A Apple está intensificando os esforços para desenvolver sua própria tecnologia de busca, enquanto as autoridades antitruste dos EUA ameaçam pagamentos multibilionários que o Google faz para garantir a colocação de seu motor no iPhone.

Ou seja, conforme noticiou o jornal Financial Times nesta quarta-feira (28/10), a Apple está aproveitando o cerco ao Google nos Estados Unidos para desenvolver uma plataforma de buscas própria.

Em uma mudança pouco notada na versão mais recente do sistema operacional do iPhone, iOS 14, a Apple começou a mostrar seus próprios resultados de pesquisa e “linkar” diretamente para sites quando os usuários digitam consultas na tela inicial.

Essa capacidade de busca na web marca um importante avanço no desenvolvimento interno da Apple e pode formar a base de um ataque mais completo ao Google, de acordo com várias pessoas na indústria.

A empresa do Vale do Silício é notoriamente sigilosa sobre seus projetos internos, mas a mudança aumenta as evidências de que está trabalhando para construir um rival para o mecanismo de busca do Google.

Dois anos e meio atrás, a Apple roubou o chefe de pesquisa do Google, John Giannandrea. A contratação foi ostensivamente para aumentar suas capacidades de inteligência artificial e seu assistente virtual Siri, mas também trouxe oito anos de experiência no mecanismo de busca mais popular do mundo.

A crescente capacidade de busca interna da empresa oferece uma alternativa caso os reguladores bloqueiem sua lucrativa parceria com o Google.

Quando o Departamento de Justiça dos EUA abriu um caso na semana passada, sobre os pagamentos que o Google faz à Apple para ser a ferramenta de busca padrão do iPhone, a urgência foi adicionada à iniciativa.

“Eles [Apple] têm uma equipe confiável que acho que tem experiência e profundidade, se quiserem, para construir um mecanismo de busca mais geral”, disse Bill Coughran, ex-chefe de engenharia do Google, que agora é sócio do Vale do Silício investidor Sequoia Capital.

Fonte: Terça Livre

Facebook Comments