Campanha “Junho Vermelho 2021” da Fhemeron supera meta de captação de doadores

No mês de junho, o Governo de Rondônia juntamente com a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron) empenharam esforços para o incentivo e reforço da importância da doação de sangue, por meio da Campanha “Junho Vermelho”, reforçado com o Dia Mundial do Doador Voluntário de Sangue, celebrado no último dia 14.

Na programação do mês, atividades foram desenvolvidas junto a órgãos públicos e empresas reunindo o máximo de doadores possíveis, com objetivo de superar a meta de doadores do ano passado.

De acordo com dados do sistema de captação do Hemocentro de Porto Velho foram registrados, dentre as atividades desenvolvidas, 1.244 doadores no mês de junho. No mesmo período do ano passado, 1.063 pessoas doaram sangue . Um acréscimo de 181 voluntários. A médica hematologista, responsável técnica pelo Banco de Sangue, Ana Carolina Gonzaga de Melo, comemora os esforços em conjunto e alerta quanto ao final da campanha.

“Houve uma mobilização muito boa durante todo o mês de junho, coincidiu com campanhas voluntárias, com pacientes por exemplo da ala de pediatria, onco-hematologia, por isso tivemos esse aumento considerável nos dados, porém, nesta última semana, registramos uma redução no número de doadores”, alertou.

As tipagens sanguíneas mais requisitadas no estoque da Fhemeron e também as mais comprometidas são dos tipos  A + e O negativo. A pandemia do coronavírus afastou muitos doadores reduzindo a quantidade de captação, porém a Fhemeron ressalta que todos os cuidados para que o doador se sinta seguro estão sendo tomados, com os protocolos de segurança estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

REQUISITOS PARA SER DOADOR

  • ter entre 16 e 69 anos;
  • pesar mais de 50 quilos;
  • não esteja grávida;
  • estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
  • estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • estar em boas condições de saúde;
  • não ser epilético;
  • ter doado sangue há mais de 60 dias (homem) ou 90 dias (mulher);
  • ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas e
  • apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial: carteira de identidade (RG), cartão de identidade de profissional liberal, carteira de trabalho e previdência social (CTPS).

IMPEDIMENTOS TEMPORÁRIOS

  • resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
  • gravidez;
  • 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
  • amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
  • ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses;
  • situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
  • qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses;
  • extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias;
  • cirurgia odontológica com anestesia geral: por quatro semanas;
  • acupuntura (se realizada com material descartável – 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação- aguardar 12 meses;
  • vacina contra gripe: por 48 horas;
  • vacina contra sarampo ou com a BCG: por 30 dias;
  • vacina contra rubéola: 14 dias;
  • herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões;
  • herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster) e
  • febre Amarela: quem tomou a vacina deve aguardar 04 semanas; quem contraiu a doença deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial); e quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias após o retorno.

IMPEDIMENTOS DEFINITIVOS

  • hepatite após os 11 anos de idade;*
  • evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
  • uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • malária.

Vale destacar que doar sangue não emagrece, não engorda, não afina o sangue, não engrossa o sangue e não vicia.

Fonte Secom

Facebook Comments