Câmara dos Deputados votou contra ampliação do auxílio emergencial de R$ 600 até dezembro. O benefício foi criado para atender os trabalhadores autônomos, informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs) durante a pandemia do novo coronavírus.

A emenda, que visava a extensão até o mês de dezembro, foi rejeitada pelos parlamentares. Na votação, foram 309 votos contra e 123 a favor. Apenas as bancadas do PT, PCdoB e PSOL votaram em bloco a favor de que pobres tenham o auxílio de 600 até dezembro. Até o PDT e o PSB não votaram a favor em bloco. A totalidade dos partidos da direita votou contra a extensão do auxílio até dezembro, salvo alguns que votaram contra o governo.

Os Votos dos partidos:

PT Sim
PL Não
PSL Não
PP Não
PSD Não
MDB Não
REPUBLICANOS Não
PSDB Não
PSB Sim
PDT Sim
DEM Não
SOLIDARIEDADE Não
PROS Não
PTB Não
PODE Não
PSOL Sim
PSC Não
CIDADANIA Não
PCdoB Sim
NOVO Não
AVANTE Não
PATRIOTA PV Não
REDE Sim
Maioria Minoria Sim
Oposição Sim
Governo Não

Veja a lista completa de como votou cada deputado aqui:

Recentemente, o governo confirmou a prorrogação do auxílio de R$ 600 por mais dois meses. Ao ser lançado, a medida atenderia apenas por três meses, agora serão cinco.

Até o momento, o governo não definiu como será realizado o pagamento das duas parcelas. Até então, as parcelas são pagas de R$ 600 reais de uma só vez. Porém o ministro da Economia, Paulo Guedes, que diferente das três parcelas inicialmente, a 4ª e a 5ª serão pagas no início e fim do mês, de acordo com a data de nascimento de cada beneficiário. Sendo assim, a quarta e quinta será repartida em quatro pagamentos. Confira como vai ficar:

  • Final de julho: R$ 500
  • Início de agosto: R$ 100
  • Meio de agosto: R$ 300
  • Final de agosto: R$ 300
Facebook Comments