Bolsonaro no PL: Prefeitos e vereadores preparam desfiliação em massa

Bolsonaro fechou com o PL e sua filiação deve ser oficializada dia 22 de novembro. O acordo foi costurado pelo presidente do partido, Valdemar Costa Neto. E ele avisou aos filiados que não precisarão apoiar o atual chefe do executivo em 2022, prometendo dar independência aos pré-candidatos. O problema que prefeitos e vereadores da sigla prometem sair da legenda em breve.

Conforme apurou o DCM, o PL sempre foi tratado como um bom partido para políticos de cidades pequenas e médias. Isto porque a legenda é tratada como “fisiológica”. Ou seja, é possível encontrar governante de um município em Roraima conservador no PL. Assim como um prefeito progressista em alguma cidade da Bahia pode também ser do partido.

E aí que mora o problema. Com Bolsonado indo para a sigla, isso muda. O PL será visto como um partido ideológico. Logo, muitos prefeitos e vereadores não estão dispostos à continuar em uma legenda que defende o responsável pela crise que o Brasil passou na pandemia.

“Eu tenho contato com lideranças nacionais do PL e sempre atenderam minhas demandas. Só que fiz parte do PCdoB durante 20 anos e tenho um eleitorado Lulista. Não posso traí-los desta forma. Por isso vou seguir um novo caminho”, falou o prefeito de uma cidade média de São Paulo. Ele pediu para não ter seu nome revelado para evitar problemas com o partido.

Bolsonaro no PL causa mal estar

O bolsonarismo é visto como um posicionamento ideológico e por isso muitos vão optar por seguir para outros caminhos. O PP também deve sofrer forte debandada. PSD, Cidadania e Republicanos esperam ganhar novos filiados com essas decisões.

Valdemar não demonstra preocupação com os municípios neste primeiro momento. Seu foco é fazer uma grande bancada no Congresso. As saídas de prefeitos e vereadores ele pretende resolver depois. Atualmente, a sigla tem pouco mais de 340 prefeitos.

Fonte: DCM

Facebook Comments