Nilmar dos Santos e Francinéia Costa de Oliveira, acusados do assassinato de um casal de idosos na cidade de Colorado – região do Cone Sul de Rondônia – serão transferidos para Porto Velho para o cumprimento de suas prisões preventivas. Nilmar e Francinéia, teriam sido alvo de agressões dentro da cadeia da cidade, e estão sendo ameaçados de morte na cadeia pública de Cacoal, onde encontram-se presos.

Temendo pela integridade física dos dois, os advogados dos acusados entraram com um pedido de transferência junto à 1ª Vara Criminal de Colorado D´Oeste, e ainda a apuração das agressões sofridas pelos dois no interior da cadeia pública que está sob a guarda do Estado.

O próprio Ministério Público não se opôs à transferência de Nilmar e Francinéia. Um procedimento administrativo foi aberto pela Sejus para apurar as agressões.

O CRIME

As vítimas do crime foram o casal de dentistas Dionelia Giacometti e Eldon Mai. Segundo a Polícia, os acusados são marido e mulher e eram inquilinos dos idosos. Os acusados moravam numa pequena edícula pertencente às vítimas e teriam os idosos porque não tinham dinheiro para pagar o aluguel. O crime aconteceu há quatro semanas e os acusados foram denunciados por latrocínio.

A primeira a ser morta foi Dionelia, atraída para a edícula após ter sido chamada para ver um ‘vazamento na pia’. Quando ela abaixou, foi atingida na cabeça com um pedaço de pau e estrangulada até a morte. Em seguida, teve os dedos polegar e indicador arrancados para que os assassinos pudessem fazer saques em caixas eletrônicos que pedem verificação biométrica.

Horas depois, Eldon Mai chegou em casa e foi atraído para a edícula de seus inquilinos com o mesmo pretexto, de ver um vazamento e também foi assassinado igual a esposa. Após o crime, Nilmar colocou os corpos das vítimas no porta malas do carro de propriedade de Dionelia e os conduziu para estradas vicinais  com a intenção de ocultá-los.

A primeira a ser morta foi Dionelia, atraída para a edícula após ter sido chamada para ver um ‘vazamento na pia’. Quando ela abaixou, foi atingida na cabeça com um pedaço de pau e estrangulada até a morte. Em seguida, teve os dedos polegar e indicador arrancados para que os assassinos pudessem fazer saques em caixas eletrônicos que pedem verificação biométrica.

Horas depois, Eldon Mai chegou em casa e foi atraído para a edícula de seus inquilinos com o mesmo pretexto, de ver um vazamento e também foi assassinado igual a esposa.

Após o crime, Nilmar colocou os corpos das vítimas no porta malas do carro de propriedade de Dionelia e os conduziu para estradas vicinais com a intenção de ocultá-los.

Dionelia foi enterrada na região de Corumbiara e Eldon às margens de uma estrada na região de Chupinguaia, a mais de 30 km do corpo da esposa.  Nilmar e Francineia foram presos pela Polícia Rodoviária Federal quando tentavam chegar ao Mato Grosso no carro das vítimas.

Fonte: Oobservador

Facebook Comments