O secretário estadual de Educação, Suamy Vivecananda, informou nesta quarta-feira (29) que ainda não existe uma data definida para o retorno das aulas presenciais em Rondônia. A declaração foi dada durante uma reunião na Comissão de Educação e Cultura (CEC), no prédio da Assembleia Legislativa.

Questionado se existe a possibilidade para o retorno às aulas presenciais nesse ano, disse que sim, mas que não existe uma data, pois depende da curva de contaminação e isso é definido pela Secretaria de Saúde.

“Temos um plano para a retomada das aulas, mas não sabemos quando isso será feito. Temos professores que são do grupo de risco e que não podem retornar às atividades. Para suprir essas carência, vamos ter que fazer a contratação emergencial”, respondeu Suamy

As aulas presenciais da rede estadual e municipal estão suspensas desde 17 de março, por causa do decreto de calamidade pública decorrente do novo coronavírus.

Outro ponto debatido foi o piso nacional do magistério. Em 2019 todos os professores receberam o piso, inclusive também fruto de um acordo com a Assembleia Legislativa, feito ainda em 2018. “É preciso que haja um cálculo atuarial, pois essas correções atingem muitos servidores e mexe com o Iperon, por exemplo. Quisera eu que fosse um rito sumário, mas não é assim”, ponderou Suamy.

De acordo com o secretário, “nesse momento de pandemia, a Seduc concluiu a parte de ajustes de tabelas e em agosto faremos o pagamento, acoplado com julho. Isso está acertado com a Sefin”.

Adelino citou que muitos professores precisaram investir em computador e em internet, para garantir as aulas. “Tem muitos desafios ao profissionais, nesse momento”.

O deputado também citou que muitas famílias enfrentam dificuldades para garantir que os filhos assistam às aulas. “Famílias com muitos alunos, com apenas um computador ou um celular para assistir aula, prejudicando muito. É preciso repensar e dar alternativas, para que os alunos possam ter um acesso às aula remotas e um melhor aproveitamento”, completou.

Suamy Vivecananda declarou que a pasta adquiriu mais de 3.500 computadores e que esse modelo híbrido deve seguir acontecendo. “Os professores da mediação tecnológica, tão combatidos, estão sendo ainda mais equipados, para oferecer um atendimento ao estudante cada vez melhor e mais eficiente”.

Merenda

Adelino Follador quis saber sobre a distribuição do cartão da merenda escolar aos alunos. “No começo, distribuímos kits com alimentos, nem todos pegaram. Estamos trabalhando com os conselhos escolares para que aconteçam mais distribuição. É complexo, pois estamos num momento muito difícil para todos”, disse Suamy Vivecananda.

Segurança

A segurança nas escolas também foi debatida, com algumas ainda enfrentando casos de furtos. “É um investimento alto demais e temos tido uma diminuição do número de casos de furtos e de depredações nas escolas”.

Fonte: Mais RO

 

Facebook Comments