BANDA VAI QUEM QUER DESAFIA A PREFEITURA SAINDO SÁBADO NA AVENIDA

A previsão para sábado, 1 de março é de uma chuva torrencial, segundo o Climatempo.
A previsão para sábado, 1 de março é de uma chuva torrencial, segundo o Climatempo.

Sob pretexto de usar os foliões para arrecadar alimentos, a Banda do Vai Quem Quer desafia o decreto da prefeitura proibindo o desfile de blocos e escolas de samba, e avisa que vai sair na avenida neste sábado.

Segundo a assessoria da BVQQ, uma carreta vai estar a postos na Praça das Três Caixas D’água, arrecadando donativos dos foliões. “Estamos ciente da situação atual em que nosso município vive, bem como toda nossa Rondônia. Por isso estamos engajados em ajudar a população atingida pela cheia do rio Madeira”, defendeu a presidente do maior bloco de Carnaval da região Amazônica.  A banda cobra R$ 40 por uma camiseta. “É com o dinheiro destas camisas que pagamos segurança, banheiros químicos, trios, banda, ou seja, toda a estrutura da Banda”, diz a assessoria.

A BVQQ, se realmente desobedecer às determinações municipais, corre sério risco de não ter policiamento e não ter apoio da  SEMTRA (Secretaria Municipal de Trânsito), levando perigo para os foliões. Como o evento da banda do Vai Quem Quer é particular, não deverá ter segurança paga pelo contribuinte. Os dirigentes da banda devem contratar segurança suficiente para proteger cerca de cem mil foliões. Além disso, segundo o Climatempo, está prevista uma chuva torrencial para o dia 1 de março, exatamente no dia em que a banda VQQ vai desfilar. Vai ser a briga entre o homem e a natureza.

APOIO E INDIGNAÇÃO

O Estado do Acre também cancelou o carnaval de rua deste ano devido as enchentes que isolaram o vizinho do resto do País. Internautas manifestaram apoio nas redes, para o cancelamento do carnaval. Nas redes, internautas lamentam a intransigência de alguns blocos. “Tem muitas pessoas em Porto velho que estão mais preocupadas com carnaval, do que a situação, dos mais de 10 mil desabrigados e com os 19 metros do rio Madeira. Poxa pessoa se não deu para fazer carnaval agora, em fevereiro nós temos vários meses ainda até o final do ano. Será que o carnaval não pode ser adiado pra daqui a uns 2 ou 3 meses? Iria fazer alguma diferença isso, se realizasse ele agora e se fizer mais pra frente?”, disse o indignado Carlinhos de Jesus.

O QUE FAZ A SEMTRAN

A Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran) vem monitorando as ruas que estão interditadas nas regiões alagadas em Porto Velho, fiscalizando e interrompendo todas as vias que não apresentam condições de tráfego devido a cheia. Na região central da Capital, onde comporta os bairros Triângulo, Areal, Mocambo, Baixa União e Cai N’água (local com acesso somente de canoas e voadeiras) estão entre as regiões mais críticas.

Em vista da subida progressiva do rio Madeira, vias que estavam parcialmente alagadas, hoje estão totalmente cobertas. O exército e Corpo de Bombeiros auxiliam na retirada de famílias dessas regiões e a situação do trânsito no perímetro está totalmente comprometida.

Na aferição realizada na manhã de hoje (25) pela Agência Nacional de Águas (ANA) o nível do rio Madeira está a 18,48m

A Semtran divulgou quais as vias que hoje estão parcialmente interditadas. São elas:

Rua Rogério Weber entre Rua Almirante Barroso e Rua Raimundo Cantuária

Rua Jose de Alencar entre Rua João Alfredo e Rua Raimundo Cantuária

Rua Jacy-Paraná entre Rua Euclides da Cunha e Rua Capitão Esron de Menezes

Avenida Presidente Dutra entre as Ruas Almirante Barroso e Rua Raimundo Cantuária

Rua Prudente de Moraes entre Rua Treze de Maio e Rua Raimundo Cantuária

Rua Prudente de Moraes Entre Rua Alexandre De Guimarães E Estrada Do Santo Antonio

Travessa Mamoré entre Treze de Maio e Rua Jacy-Paraná

Rua Capitão Esron de Menezes entre Rua Treze de Maio e Rua Jacy-Paraná

Rua Treze de Setembro do inicio da Rua até a Rua Raimundo Cantuaria

Rua Tenreiro Aranha entre Rua Jacy-Paraná e Rua Raimundo Cantuaria.

Rua Tenreiro Aranha entre Rua Almirante Barroso Rua Jacy-Paraná

A situação está tão complicada que voluntários que estão prestando assistência aos moradores das regiões atingidas estão encontrando dificuldades. Na Rua 13 de Setembro, no Bairro Areal, um Jeep que estava ajudando na transferência de famílias, acabou ficando no meio da rua alagada. Soldados do exército que estavam no local trabalhando tiveram que prestar socorro.

Fonte: +RO  www.maisro.com

Facebook Comments