Cônsul boliviano convidou o governo de Rondônia para participar de um evento para troca de experiências

Cônsul boliviano convidou o governo de Rondônia para participar de um evento para troca de experiências
Cônsul boliviano convidou o governo de Rondônia para participar de um evento para troca de experiências

O modelo agropecuário rondoniense desenvolvido nas duas últimas décadas foi elogiado pelo cônsul boliviano Haisen Ribera Leigue, que esteve em visita ao governo de Rondônia na manhã desta terça-feira (24) com o objetivo de convidar técnicos para participar de um encontro para troca de experiências nas áreas de agricultura, pecuária e sanidade animal, piscicultura, bem como para discutir alternativas para o abate de carnes e escoamento da produção agrícola boliviana.

Acompanhado de comitiva, o cônsul foi recebido no gabinete do vice-governador Daniel Pereira, pelos secretários estaduais de Agricultura, Desenvolvimento e Pecuária, Evandro Padovani e Luiz Gomes Furtado, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), acompanhados de assessores; e técnicos da Agência Idaron, de Defesa Sanitária, oportunidade em que formalizou o convite para a participação dos técnicos rondonienses num encontro que haverá em Trinidad, capital do Departamento do Beni, no próximo dia 6 de março, entre técnicos do governo boliviano e empresários para discutir parcerias técnicas e estreitamento comercial.

Haisen Ribera explicou que a exemplo do acordo bilateral que já existe através do Itamarati para o desenvolvimento das fronteiras, que engloba as cidades de Guajará-Mirim e Guayaramerin, poderá expandir-se, também, para o Departamento do Beni. O Beni, segundo o cônsul, não se desenvolveu como a região de Santa Cruz que, inclusive, atraiu a presença de produtores brasileiros. A Bolívia conta hoje com uma produção de cerca de dois milhões de hectares em soja, porém, com um potencial de produção de cerca de 20 milhões de hectares de grãos.

Cônsul boliviano

Segundo o consul, há hoje uma situação favorável para a expansão da fronteira agrícola para o Beni e por isso estão trabalhando diplomaticamente para estreitar laços, buscando experiências e parcerias para consolidar um fortalecimento comercial. O engenheiro Rolf Kohler, que acompanhou a comitiva, elogiou o caráter empreendedor dos produtores rondonienses que, segundo ele, transformaram o Estado em 20 anos. A parceria já existente entre os governos de Rondônia e do Beni para a sanidade animal e o controle da febre aftosa foi também especialmente elogiada pelos visitantes.

Com o apoio do Ministério da Agricultura, os técnicos da Agência Idaron de Rondônia atendem a 452 produtores distribuídos em 2,4 mil km de fronteira, na vacinação e controle da sanidade do rebanho boliviano. Essa parceria, de acordo com os representantes bolivianos e do gerente de Defesa Sanitária Animal da Idaron, Fabiano Alexandre, tem ampliado as oportunidades para novas e futuras parcerias que vão ampliar o conhecimento tecnológico de ambos os países.

Evandro Padovani destacou que há interesse de estreitamento tecnológico e comercial para com a Bolívia, a exemplo da aquisição de sal; organização da comercialização da castanha brasileira; conhecimento tecnológico sobre a utilização de solos para a agricultora familiar em áreas com lençol raso; entre outras trocas, que poderão trazer benefícios para ambos os países. Ele aproveitou para convidar a comitiva boliviana, em nome do governo rondoniense, para participar da realização da IV Rondônia Rural Show, feira de produtos e negócios da área agropecuária, que será realizada no mês de maio deste ano na cidade de Ji-Paraná. Haverá, segundo ele, um espaço internacional na feira, onde os representantes bolivianos poderão trazer seus empresários e produtores para expor produtos e discutir experiências.

Padovani também sugeriu para que os representantes bolivianos visitem a estrutura do Porto Chuelo, terminal portuário graneleiro que está sendo implantado pelo grupo Amaggi em Porto Velho, quando vierem para participar da Rondônia Rural Show no mês de maio.

INICIATIVA PRIVADA

O empresário brasileiro Moab Farias, que reside em Trinidad, falou em nome dos empresários brasileiros que lá residem. Ele exemplificou que existe hoje uma predisposição governamental para buscar alternativas viáveis para o desenvolvimento econômico e afirmou que a iniciativa privada está disposta a auxiliar nessa direção. Também manifestou interesse em trazer empresários para conhecer a Rondônia Rural Show.

HIDROVIA

O estreitamento da parceria boliviana e rondoniense poderá ampliar a discussão sobre a implantação da hidrovia Madeira-Mamoré, que envolve a implantação de uma eclusa para elevação do rio, para escoamento da produção agrícola. Com um grande potencial para expandir a produção de grãos, a Bolívia ainda sofre com o alto custo de transporte e escoamento da soja pela hidrovia Paraná-Paraguai. A expansão da produção de soja para o Beni também passa por essa discussão e uma das alternativas seria a de transporte misto – rodoviário e fluvial – através de conteiners. De acordo com os representantes, já existe uma predisposição do governo boliviano em implantar um porto no Rio Guaporé. Para o escoamento da soja passando por Porto Velho, uma alternativa seria ainda a interligação terrestre da Capital rondoniense até Trinidad.

Fonte
Texto: Mirian Franco
Fotos: Ésio Mendes
Decom – Governo de Rondônia


Compartilhe

Facebook Comments