RESENHA POLÍTICA – POR: ROBSON OLIVEIRA (*)

Ao subir o tom das críticas contra a administração estadual e a municipal da capital em defesa das providências para conter o coronavírus, o deputado federal Léo Moares (Podemos) sinaliza que tem interesse de entrar na disputa eleitoral para substituir o coronel Marcos Rocha (sem partido). É o parlamentar da bancada federal mais bem avaliado que se prepara para voos mais altos. Embora tenha desistido de disputar as eleições municipais da capital por razões ainda não bem claras, não é um político de se acuar quando decide encarar um embate. No segundo semestre, quando todos esperam (e oram) que a pandemia esteja mais controlada com a vacinação, as eleições de 2022 assumem o protagonismo. O que é natural.

 

VACINAÇÃO

É um bálsamo a informação de que o Governo de Rondônia esteja prestes a adquirir um milhão de doses de vacinas – Sputnik V – da Rússia. Ainda comprada por um governador que seguia fielmente as (des) orientações do Governo Federal em desqualificar imunizantes oriundos de países ideologicamente de “esquerda”. Com mais as quatrocentas mil doses anunciadas semanas atrás pelo prefeito da capital, em poucos meses os rondonienses estarão bem servidos na vacinação para melhorar o percentual risível que hoje temos de vacinados.

 

PLANO

Mesmo que as vacinas a serem compradas pelo Governo de Rondônia e pela Prefeitura da Capital sejam incluídas no Plano Nacional de Imunização, as aquisições não perdem a importância para os rondonienses, visto que outros governadores estão também adquirindo e o que todos esperam é uma imunização em massa que diminua o mais rápido possível os percentuais de mortos.

 

ANVISA

A vacina Russa (Sputnik V) não possui ainda autorização da ANVISA para que seja utilizada no Brasil. Isto não significa que as tratativas de comercialização fiquem paralisadas aguardando os trâmites legais, ao contrário, uma coisa não inviabiliza a outra. Quando receber a certificação da agência reguladora brasileira, o que ocorrerá em breve, a burocracia internacional exigida nesses negócios estará avançada. O que evita atrasos na agenda de vacinação estabelecidas pelos governadores. O exemplo dado por Hildon Chaves fez com que Marcos Rocha se movesse e seguisse o mesmo caminho. A população agradece. Vacinas, já!

 

MORTES

É assustador o números de óbitos em Rondônia nas duas últimas semanas, em razão da Covid-19. A média diária tem ultrapassado a casa dos cinquentas mortos, inclusive alcançado os sessenta. Não há pessoa no estado que não conheça alguém que teve a vida abreviada pelo vírus. E cada dia o número de óbitos tem crescido. E o sistema de saúde público e privado colapsado. Aliás, é tanta gente infectada que nenhum sistema se sustenta. Seja aqui, seja alhures.

 

LOCKDOWN

Há uma desinformação em relação aos efeitos do lockdown na pandemia devido a uma politização estúpida que tomou as mídias sociais, muito por culpa do presidente Bolsonaro que tratou o vírus desde o início como uma “gripezinha”, visando impedir as ações preventivas adotadas mundo afora para conter o pico da pandemia. Somente uma mente tão doente quanto o vírus é capaz de manipular os fatos para falsear a verdade.

 

OBTUSO

O lockdown não é e nunca foi a solução para acabar com vírus, até porque não é vacina. É uma ação que visa exclusivamente conter a disseminação do vírus ao evitar que as pessoas se aglomerem, algo que tem surtido efeito em todo lugar onde foi adotado. Ainda assim só é imposto quando as autoridades sanitárias percebem que o número de infectados que precisam de tratamento médico nos hospitais é maior do que os leitos oferecidos. O lockdown é eficiente neste momento crucial, a exemplo do que ocorreu em Manaus. Somente uma pessoa obtusa não consegue compreender. O pior é que existem muitas por aí nas redes sociais disseminando mentiras e ódio. Enquanto mais conhecidos morrem.

 

KSOLDADOR

A maluquice do ex-governador Ivo Ksoldador que viralizou brasil afora, ao que parece, vai lhe custar algumas chateações. O Ministério Público decidiu abrir um procedimento para investigar a cura da Covid que ele (KSoldador) anuncia utilizando uma solda elétrica. Quando alguns acreditavam se tratar de uma brincadeira de mau gosto, eis que Ivo concede uma entrevista a um ex-deputado radialista e reafirma que a solda cura Covid, além de queimar a barriga do “paciente”. A galhofa de um ex-governador num momento tão doloroso não há precedente. Para impor limite somente a lei, ou um psiquiatra.

 

ADESÃO

Quaisquer que sejam as ações rígidas ou frouxas decretadas pelo governador ou pelo prefeito, sem a adesão voluntária das pessoas, não surtirá os efeitos nelas almejados. A principal ação para conter o aumento de infectados do vírus cabe a cada um de nós. Sem esta adesão, mesmo utilizando a força de segurança para impor a ordem, não haverá fiscal para todo mundo. O problema aumenta quando vemos autoridades que deveriam dar o exemplo, estimulando o contrário. Vivemos tempos bicudos e cada dia contando nossos mortos em razão da nossas falta de empatia.

(*) Advogado e Jornalista

Facebook Comments