O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) testou positivo para a covid-19 nesta terça-feira (7/7). Ele fez o teste na segunda-feira, após apresentar os sintomas da doença.
“Recebi [o resultado] com naturalidade, não tem que ter pavor, é a vida, a realidade”, comentou o presidente em uma live durante o anúncio do exame. Bolsonaro deve despachar por videoconferência durante o período de isolamento.
O presidente disse que os sintomas começaram no domingo, com febre de 38ºC, tosse e mal estar. Na segunda, o mal estar se acentou, o que levou o presidente a fazer o exame da covid-19. O próprio Bolsonaro afirmou que a febre havia cedido e que estava “muito bem”.
Bolsonaro disse que começou a sentir febre, dor no corpo e mal estar no domingo (5), e os sintomas se acentuaram na segunda-feira (6), foi o que levou o presidente a fazer o exame de covid-19 no Hospital das Forças Armadas (HFA). Ele também disse que fez uma radiografia e que o pulmão “estava limpo”.

Segundo o presidente, a febre cedeu nesta terça-feira e está se sentindo “perfeitamente bem”. “Estou bem, estou normal. Em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas não vou fazê-lo por recomendação médica, mas eu estou muito bem”, afirmou.

Cloroquina

O chefe do executivo falou que foi medicado com hidroxicloroquina e a azitromicina. “Tomei ontem o primeiro comprimido e, confesso, que depois da meia-noite eu consegui sentir uma melhora. Às 5h da manha tomei o segundo comprimido de cloroquina e estou me sentindo bem”, comentou, defendendo o uso do medicamento.

“A reação foi quase imediata. Poucas horas depois, eu já tava me sentindo muito bem”, acrescentou.

“Eu não sou médico, mas reforço o que os médicos estao falando que a hidroxicloroquina na fase inicial a chance de sucesso é perto de 100%”. Ainda não está comprovado que o medicamento é eficaz para a doença.

O presidente chegou a se afastar dos repórteres e retirou a máscaraa, “para mostrar que eu estou bem”, disse. Ao final da live, ele agradeceu as orações e se despediu falando que volta daqui uma semana, quando acaba o período de isolamento obrigatório para pessoas diagnosticadas com covid-19.
Fonte: Correio Braziliense
Facebook Comments