POLÍCIA CONCLUI QUE NATTAN FOI ASSASSINADO PELO PADASTRO COM CUMPLICIDADE DA PRÓPRIA MÃE

0
261
Nattan Motta fi assassinado pelos pais

A imagem pode conter: 1 pessoaCACOAL- A Polícia Civil concluiu hoje, oficialmente, após minucioso trabalho legista e de investigação que foi constatado que a morte do Nattan  foi decorrente de agressão física e asfixiamento.
Segundo os delegados Dr Arismar e Dra Fabiana, o padrasto, Bruno Motta , foi quem o matou e a mãe, Séfora, concursou (agente em crime culposo) em sua morte. Ambos estão presos pelo caso, ele no presídio em Cacoal e ela em prisão domiciliar em São Miguel do Guaporé, até que dê a luz (está grávida de 8 meses).
A motivação do crime foi: RAIVA – ÓDIO.

Munidos de informações dos legistas,  familiares chegaram a postar na rede social (Facebook), que a morte de Nattan não foi em decorrência de estupro ou agressão. O legista na ocasião,  atestou a morte por causas naturais, que provavelmente aconteceram em decorrência de uma convulsão.

ENTENDA O CASO

Uma Guarnição da Polícia Militar  foi informada que no hospital Heuro, havia dado entrada um adolescente de 13 anos de idade com sinais de lesões e violências sexuais.

Adolescente de 13 anos com sinais de lesões e violência sexual morre de parada cardíaca no hospital de Cacoal

Ao chegar ao hospital, a vítima estava em um leito hospitalar juntamente com uma equipe médica tentando reanimá-lo, pois o mesmo havia sofrido uma parada cardíaca. Momentos após o adolescente voltou em si, porém ficando em estado grave de saúde.

Aos policiais, o hospital informou que o adolescente havia sido levado pelo seu padrasto que trajava camiseta preta e calça jeans e estava acompanhado de seu patrão, o patrão do padrasto saiu do hospital pelas portas dos fundos.

Enquanto os policiais buscavam informações no hospital, a mãe da vítima, chegou  e logo evadiu do local com outro homem. Os policiais estranhando tal ação saíram em diligências alcançando a mesma ainda próximo ao hospital. Ao indagar a mãe sobre o paradeiro de seu esposo, padrasto da vítima, ela disse que ele teria ido até a residência pegar alguns documentos.

Ao voltarem para o hospital, o padrasto chegou e ao indagar sobre tais documentos, o mesmo disse que não tinha nenhum documento. Neste momento o padrasto já trajava uma camiseta listrada de branco e vermelho. O setor de emergência e urgência do hospital informou que o menor havia sofrido novamente outra parada cardíaca e não havia resistido, vindo a óbito as 11h04 da manhã de segunda-feira, 5 de junho.

Uma médica do hospital disse que o médico legista constatou a morte do menor, sendo que a causa especifica seria analisada posteriormente.

Diante dos fatos, a mãe e o padrasto do menor foram levados para a delegacia de polícia civil pára registro de ocorrência, os dois aparelhos celulares de ambos foram apreendidos, sendo que o casal ficou a disposição da justiça para os procedimentos cabíveis que o caso couber.

Com informações do Cacoal News

 

 

Facebook Comments