SOM DO CORAÇÃO – Música é usada na prevenção, tratamento e reinserção social em projeto do Centro de Referência de Prevenção e Atenção à Dependência Química

0
60

O Som do Coração – mudando a história através da música é um projeto que desenvolvido pelo Centro de Referência de Prevenção e Atenção à Dependência Química (Crepad) que tem por finalidade prevenir, tratar e reinserir o cidadão que por ventura esteja precisando de auxílio nesse sentido.

O professor de música Edson Ferreira do Vale disse que o projeto trabalha com pessoas que estão se tratando para deixar a dependência química, bem como a reinserção e principalmente a prevenção. O Crepad tem parceria com várias instituições, como por exemplo a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio 21 de Abril e a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Major Guapindaia, que encaminham para o projeto alunos em situação de risco.

Música é usada como ferramenta na prevenção, tratamento e reinserção social.

O projeto também recebe alunos encaminhados pelos Conselhos Tutelares e de todos os Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Segundo o professor Edson do Vale, a música tem poder transformador, “a música é o meio mais antigo de interação entre as pessoas”, afirmou o professor. O projeto já existia, mas foi reformulado recentemente e passou de oito alunos para 62. As aulas de violão acontecem em vários horários e dias da semana. Terça e quinta-feira, das 8h30 às 9h30. Das 12h às 13h, é um horário alternativo que foi criado para atender aqueles alunos que não estavam mais podendo frequentar às aulas nos demais horários, porque estão trabalhando ou estudando, explica o professor. Como a demanda aumentou foi aberta mais uma turma das 13h às 14h. Na segunda, quarta e sexta-feira tem aula das 12h às 13h.

Além da aula prática, os alunos também trabalham a teoria, como a percepção musical, que são atividades onde todos aplaudem com movimentos alternados, que treina o aluno a ouvir, uma correlação entre o conhecimento técnico e o que o músico ouve.

Paulo Vitor é o aluno mais antigo do projeto.

Paulo Vitor Moreira Pereira de 12 anos, é o aluno mais antigo do projeto. Ele disse que havia ganhado de presente do cunhado um violão, mas não sabia tocar, desde que entrou no projeto tem desenvolvido suas habilidades musicais, está tocando até na igreja Comunidade Amar de Porto velho.

Matheus Alencar está no projeto há dois meses.

Matheus Alencar Pereira, de 22 anos, também aproveitou o curso para aprender a tocar violão, “eu já tocava guitarra e como gosto de cantar, resolvi aprender violão, pois facilita na música”, afirmou. Matheus também disse que já teve uma banda e de vez em quando canta em lugares públicos. Ele também elogiou o professor, “ele ensina bem e o aprendizado fica fácil”, destacou.

Fonte
Texto: Eleni Caetano
Fotos: Marcelo Gladson
Secom – Governo de Rondônia

Facebook Comments