Alex Silva preside Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente na ALE-RO

PORTO VELHO-A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, da Mulher e do Idoso (CDCAMI) foi instalada no último dia (26), na Assembleia Legislativa, e já discutiu ações e projetos para enfrentar a crescente violência contra a mulher.

A CDVAMI é presidida pelo deputado estadual Alex Silva (PRB), Edson Martins (MDB) é o vice-presidente. São membros Anderson Pereira (Pros), Alex Redano (PRB) e Cássia Muleta (Pode). Ismael Crispin (PSB) e Cirone Deiró (Pode) são os suplentes.

“Rondônia é o quarto Estado no país em casos de feminicídio. Somos o terceiro em casos de estupros. É uma dura realidade que precisamos enfrentar. Por outro lado, 32% dos desempregados no Brasil, são jovens entre 18 e 24 anos. São dados muito preocupantes e que nos mostram os desafios que temos para contribuir com o fim dessa violência, em todos os níveis”, afirmou Alex Silva.

Alex Redano destacou o envolvimento de Silva com ações ligadas aos direitos do cidadão. “Já presta um serviço, enquanto pastor evangélico, junto com entidades e instituições que atuam diretamente em projetos ligados aos direitos do cidadão, e essa experiência, com certeza vai ter grande avalia para o nosso trabalho”, disse Redano.

Já Anderson observou que a Comissão pode provocar a discussão com os Conselhos de Defesa da Criança e do Adolescente. “É cuidar das nossas crianças e jovens, para que possamos ter cidadãos que contribuam com a sociedade. Também temos que ter um olhar especial ás mulheres, especialmente as que sofrem os diversos tipos de violência, e aos idosos”.

Dr. Neidson disse que “as mulheres não denunciam, pois têm medo de denunciar, muitas se sentem constrangidas. A Assembleia Legislativa de Roraima já implantou um serviço de atendimento humanizado à mulher, que acolhe as vítimas de violência, ouve a denúncia e já sentencia. Vamos tentar implantar aqui, utilizando nossa estrutura própria nesse trabalho”.

Crispin aproveitou para dar uma sugestão: “ações que discutam a defesa da mulher, por exemplo, seria importante que houvesse uma junção com a Comissão de Segurança. Temos muitas cidades sem uma Patrulha Maria da Penha e muito menos uma delegacia especializada”.

Texto: Eranildo Costa Luna – DECOM/ALE

Fotos: Marcelo Augusto

Facebook Comments