ATO EM PORTO VELHO: HOJE FAZ 26 ANOS DO MASSACRE DE CORUMBIARA

Começa hoje o Seminário: 26 anos da histórica resistência camponesa de Corumbiara, da batalha de Santa Elina ao Acampamento Manoel Ribeiro, que tratará de um dos temas mais relevantes da atualidade que surgem como expressão da mais avançada luta popular onde se contrapõem às forças reacionárias da velha ordem contra as massas camponesas em busca de sua terra.

A programação terá início com um Ato público em Porto Velho, Rondônia em 09/08. A atividade acontecerá às 17h na escadaria do Campus central da Universidade Federal de Rondônia (Unir). Os organizadores orientam o uso de máscara e álcool em gel.

Uma vasta programação promovida por entidades visa lembrar um dos episódios mais sangrentos de Rondônia. As atividades coordenadas pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO e pela Associação Brasileira de Advogados do Povo – ABRAPO tem como tema geral “26 Anos da Heroica Resistência Camponesa de Corumbiara: da Batalha de Santa Elina ao Acampamento Manoel Ribeiro”. As atividades propõem apresentar uma retomada histórica do fatídico episódio ocorrido em 09 de agosto de 1995, que manchou de sangue as mãos do Estado de Rondônia na época, conhecido como o Massacre de Corumbiara.

O primeiro evento será um ato público presencial que ocorrerá no dia 09 de agosto às 17h nas escadarias do prédio histórico da UNIR, no centro de Porto Velho. O ato quer trazer a memória das vítimas do conflito ocorrido 26 anos atrás e também denunciar inúmeros assassinatos e perseguições ocorridas no campo. Em 1995, latifundiários planejaram militarmente um massacre com o objetivo de espalhar terror entre as famílias camponesas e assim paralisar as tomadas de terra do latifúndio na região. No entanto, ao contrário do que se esperava, as 600 famílias acampadas na antiga fazenda Santa Elina opuseram heroica resistência contra a repressão sangrenta e o que era para ser um massacre virou uma batalha.

Com diversas entidades confirmadas, o objetivo da manifestação é denunciar as inúmeras situações de violência praticadas contra os camponeses e povos originários de nosso país ao longo de décadas e que se acentuou no atua gerenciamento do Estado brasileiro e de Rondônia que declararam guerra aos povos do campo e ao meio ambiente.

Seminário debaterá história, direitos e conflitos agrários

Um dos mais relevantes conflitos pela terra de nossa história, que levou a 12 mortos, incluindo uma criança, pessoas desaparecidas e mais de 200 pessoas torturadas. Passando pelo ataque das forças repressivas do Estado de Rondônia na tentativa de cumprir o despejo sobre as terras ocupadas pelos camponeses na Fazenda Santa Elina até a resistência organizada do povo, lutando bravamente por seus direitos, configurando, na visão dos camponeses, como a heroica Batalha de Santa Elina.

Serão abordados os conflitos e desafios dos camponeses no Acampamento Manoel Ribeiro (parte da antiga Fazenda Santa Elina), a dura criminalização política que vem sofrendo (quatro presos políticos detidos desde o mês de maio de 2021) e reflexões sobre as artimanhas do latifúndio para regularização de terras griladas na região amazônica. O seminário é para Advogados e Advogadas, juristas, professores e professoras, estudantes, militantes e qualquer pessoa que se interesse pelo tema. Entre os diversos debatedores estarão participando o Prof. Dr. Ariovaldo Umbelino de Oliveira, um dos mais renomados geógrafos que estudam a questão agrária em nosso país.

As atividades concentram-se em:

1° – Ato Público em memória a resistência camponesa de Corumbiara (dia 09 de Agosto, Porto Velho, às 17h, na Escadaria da UNIR Centro – vá de máscara e use álcool em gel!) – EVENTO PRESENCIAL

2° – Mesa temática Ataque e Resistência: 09 de Agosto de 1995 (dia 16 de Agosto, via transmissão no nosso Canal do Youtube)

3° – Mesa temática  A Criminalização da Luta Pela Terra e os Presos Políticos do Acampamento Manoel Ribeiro (dia 23 de Agosto, via transmissão no nosso Canal do Youtube)

4° – Mesa temática  Regularização do Latifúndio na Amazônia (dia 30 de Agosto, via transmissão no nosso Canal do Youtube)

O seminário terá certificação para aqueles que concluírem 2/3 das atividades.

Todos os encontros online começam as 19h no horário Amazônico/Fuso de Manaus e Porto Velho. Lembrando que em relação ao horário de Brasília é 1 hora a menos. Ou seja, às 19h da Amazônia e às 20h de Brasília.

Inscrições serão feitas pelo link na bio do instagram da ABRAPO ou https://docs.google.com/forms/d/1EzSLfc41XyXs6ctgySXzFv_PuII1D2eMAGaXTeruuhE/edit

Facebook Comments