O Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), está proporcionando atendimento psicológico especializado para seus servidores. A a psicóloga Elucineia Mendes dos Reis está percorrendo todas as regionais do Departamento no interior do Estado de Rondônia para estabelecer os procedimentos iniciais de atendimento e consultas.

De acordo com a profissional, os atendimentos estão focados no que se chama Saúde Integral do Trabalhador, cujo objetivo é promover um ambiente mais motivador, com a diminuição do estresse e agregando qualidade de vida na humanização das relações interpessoais no trabalho. E esta questão tem se mostrado de fundamental importância. Elucineia Mendes destaca que está conseguindo qualificar o trabalho como “de grande valor para o servidor, pois a psicóloga é alguém que está ali à disposição para ouvi-lo, dessa forma, o trabalhador se sente valorizado”. A psicóloga complementa dizendo que, “parece algo sem importância, mas para alguém que naquele exato momento precisa colocar suas angústias para fora, é fundamental”.

Assumindo o DER no primeiro semestre de 2020, o diretor-geral Elias Rezende trouxe uma série de projetos visando melhorar as relações entre os servidores, a gestão dos recursos e a eficiência do trabalho executado para garantir mais qualidade e durabilidade na imensa gama de serviços prestados pelo órgão à população rondoniense. “Desde que começou a pandemia, estamos vendo profissionais em todas as áreas de trabalho sendo afetados e aqui no DER não está sendo diferente. Trabalhadores da linha de frente entrando em crise e se nós não estivéssemos com eles, talvez estaríamos até sem muitos deles hoje”, explica e completa dizendo que “a proposta é acolher o servidor e, por meio do trabalho técnico e competente da psicóloga, promover a resolução dos conflitos apresentados quando o servidor ou servidora chega para o atendimento”.

ANIZAÇÃO

A psicóloga Elucineia Mendes frisa que com o respaldo e incentivo da direção-geral é possível estabelecer uma rede de atendimentos para os servidores e manter o vínculo por meio de contato remoto por aplicativos de comunicação. “Parte do processo tem se dado por Whatsapp, telefone ou quaisquer outras formas de comunicação, que os servidores possuem ou se sentem seguros para me contatar. Assim, são três etapas, o atendimento inicial face a face nas regionais, a manutenção do diálogo por aplicativos de comunicação e, por fim, novas consultas presenciais agendadas nas regionais”, conta.

A psicóloga explica que se trata de uma modalidade de atendimento em que, além de acolher a pessoa e escutá-la ativamente, há intervenções para solucionar o problema. Assim, o servidor, mesmo não apresentando uma patologia ou um sofrimento, procura resolver um problema específico com ajuda do psicólogo, na medida em que sente que não pode fazer sozinho. “É um processo privilegiado de crescimento humano, pois aqui aprende a reservar um tempo e um espaço para ouvir os seus próprios pensamentos, para prestar atenção aos seus sentimentos, ao seu ambiente, procurando ser mais feliz”.

Este protocolo é respaldado pelas resoluções 11/2018 e 04/2020, do Conselho Federal de Psicologia sobre atendimento remoto e voltado para o período de pandemia da Covid-19. Tais regulamentações garantem, segundo a psicóloga do DER, a continuidade do atendimento num processo constante de acompanhamento. “Sempre que necessário, o servidor me procura para alguma orientação, então digamos que não sou a profissional que passou nas regionais e o servidor nunca mais terá notícias, porque eu fico à disposição no telefone e sendo possível a qualquer tempo requisitar minha ida”, enfatiza a psicóloga Elucineia Mendes.

Os atendimentos são previstos em uma visita inicial, cuja sessão de orientação psicológica é de 50 minutos a uma hora, em que os interessados são atendidos. Após o primeiro contato, os demais são feitos via internet, sendo necessário o retorno aos atendidos para fechar o vínculo como também avaliarem os resultados da proposta. Psicólogo e servidor constatando avanços e melhorias, os encontros podem passar a ser semestrais ou trimestrais.

Fonte: SECOM

Facebook Comments