NOTA
Ao julgar nesta data (31/08/2016) recurso (agravo regimental) que interpusemos em favor do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) manteve a posição do Desembargador Federal Pedro Gebran Neto de não esclarecer a relação pessoal que mantém com o juiz Sergio Moro, recusando pedido formulado em 09.08.2016 pela defesa de Lula com base no principio da transparência.
O pedido de esclarecimento tem como base reportagem publicada em revista jurídica que indica relação próxima entre o Desembargador Federal Pedro Gebran Neto e o juiz Sergio Moro. Gebran é o relator da exceção de suspeição apresentada pela defesa de Lula, na qual o Moro é parte (excepto).
Embora se respeite a história do Desembargador Federal Pedro Gebran Neto na magistratura e sua atuação como julgador, a defesa irá recorrer da decisão proferida nesta data, a fim de ver definitivamente esclarecida a sua relação com o juiz Sérgio Moro, premissa para qualquer outra eventual providência jurídica que se faça necessária para assegurar o devido processo legal.
Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira
Facebook Comments