O primeiro clube classificado para a final da Taça Guanabara será conhecido nesta quarta-feira. Após duelarem há duas semanas, os rivais Fluminense Flamengo se reencontram a partir das 20h30, no confronto que determinará o time grande que disputará a decisão do turno inicial do Campeonato Carioca.

Sem um acordo entre o Rubro-Negro e a Globo, emissora que tem os direitos de
transmissão da competição, o jogo não será transmitido.

O começo da competição estadual ficou marcado pela queda precoce de Botafogo e Vasco, tradicionalmente favoritos a levar o título da competição ao lado de Fluminense e Flamengo. E o chaveamento das semifinais da Taça Guanabara determinou que só um deles disputará a decisão, agendada para 22 de fevereiro.

O Fluminense foi o melhor time do Grupo B, com 15 pontos somados em seis jogos, e cruzará com o Flamengo, o segundo colocado da chave B, com 13. Na outra semifinal, o Boavista, que ficou à frente do clube da Gávea pelos critérios de desempate, vai encarar o Volta Redonda, no domingo, o que já assegura a presença de um “pequeno” na final.

O clássico desta quarta-feira será o segundo entre os rivais em 2020. Em 29 de janeiro, cheio de desfalques, o Fluminense, com um golaço de letra de Nenê, venceu por 1 a 0 o Flamengo, que naquele momento da temporada atuava com uma equipe composta basicamente por jogadores do sub-20.

O cenário desta quarta-feira será bem diferente, com os times contando com praticamente a força máxima. E o Fluminense, por ter ficado à frente no seu grupo, leva a vantagem de precisar do empate para avançar à decisão da Taça Guanabara.

A presença dos titulares em campo pelo rival e a inesquecível temporada de 2019 do Flamengo, porém, não permite qualquer avaliação de favoritismo para o clube das Laranjeiras.

“Esse é o segundo Fla-Flu do ano, a gente conseguiu sair com a vitória no primeiro, mas sabemos que agora é diferente, eles vêm com o time principal, é outro jogo”, afirmou o lateral-direito Gilberto.

Porém, o Fluminense não poderia chegar ao clássico em momento melhor. Afinal, o time derrotou o Botafogo por 3 a 0 no último fim de semana, tendo definido a sua vitória em apenas 37 minutos. E com mais uma atuação brilhante de Nenê, destaque da equipe neste começo de temporada, e autor de dois gols no clássico.

Até por isso, o técnico Odair Hellmann vai repetir a base escalada contra o Botafogo. A única novidade deverá ser o retorno do volante Hudson, que cumpriu suspensão automática no fim de semana. Com isso, Yuri deve deixar o time, embora não esteja descartada a possibilidade de Henrique ser sacado.

No Flamengo, a certeza é a que a fase de testes e pré-temporada para os titulares já passou. A equipe só atuou duas vezes em 2020 com a força máxima, nos triunfos sobre Resende (3 a 1) e Madureira (2 a 0), nas rodadas finais da primeira fase da Taça Guanabara, encarados como testes para os jogadores.

Agora, porém, será diferente. O time fará decisões em sequência em fevereiro, tanto que no fim de semana estará em Brasília para a disputa da Supercopa do Brasil contra o Athletico-PR. E depois terá pela frente o Independiente del Valle pela Recopa Sul-Americana. Assim, convive com a possibilidade de levantar até três taças em fevereiro.

A tendência é que Jorge Jesus repita a escalação dos jogos anteriores no Fla-Flu, com o zagueiro Rodrigo Caio, recém-recuperado de corte no joelho, sendo preparado para atuar no domingo no Mané Garrincha. A principal dúvida envolve a lateral esquerda, pois Filipe Luís ainda não atuou em 2020, com Renê sendo o titular.

O clássico desta quarta também marcará o reencontro de Pedro com o Fluminense, clube onde iniciou a sua carreira profissional. O centroavante ficará como opção no banco de reservas, mas já tem mostrado faro, tanto que marcou nas duas partidas que disputou pelo Flamengo, mesmo tendo ficado em campo por apenas 35 minutos.

“O Pedro é um jogador que completa quando imaginamos que precisamos mudar os pontas de lança”, afirmou o técnico Jorge Jesus.

Fonte: Agência Estado

Facebook Comments