Áudio mostra Bolsonaro articulando derrubada de líder do PSL, diz revista

Após um início de madrugada repleto de brigas pela liderança do Partido Social Liberal (PSL) na Câmara, um áudio gravado dentro do Palácio do Planalto mostra o presidente Jair Bolsonaro tentando convencer deputados a derrubar o Delegado Waldir do atual posto dele como líder da legenda.

Segundo o colunista Guilherme Amado, da revista Época, a conversa foi gravada na tarde da quarta-feira, antes da sequência de documentos a favor e contra a saída do Delegado Waldir e entrada do filho de Jair Bolsonaro, deputado Eduardo Bolsonaro, causar confusão no fim da noite.

“Estamos com 26 [assinaturas], falta uma assinatura para a gente tirar o líder e colocar outro. A gente acerta. Colocando outro agora, dezembro tem eleições para futuro líder. A maneira como tá, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí?”, questiona Jair Bolsonaro no áudio .

O presidente da República fala, ainda, que não é favorável à criação da lista, e sim a eleições diretas, “mas no momento você não tem outra alternativa”, garante. O Palácio ainda não se pronunciou sobre o assunto.

No momento, a liderança da legenda é incerta e a mesa diretora da Câmara, composta por sete pessoas, deve ser responsável pela decisão. Entre os membros da mesa estão o presidente da Câmara Rodrigo Maia e o presidente do PSL, Luciano Bivar .

Ativo nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro ainda não tinha se pronunciado publicamente sobre as reviravoltas para a liderança do partido na manhã desta quinta-feira (17).

“Se alguém grampeou, é uma desonestidade”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) evitou nesta quinta-feira (17) comentar o conteúdo do  áudio em que pede o apoio de deputados do PSL para destituir o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir (GO), mas disse que, se o seu telefone tiver sido grampeado, ocorreu uma “desonestidade”. Bolsonaro afirmou apenas que conversou com parlamentares e que não irá tratar “publicamente” desse assunto. O áudio foi revelado na quarta-feira (16) pela revista Época .

“Eu falei com alguns parlamentares. Me gravaram? Deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Eu não trato publicamente desse assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone…Primeiro, é uma desonestidade”, disse Bolsonaro , na saída do Palácio da Alvorada.

 

Facebook Comments