a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril de Rondônia (Idaron).

De acordo com a Gerência de Defesa Sanitária Animal (GDSA), da Idaron, de um rebanho de mais de 123 mil cabeças de bovinos e bubalinos, quase 90% já foram declaradas, cerca de 110 mil animais.

“É importante que todo produtor rural que crie animais suscetíveis à febre aftosa faça a declaração imediata dos rebanhos. A medida não é um simples quantificador de rebanho, mas uma forma eficaz que possibilita ao serviço veterinário do Governo controlar dados da entrada e saída de animais, para garantir a sanidade do rebanho”, explicou o médico veterinário Fabiano Alexandre dos Santos, titular da GDSA/Idaron.

O presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres, destacou o empenho e parceria dos produtores que, entendendo a importância desse trabalho, já atenderam à convocação da Agência e declararam seus rebanhos.

A regional de Porto Velho, que compreende os municípios de Nova Mamoré, Guajará-Mirim, Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste, Porto Velho e os distritos de Extrema, Nova Califórnia, Vista Alegre, Jaci-Paraná, União Bandeirantes, Calama, Surpresa, Palmeiras, Nova Dimensão e Triunfo, tem o maior número de produtores que ainda não declararam, restando 17% dos rebanhos.

A regional de Vilhena está mais adiantada no número de declaração, faltando apenas 10% do rebanho declarável. “Além da sanidade animal, a medida agrega mais valor comercial ao nosso rebanho, que hoje ultrapassa os 14,3 milhões de cabeças. É um serviço que beneficia tanto o produtor quanto a indústria, além da economia do Estado que, com a abertura de novos comércios, garantida pela qualidade de nossa carne, aumenta a receita”, destacou o presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres.

Lembrando que devem ser declarados os rebanhos de bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos (animais suscetíveis à febre aftosa), além de equídeos e aves. A declaração pode ser feita pela internet, no site da Idaron, por e-mail (de cada regional ou ULSAV) e pelo WhatsApp (de cada regional ou ULSAV).

“A declaração atende a exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tem total apoio do governador, coronel Marcos Rocha, e é uma etapa importante para que Rondônia se firme internacionalmente, com reconhecimento da OIE (Organização Mundial da Saúde Animal), como área livre de aftosa sem vacinação”, destaca Julio Cesar.

Fonte: Secom

Facebook Comments